Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter Página do 

Programa João Carlos Amaral Entrevista Canal no youtube Clique e 

envie-nos seu e-mail Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter
___________________________


___________________________
Clique para conhecer
___________________________


__________________________


__________________________

__________________________


______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer
______________________________

Sinapro MG
______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer



+ Categorias

  • Todos (16267)
  • POLTICA (5929)
  • GERAL (2057)
  • ARTIGOS (285)
  • ENTREVISTAS (36)
  • ECONOMIA (3754)
  • GENTE (1210)
  • TURISMO (842)

  • + Links
    + Arquivos

    Fevereiro, 2006
    Maro, 2006
    Abril, 2006
    Maio, 2006
    Junho, 2006
    Setembro, 2006
    Julho, 2006
    Agosto, 2006
    Novembro, 2006
    Outubro, 2006
    Janeiro, 2007
    Dezembro, 2006
    Fevereiro, 2007
    Maro, 2007
    Abril, 2007
    Maio, 2007
    Outubro, 2007
    Junho, 2007
    Julho, 2007
    Agosto, 2007
    Setembro, 2007
    Dezembro, 2007
    Novembro, 2007
    Janeiro, 2008
    Maio, 2008
    Fevereiro, 2008
    Maro, 2008
    Julho, 2008
    Abril, 2008
    Junho, 2008
    Setembro, 2008
    Agosto, 2008
    Outubro, 2008
    Novembro, 2008
    Dezembro, 2008
    Janeiro, 2009
    Fevereiro, 2009
    Maro, 2009
    Abril, 2009
    Maio, 2009
    Junho, 2009
    Julho, 2009
    Agosto, 2009
    Setembro, 2009
    Outubro, 2009
    Novembro, 2009
    Dezembro, 2009
    Novembro, 2012
    Janeiro, 2010
    Fevereiro, 2010
    Maro, 2010
    Abril, 2010
    Maio, 2010
    Junho, 2010
    Julho, 2010
    Agosto, 2010
    Setembro, 2010
    Outubro, 2010
    Novembro, 2010
    Fevereiro, 2011
    Maro, 2011
    Abril, 2011
    Maio, 2011
    Junho, 2011
    Julho, 2011
    Agosto, 2011
    Setembro, 2011
    Outubro, 2011
    Novembro, 2011
    Dezembro, 2011
    Janeiro, 2012
    Fevereiro, 2012
    Maro, 2012
    Abril, 2012
    Maio, 2012
    Junho, 2012
    Julho, 2012
    Agosto, 2012
    Setembro, 2012
    Outubro, 2012
    Dezembro, 2012
    Agosto, 2015
    Janeiro, 2013
    Fevereiro, 2013
    Maro, 2013
    Abril, 2013
    Maio, 2013
    Setembro, 2015
    Junho, 2013
    Julho, 2013
    Agosto, 2013
    Setembro, 2013
    Julho, 2016
    Outubro, 2013
    Novembro, 2013
    Dezembro, 2013
    Janeiro, 2014
    Fevereiro, 2014
    Maro, 2014
    Abril, 2014
    Maio, 2014
    Junho, 2014
    Julho, 2014
    Agosto, 2014
    Setembro, 2014
    Outubro, 2014
    Novembro, 2014
    Dezembro, 2014
    Janeiro, 2015
    Fevereiro, 2015
    Maro, 2015
    Abril, 2015
    Maio, 2015
    Junho, 2015
    Julho, 2015
    Outubro, 2015
    Novembro, 2015
    Dezembro, 2015
    Janeiro, 2016
    Fevereiro, 2016
    Maro, 2016
    Abril, 2016
    Maio, 2016
    Junho, 2016
    Agosto, 2016
    Setembro, 2016
    Outubro, 2016
    Novembro, 2016
    Dezembro, 2016
    Janeiro, 2017
    Fevereiro, 2017
    Maro, 2017
    Abril, 2017
    Maio, 2017
    Junho, 2017
    Julho, 2017
    Agosto, 2017
    Setembro, 2017
    Outubro, 2017
    Novembro, 2017
    Dezembro, 2017
    Janeiro, 2018
    Fevereiro, 2018
    Maro, 2018
    Abril, 2018
    Maio, 2018
    Junho, 2018
    Julho, 2018
    Agosto, 2018
    Setembro, 2018
    Outubro, 2018
    Novembro, 2018
    Dezembro, 2018
    Janeiro, 2019
    Fevereiro, 2019
    Maro, 2019
    Abril, 2019
    Maio, 2019
    Junho, 2019



    _______________________________________________________________
    .

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 31, 2010

    HOJE noite.

                                                                        ELEIES.
                                                             Veja pela REDE SUPER.

    Neste domingo, a partir de 20h30
    vamos cobrir o resultado das Eleies para Presidente da Repblica
    no segundo turno pela REDE SUPER.

    A estratgica montada
    ser no estdio da TV REDE SUPER,
    aqui em BH. Na av. Olegrio Maciel, 1821,
    Lourdes, perto da Assemblia de Minas.
       

    Como se ligar no programa
    Joo Carlos Amaral ESPECIAL ELEES:
    No cabo NET, ligue no canal 23.
    Na internet:
    www.redesuper.com.br 
    e clique no cone assista on line 




                                                           MFagundesG





                                      Mrcio Fagundes




    L estaremos, eu e o jornalista poltico Mrcio Fagunde,
     analisando o resultado, voto a voto.
    Conosco, na segunda fase da cobertura
    teremos o cientista poltico Ricardo Guedes,
    dono do Instituto Sensus, aqui de BH.





    ATENO!!!




    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 31, 2010

    BIJOUX by Csar Romero da Tribuna de Minas.

                                   EXPOSIO DE JOIAS E RELGIOS NO CLUB MED

    Considerado o maior e mais importante evento do setor, a 28 Firja Feira Internacional de Relgios, Joias e Afins movimentou o Club Med de Rio das Pedras, que passou por uma grande reforma, priorizando um novo e colorido 'layout' de seus 324 quartos, alm de mudanas tambm na rea de gastronomia. Scia da Eames Joias, Vnia de Landa (na foto com o 'chef de village', o marroquino Azi Ait Itto e a francesa Melaine Gajac) marcou presena na feira, que teve atraes especiais como a comisso de frente nota 10 da Unidos da Tijuca (com o incrvel show de ilusionismo) e a afinadssima bateria. Alis, entre os cem GO's, destaque para a juizforana Regiane Faia (foto), que faz sucesso no Clube Md.




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 31, 2010

    BITUCA homenageado em Juiz de Fora. Registro pinado da coluna do nosso amigo, Csar Romero da Tribuna de Minas.




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 30, 2010

    FIM DO PESADELO!!! Depois de 200 mortes finalmente teremos segurana no Viaduto das Almas - agora da VIDA!!! * Vale conferir matria publicada hoje no jornal ESTADO DE MINAS, aqui de BH.

    Pontilho que substitui o Viaduto das Almas inaugurado

    Paulo Henrique Lobato - Estado de Minas










    O traado do novo viaduto, a largura das pistas, a rea de escape e as muretas laterais reforam a esperana de viagens mais seguras (Marcos Michelin/EM/D.A Press)
    O traado do novo viaduto, a largura das pistas, a rea de escape e as muretas laterais reforam a esperana de viagens mais seguras


    Com pouco mais de duas horas de atraso, o temido Viaduto Vila Rica, mais conhecido como Viaduto das Almas, foi aposentado, no incio da noite de tera-feira, quase 54 anos depois de inaugurado, em 1 de fevereiro de 1957. O antigo elevado foi desativado assim que o ministro dos Transportes, Paulo Srgio Passos, liberou o trnsito no Viaduto Mrcio Rocha Martins, construdo a dois quilmetros da antiga e perigosa passagem, no km 592 da BR-040, em Itabirito, a 50 quilmetros de Belo Horizonte. A cerimnia foi simples e espera-se que tenha sepultado uma histria de tragdias em Minas Gerais. A Unio Brasileira dos Caminhoneiros estima que pelo menos 200 vidas foram tragadas pelo Vila Rica.

    "Tenho a satisfao de entregar o novo viaduto, reconhecido por todos os mineiros como uma obra importante", destacou o ministro, que autorizou a liberao do trnsito sob uma chuva fina. Se houvesse chegado no horrio marcado pelo prprio Ministrio dos Transportes para desativar o Vila Rica, s 17h, se encantaria com um arco-ris que foi 040 se despedir do macabro Viaduto das Almas. Apesar do atraso, a inaugurao do Mrcio Rocha Martins foi muito comemorada por quem dedicou os ltimos anos aposentadoria do velho pontilho.


    "S quem presenciou os acidentes no Viaduto das Almas sabe o que estamos sentindo agora", disse emocionado o presidente da Unio Brasileira dos Caminhoneiros, Jos Natan, de 60 anos, que soltou foguetes para dar as boas-vindas ao novo elevado. Ele tem 460 metros de extenso por 21 metros de largura, com duas pistas em cada sentido. J o velho viaduto, que tem 9 metros de largura e 262 metros de comprimento. Foi erguido em curva, a 30 metros do solo. Os nmeros no deixam dvida do perigo para as quase 20 mil pessoas que o atravessavam diariamente.

    Desde 12 de setembro, a pista para o Rio de Janeiro estava liberada para o trnsito, mas a abertura das faixas em direo a BH fecha o ciclo de desastres do antigo Vila Rica. At janeiro, pequenas intervenes sero feitas no trecho, como a construo de bueiros, mas nada que signifique risco vida. O motorista Dilson Lopes foi o primeiro a atravessar a nova pista. Recebido pelo ministro, ele agradeceu a obra, mas disse que era a primeira vez que estava naquele trecho da 040: "Nunca passei pelo Viaduto das Almas, pois sou baiano. De qualquer forma, agradeo pela segurana".





    J o taxista Everaldo Batista da Silva, de 54, recorda que, por diversas vezes, sentiu um calafrio na espinha ao cruz-lo. "Foi desativado tarde, mas antes agora do que nunca", diz ele, que, h poucos anos, passava pelo Vila Rica pelo menos trs vezes por semana. Ele poucos meses mais velho do que o Viaduto das Almas, batizado com este nome em razo do crrego homnimo que corre sob a estrutura erguida em curva. Em 1974, cedendo presso popular, os militares, que governaram o pas de 1964 a 1984, mudaram o nome para Vila Rica, em homenagem a Ouro Preto.

    O novo batismo ocorreu depois de o local ter registrado pelo menos dois grandes acidentes. Em 1967, um nibus da Cometa no conseguiu atravess-lo: 14 pessoas perderam a vida. Uma das vtimas foi a atriz Zelinha, que apresentava o programa infantil Roda gigante, nas manhs de domingo na extinta TV Itacolomi. Em 1969, outro nibus-leito da mesma empresa caiu no abismo: 30 mortos. Nele estava o cantor Mrcio Albertini, que fazia dupla com o irmo Claudin, no programa Brasa-4, tambm da Itacolomi. Os dois voltavam do Rio de Janeiro, onde foram gravar algumas apresentaes. Quatro anos antes de morrer, o msico havia escrito algumas frases em seu dirio que deixaram os fs perplexos, pois, segundo familiares, Mrcio teria previsto a prpria morte.

    Seu texto dizia o seguinte: "A famlia de Mrcio Albertini sente-se consternada ao comunicar seu falecimento ocorrido hoje e comunica a seus amigos que o fretro sair de dentro de seu prprio corpo e (que) sua alma ser levada para o alm, esperando a possvel chegada da felicidade que ele, aqui, conheceu e a perdeu de forma chocante". Naquele mesmo nibus, um bilhete chamou a ateno dos bombeiros que socorreram os feridos: "Ins, se voc soubesse o quanto te amo. Sofro quando tu me desprezas. Ah! Ins, como te amo. Seu eterno Paulo Csar Novais Costa". Na lista de vtimas havia uma passageira com o nome Maria Ins Dionsio, possvel destinatria das palavras de amor.

    Futuro


    O governo federal ainda no sabe o que far com o velho Vila Rica. Hoje, o engenheiro-supervisor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Alexandre Oliveira, encaminhar um ofcio Unio informando que o antigo viaduto est desativado. "Se depender de mim, poderia ser um ponto turstico." J a Unio Brasileira dos Caminhoneiros tem outra proposta: "Enviamos um pedido ao presidente Luiz Incio Lula da Silva para que o trecho seja destinado a treinamento de caminhoneiros".
    Fim do pesadelo na BR-040 com a desativao do Viaduto das Almas Na quarta-feira, foi oficialmente desativado o elevado cujo charmoso design em curva, elogiado na poca da inaugurao, o transformou em cenrio de muitos acidentes e mortes

    Paulo Henrique Lobato - Estado de Minas








     (Marcos Michelin/EM/D.A Press)
     

    Ele veio ao mundo na tarde do longnquo dia 1 de fevereiro de 1957, com status de celebridade. Tanto que foi batizado, ainda no primeiro dia de vida, por um padrinho ilustre: o ento presidente da Repblica, Juscelino Kubitschek (1902/1976), chegou cerimnia debaixo de um sol que mais lembrava o do deserto do Saara (frica), acompanhado de outros convidados importantes, entre eles Bias Fortes (1891/1971), ex-governador de Minas. O nascimento do Viaduto das Almas, no km 592 da BR-040, na divisa dos limites de Itabirito e Congonhas, na Regio Central, foi prestigiado por uma multido. Naquele mesmo ano, tambm nasceriam outras celebridades, como as atrizes Christiane Torloni (18/02) e Cissa Guimares (18/04) e o comediante Srgio Mallandro (12/12).

    O obiturio do viaduto foi assinado na quarta-feira, quando o ministro dos Transportes, Paulo Srgio Passos, o desativou. A vida do elevado tinha tudo para ser um roteiro de sucesso: usurios e especialistas o consideraram, em razo do seu design em curva, como o trecho mais charmoso da importante rodovia que ligava Belo Horizonte ento capital do pas, Rio de Janeiro Braslia s seria inaugurada em 1960. Todos erraram. Ele fez sua primeira vtima com apenas um ano e cinco meses. Em 20 de julho de 1958, o fazendeiro Jos Alves, de Entre Rios de Minas, na Regio Central, perdeu a vida no local depois de sua caminhonete ser empurrada para fora da ponte por um caminho do Rio.


    Nove anos depois, em setembro de 1967, o viaduto confirmou seu roteiro de filme com final triste. Na primavera daquele ano, um nibus da Cometa, que sara do Rio de Janeiro, derrubou a mureta do elevado, deu uma cambalhota e tocou o solo com as rodas para o ar: 14 passageiros morreram no local. No demorou muito para que outra tragdia ocorresse. Em outubro de 1969, outro veculo da Cometa arrebentou a mureta da ponte e se espatifou no solo. Daquela vez, 30 vidas foram perdidas. De l para c, dezenas de outras tragdias ocorreram.

    O Ministrio dos Transportes e a Polcia Rodoviria Federal (PRF) no tm a estatstica exata de quantas vidas foram assassinadas pelo viaduto, mas reportagens do Estado de Minas confirmam, desde 1957, pelo menos 75 bitos. J a Unio Brasileira dos Caminhoneiros estima que pelo menos 200 pessoas morreram l. Desde quarta-feira, quando o Viaduto das Almas foi substitudo pelo Viaduto Mrcio Rocha Martins, a expectativa que nenhuma outro motorista ou passageiro seja vtima do trecho, pois o novo tem dimenses 460 metros de extenso por 21 metros de largura muito mais seguras do que as do antigo: 262 metros de comprimento por 9 metros de largura. Mas a principal diferena o design, agora em linha reta.

    Agonia

    Apesar de aposentado esta semana, a agonia do macabro elevado comeou no fim da dcada de 1990, quando se soube que seu destino estava com os dias contados. Em 1998, o governo federal decidiu tirar a antiga ponte de cena e encomendou um projeto executivo para a construo do novo viaduto. Os investimentos em manuteno no trecho comearam a secar, pois a inteno da Unio era destinar todo montante possvel para o futuro elevado, batizado com o nome de um engenheiro mineiro. Contudo, as obras s comearam em 2006.

    Por seis vezes, a aposentadoria do Viaduto das Almas foi anunciada pelo governo. Primeiro, culpou-se a chuva pelo atraso. Depois, a uma eroso prxima ao elevado, obrigando os engenheiros a calcular outra rota para o trecho. Por fim, o vilo da histria foi o desmoronamento de uma encosta a poucos metros da cabeceira da futura ponte. Na quarta-feira passada, porm, o obiturio do perigoso pontilho foi confirmado.


    Assim como ocorreu na data em que ganhou vida, sua morte para o trfego tambm foi noticiada por dezenas de veculos de comunicao. Novamente, muitas autoridades compareceram BR-040. Desta vez, porm, por fazer questo de dar o ltimo adeus ao macabro elevado. "Tenho a satisfao de entregar o novo viaduto, reconhecido por todos os mineiros como uma obra importante", comemorou o ministro dos Transportes.

    O vice-prefeito de BH, Roberto Carvalho (PT), uma das lideranas municipais que mais defendeu, em Braslia, a aposentadoria do viaduto, tambm esteve no local: " uma vitria tardia, mas que veio". Quem mais vibrou com a inaugurao do novo elevado, no entanto, foi Jos Natan, presidente da Unio Brasileira dos Caminhoneiros. Depois de soltar cerca de 10 foguetes, o experiente motorista, de 60 anos, ressaltou que "s quem viu as tragdias de perto pode ter ideia do que representa o fim do pesadelo".

    s 19h10 do dia 26 de outubro de 2010, o velho viaduto comeou a descansar em paz. No tinha mais a fama e a glria de 1957, ano em que tambm nasceu um dos maiores viles da histria mundial, Osama Bin Laden (10/03).

    Certido de nascimento

    O Viaduto das Almas foi batizado com o nome do crrego que passa em baixo da estrutura do velho pontilho. J o nome do fino leito d'gua est ligado a uma lenda da regio, a de que, em dias de neblina, o crrego habitado por almas. Em 1974, depois de dois nibus da Cometa terem despencado da ponte, o governo decidiu mudar o seu nome. A grafia escolhida foi Viaduto Vila Rica, homenagem a Ouro Preto.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 30, 2010

    O FATO de maior dimenso em 2010 na rea de hotelaria nacional.

    EXPANSO DA ALLIA HOTELS
    DEVE ATRAIR INVESTIMENTOS DE R$ 1 BILHO
    Resultado da aliana entre as redes Bristol, Plaza Inn e Solare,
    a maior rede de hotis do Brasil
    de capital totalmente nacional
    planeja atingir 100 empreendimentos administrados
    at 2015 

    A Allia Hotels, resultado da unio de trs grandes grupos hoteleiros nacionais a rede mineira Bristol Hotels, a paulista Plaza Inn e a maranhense Grupo Solare , cuja criao est sendo anunciada oficialmente hoje (20/10), na abertura do 38 Congresso Brasileiro de Agncias de Viagem (Abav 2010 e Feira das Amricas, no Rio de Janeiro), inicia operaes com um plano ousado de expanso. Com 40 hotis em operao hoje e mais de 3.000 unidades habitacionais (UHs), a Allia Hotels prev a captao de cerca de R$ 1 bilho at 2015 para abertura de 60 novos empreendimentos e modernizao dos atuais.
    Desse total, R$ 450 milhes j esto contratados junto a parceiros estratgicos, como investidores e incorporadores, e destinam-se construo de 30 hotis at 2014, alcanando 32 destinos tursticos em nove Estados, entre os quais Rio de Janeiro, Cear e Alagoas. Com isso, a marca Allia passar a contar com 70 hotis sob sua administrao, dos quais 29 sero da bandeira Bristol (hoje so 16); 24 da Solare (atualmente so 12) e 17 da Plaza Inn (hoje com 12 hotis). Sero abertas mais 4.511, unidades habitacionais, o que ampliar o nmero de unidades das atuais 3.038 para 7.549 UHs no pool, at o final de 2014.
    A maior parte destes empreendimentos ser na categoria econmica nesta, sero abertas cerca de 1.300 unidades habitacionais - e super econmica esta dever contar com 1.400 UHs.O plano de expanso da Allia, contudo, vai mais alm. "Nossa previso captar mais R$ 450 milhes at 2015, junto a investidores e incorporadores, instituies financeiras e mercado de capitais, para abertura de outros 30 empreendimentos", conta Andr Monegaglia, diretor presidente da Allia Hotels.
    Tambm est previsto investimento R$ 100 milhes nos prximos cinco anos para modernizao dos hotis j em operao.
    Com a realizao desses investimentos a Allia Hotels projeta alcanar R$ 2 bilhes em patrimnio administrado, que hoje est avaliado em cerca de R$ 800 milhes.
    O nmero de hspedes, que atualmente soma aproximadamente um milho de turistas atendidos ao ano, com 700 mil dirias comercializadas, dever ser ampliado para 2,7 milhes em 2014, atingindo 1,8 milho de dirias vendidas. 
    Opo econmica para o turismo de negcios 
    A maior parte dos negcios da Allia Hotels est concentrada no turismo de negcios, com foco em empresas que esto ampliando suas atividades e vendas em todo o Pas e buscam uma opo econmica e de qualidade para hospedar os colaboradores do nvel gerencial e operacional e prestadores de servios.
    Nos finais de semana, em contrapartida, o movimento maior o turismo de lazer, com foco nos pblicos das classes B e C, que tambm buscam tarifas competitivas, boa localizao e qualidade de hospedagem.
    Com o crescimento da economia brasileira e o aumento do poder aquisitivo, alm das perspectivas positivas geradas pela Copa do Mundo de 2014 e as Olimpadas de 2016, a Allia Hotels definiu seu plano de investimentos com o objetivo de se posicionar como a melhor opo de hospedagem para os diversos pblicos.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 30, 2010

    Dinheiro alemo para o clima de Minas.

    Governador assina memorando
    para atenuar mudana climtica


    Wellington Pedro/Imprensa MG
    Anastasia; diretor do Bird, Markhtar Diop; e o diretor do KfW, David Rusnok
    Anastasia; diretor do Bird, Markhtar Diop;
    e o diretor do KfW, David Rusnok
     
    O governador Antonio Anastasia assinou nesta sexta-feira (29), com o Banco KfW, da Alemanha, e o Banco Mundial (Bird), Memorando de Entendimento para adoo de medidas junto s indstrias florestal, do ferro e do ao, para atenuar a mudana climtica. Este o primeiro ato assinado no Brasil, no mbito do Protocolo de Kyoto, com base no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL). A medida, que indita, pioneira no Brasil, vai criar condies para o desenvolvimento sustentvel da indstria de Minas, nesses setores, ampliando o uso de carvo vegetal oriundo de reflorestamento.
    O Protocolo de Kyoto permite que governos e empresas das naes desenvolvidas, por serem os maiores responsveis pelo efeito estufa, comprem redues de emisses realizadas nas naes em desenvolvimento (os chamados crditos de carbono) por meio do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL).
    "Estamos utilizando um mecanismo que muito inteligente, dos crditos de carbono, atravs do Protocolo de Kyoto, voltado ao setor privado, para que faa o reflorestamento. E Minas Gerais tem um grande espao para o reflorestamento. Sero recursos colocados por empresas internacionais para cumprir o Protocolo de Kyoto e fazer reflorestamento em Minas, gerando emprego e riqueza aqui", afirmou o governador Antonio Anastasia em entrevista, aps a assinatura no Memorando, no Palcio das Mangabeiras.
    O secretrio de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel, Jos Carlos Carvalho, explicou que a inteno do Governo de Minas levar o programa para outros setores da indstria, por meio da adoo do MDL programtico. "Significa que poderemos ter um conjunto de financiamento via Protocolo de Kyoto para um determinado seguimento. Com isso, vamos poder juntar as empresas e fazer um projeto nico, que vai corresponder ao conjunto da demanda dessas empresas. At ento, todo o financiamento era empresa por empresa", disse o secretrio.
    Meta mineira
    Jos Carlos Carvalho afirmou que o Memorando de Entendimento responde a uma realidade mineira, que a necessidade de criar condies para o desenvolvimento sustentvel. "Estamos abrindo, hoje, uma porta para o financiamento internacional para toda a siderurgia a carvo vegetal do Estado, para definitivamente fazer com que Minas tenha uma siderurgia que opere exclusivamente com consumo de carvo vegetal de floresta plantada, zerando o consumo de carvo vegetal de floresta nativa, que o grande problema que queremos resolver com essa iniciativa", explicou o secretrio.
    O programa de mitigao de mudana climtica poder representar R$ 500 milhes em recursos, gerados com a venda do crdito de carbono, pelas indstrias mineiras, aos bancos KfW e o Bird.
    "Quando voc usa carvo mineral, voc emite duas vezes mais CO2 do que quando usa carvo vegetal. E quando substitui o carvo vegetal de floresta nativa para plantada, voc tem outro ganho na reduo de emisses, porque o desmatamento uma grande atividade emissora de dixido de carbono. Ento, estamos contemplando essas trs fases, razo pela qual o prprio Banco Mundial e o KfW declararam aqui o ineditismo dessa iniciativa e a importncia do seu pioneirismo", disse Jos Carlos Carvalho.
    Aes de apoio
    Com o memorando, o Governo de Minas, o KfW e o Banco Mundial se comprometem a desenvolver um programa de aes para estimular a reduo de emisso de gases e remoes lquidas de gases de efeito estufa nas cadeias de fornecimento na indstria florestal, do ferro e do ao.
    Entre as aes previstas, no mbito do governo estadual, esto a intensificao e facilitao do acesso a instrumentos de crdito gerenciados pelo Estado, destinados indstria florestal e de ferro. Um desses instrumentos o Fundo Pr-Floresta, gerido pelo BDMG. O Governo de Minas apoiar a implantao de novos instrumentos de crdito em parceria com instituies financeiras nacionais e internacionais. Tambm sero avaliados incentivos regulatrios para os participantes do programa, incluindo extenses durao de licenas ambientais.
    O Memorando de Entendimento prev que o Banco Mundial participar do programa por meio de apoio tcnico e recursos financeiros, incluindo doaes para atividades de capacitao, avaliao de risco de cada projeto potencial, auditorias de validao, execuo de projetos. O banco tambm se compromete a comprar unidades de reduo ou remoo de emisso de gases.
    Pioneirismo mineiro
    Est em Minas Gerais o primeiro projeto brasileiro de reflorestamento relacionado aos crditos de carbono. Desenvolvido pela empresa mineira Plantar Carbon, com apoio do Governo do Estado, o projeto obteve a aprovao da ONU (Organizao das Naes Unidas) em setembro deste ano, por meio do Conselho Executivo do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) do Protocolo de Kyoto.
    Com base no MDL, a empresa ligada ao Grupo Plantar se tornou a primeira do setor de gesto florestal e siderurgia a utilizar 100% de carvo vegetal de florestas plantadas na produo siderrgica. O primeiro acordo de comercializao dos crditos foi feito com o Banco Mundial, para a venda de 1,5 milho de toneladas de CO2 por US$ 5 milhes.
    Segundo clculos da Plantar, uma tonelada de ferro gusa produzido com carvo mineral emite 1,9 toneladas de CO2 para a atmosfera. J uma tonelada de ferro-gusa produzido com carvo vegetal resgata 1,1 toneladas de CO2 a mais da atmosfera. A concluso que ao considerar as emisses evitadas no processo industrial e o estoque de carbono propiciado pelos plantios sustentveis do projeto, o uso de carvo vegetal de florestas plantadas na produo de ferro gera um ganho ambiental de trs toneladas de CO2 para cada tonelada produzida.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 29, 2010

    Novo estilo.








    NA DEFENSORIA PBLICA ESTADUAL
    DIA DO SERVIDOR PBLICO FOI COMEMORADO
    COM CONFRATERNIZAO
     
     







    servidor20106.jpg





    servidor20101.jpg





    Clique nas fotos para ampli-las




    A tarde do dia 28 de outubro, Dia do Servidor Pblico, registrou um movimento intenso no Salo nobre, no terceiro andar da sede da Defensoria Pblica, em Belo Horizonte. Cerca de 180 servidores e defensores tiveram a oportunidade de se confraternizar no I Encontro da Defensoria Geral com Servidores e Defensores, em comemorao data. No programa, a palestra da psicopedagoga e psicloga organizacional, Roseli Coimbra; apresentao teatral do Grupo Valores de Minas (Programa Ambientao/Kit), sorteio de brindes (Editora Ediouro, Distribuidora Azeredo Diniz Ltda., Silva Distribuidora/Nestl, Produtos Viosa/Doce de Leite), apresentao da Banda da Polcia Militar de Minas Gerais e coffee-break.

    Futuro promissor


    servidor20102.jpg



    A Defensora Geral, Andra Tonet, abriu o evento, agradecendo a presena de todos para o momento de aproximao entre servidores e defensores e expressou tambm a confiana de que todos continuaro colaborando para o crescimento e o fortalecimento da Instituio, da qual ela se orgulha de estar frente. Na ocasio, a DPG ainda anunciou a implantao do plano de carreira e concurso para a atividade-meio e finalizou parabenizando a todos e passando a palavra ao Corregedor Geral da DPMG.

    Tarefa nobre



    servidor20103.jpg





    O Corregedor Eduardo Vieira Carneiro foi o segundo a deixar sua mensagem aos presentes. Depois de parabenizar a Defensora Geral pela iniciativa do Encontro e saudar o novo assessor de comunicao, Joo Carlos Amaral, e demais participantes, explicou a etimologia da palavra servidor, que significa aquele que serve, aquele que cumpre com rigor e zelo o que tem a fazer.

    Eduardo Carneiroconsiderou que no somos servidores por acaso, mas sim por vocao e que tarefa nobre o exerccio de servir ao pblico, sobretudo quando esta funo est intimamente ligada ao hiopossuficiente, principal destinatrio de nossos servios. Em seguida, o Corregedor apresentou os nmeros de atendimento pela Defensoria Pblica, no perodo de janeiro a setembro deste ano, a despeito de todas as dificuldades de ordem material e de pessoal, o que demonstra a imprescindibilidade da contribuio de servidores e defensores da Casa: foram 184.320 atendimentos, o que confere uma mdia de 20 mil atendimentos por ms e de 682 pessoas por dia. Ao final, o Corregedor Eduardo deixou uma mensagem do escritor Michel de Montaigne: "A mais honrosa das ocupaes servir ao pblico e ser til ao maior nmero de pessoas."

    A marca



    servidor20104.jpg



    No evento tambm foi feita  a apresentao do novo assessor de Comunicao Joo Carlos Amaral, que exps as linhas gerais do seu projeto, enfatizando a importncia do treinamento de defensores pblicos, no interior, de como lidar com a mdia (postura, gestos, ferramentas), a comunicao interna, para tornar a ao comum entre todos os membros da DPMG; a continuidade dos fluxos de comunicao voltada para uma conexo de 360 graus; e, principalmente, dar densidade e visibilidade a marca Defensoria Pblica.

    Motivao e amor




    servidor20108.jpg



    A psicloga Roseli Coimbra, inicialmente, agradeceu o convite e tentou interagir com a platia que, a princpio, reagiu timidamente. Em resumo, ela enfocou a motivao, a expectativa, a frustrao, o sonho, o objetivo, o estmulo e o amor, numa cadeia de entendimento do que move a postura do funcionrio. Ela deixou claro que pior do que fazer uma coisa que a gente no gosta, fazer essa mesma coisa repetidamente, alm de estimular a todos para a busca das prprias potencialidades a fim de que as atividades sejam realizadas com amor, com felicidade.





    servidor20107.jpg

    servidor20109.jpg



    servidor201010.jpg





    Msica e Teatro

    A banda PM de Minas executou msicas da MPB e marchinhas. Agradou em cheio o pblico. Teve tambm teatro: as atrizes Gislaine Reis e Pamela Rosa, ex-alunas do Grupo Teatral Valores de Minas, apresentaram uma atividade ldica, com o tema ambiental. Destacaram de maneira bem-humorada as vrias maneiras de evitar desperdcios de energia eltrica, papel, copos. E deram dicas de como reutilizar as embalagens dos produtos consumidos no nosso dia a dia. Tudo dentro da filosofia do Programa Ambientao governo do Estado, que est implantado na prpria sede da Defensoria Pblica, aqui em BH.

    Repercusso:


    DPG ANDRA TONET:
    "O evento foi super positivo: as pessoas se confraternizaram. Acho que os exemplos propostos, as palestras, a banda, a apresentao do teatro, foi tudo muito positivo e espero que todo mundo tenha gostado. O objetivo principal foi a confraternizao. Foi um momento para o servidor e o defensor pblico ficarem mais prximos, conversar, sair um pouco daquela rotina esmagadora, que a Defensoria Pblica tantas vezes cobra da gente. Acho que o objetivo foi cumprido, pois vi aqui muita gente sorrindo, conversando fora do ambiente de trabalho e o objetivo era justamente confraternizar e fazer esta homenagem ao funcionrio pblico e os nossos servidores so to queridos e acho que merecido."

    DEFENSOR PBLICO EGBERTO BATISTA CAMPOS: Achei magnfico! A festa foi interessante, uma oportunidade de motivar os funcionrios, os defensores, isto muito necessrio. H tempos que a gente nota que era preciso alguma iniciativa neste sentido. A integrao com os funcionrios exemplar e o que achei mais interessante, foi colocado, que a marca "Defensoria Pblica" deve ser mais conhecida. Isso me soou de bom grado e acho que algo pelo qual temos que zelar e continuar. Ento, eu desejo bastante sucesso comunicao. Parabns!"



    servidor201011.jpg





    RAQUEL AGUIAR, psicloga da Diretoria de Recursos Humanos: "Achei muito interessante a fala da Dra. Andra valorizando o servidor, o defensor pblico, neste momento de aproximar, de acolhimento. Isto muito importante para o servidor. O encontro foi muito bem organizado, e gostei de ouvir do Joo Carlos, as questes sobre a comunicao. Como importante a gente saber comunicar interna e externamente e porque a imagem da instituio. A psicloga Roseli Coimbra o tempo todo nos levou a refletir sobre a nossa postura, que a motivao de dentro pra fora e me fez refletir muito sobre como estou na vida, como estou motivada, como estou feliz. Tambm a questo do amor, da busca do amor, da busca da felicidade. Falando da ambientao com o teatro apresentado, percebi como importante ter o cuidado mnimo na questo da reciclagem, do desperdcio da gua, do papel, do copo. Enfim, percebi as pessoas felizes. muito importante ter eventos assim que aproximam os servidores de vrios setores. E sou muito grata tambm por ter sido premiada com este livro, que vai ser dividido no meu setor. Todos os que tiverem interesse em ler, eu vou emprestar."

    NILSON FERREIRA, da Informtica:
    "A palestra foi bastante interessante porque a questo da motivao uma coisa importante para todo mundo e para cada um de ns em particular, para que possamos fazer nosso trabalho com mais amor, com mais dedicao, seja em qualquer rea. A gente tem sempre um por qu para mostrar o nosso trabalho e a nossa capacidade. s vezes, descobrimos que somos mais capazes do que imaginvamos. Tambm a questo do amor, que foi dita na palestra, mas eu penso muito que, acima do amor, est o respeito. Ambos caminham juntos, ambos so importantes, embora  se voc tem o respeito, voc tem tudo. a chave de tudo.  O dia do servidor pblico uma lembrana e todo mundo gosta de ser lembrado. O funcionrio pblico muito criticado, pois as pessoas dizem que aquela pessoa que no faz nada, tem vida boa, mas ns temos que ser valorizados e, acima de tudo, respeitados perante a sociedade. Basta que haja a oportunidade de sermos vistos no nosso dia-a-dia, o que estamos realmente fazendo, para que reconheam o quanto somos importantes para todos, para a sociedade."

    DEFENSORA PBLICA JNIA ROMAN:
    "Acho importante a comemorao do Dia do Servidor, a oportunidade de unir os servidores e os defensores, estarem todos prximos. Importante este momento de confraternizao. Importante uma reunio de trabalho se transformar numa reunio alegre, num ambiente at ldico, com teatro; divertido, com banda. Acho que faz diferena, pois, encontrar com os colegas de trabalho, num ambiente diferente, fora do momento profissional, faz diferena. A gente comea a perceber no outro um pouco mais dele e no s aquele colega de trabalho distante."



    Entrega dos brindes aos premiados





    servidor201012.jpg

    servidor201013.jpg

    servidor201014.jpg

    servidor201015.jpg

    servidor201016.jpg

    servidor201017.jpg

    servidor201018.jpg

    servidor201019.jpg

    servidor201020.jpg



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________
    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 28, 2010

    UFA!!! Ministro Celso de Mello desempata para a FICHA LIMPA, que vale para as eleies deste ano, sim. Notcia pinada de madrugada do site do Supremo Tribunal Federal em Braslia.

    Ficha Limpa:
    renncia caso de inelegibilidade
    para as Eleies 2010


    Ao adotar critrio de desempate proposto pelo decano do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Celso de Mello, no julgamento do Recurso Extraordinrio (RE 631102) interposto por Jader Barbalho, o Plenrio da Corte decidiu pela prevalncia da deciso do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que indeferiu o registro de candidatura do parlamentar para o cargo de senador da Repblica. Os ministros, por maioria de votos (7x3), decidiram aplicar regra do Regimento Interno da Corte segundo o qual, em caso de empate, o ato contestado permanece vlido.
    O ministro Celso de Mello sugeriu que fosse aplicada ao caso, por analogia, a regra contida no artigo 205, pargrafo nico, inciso II, do RISTF (prevalncia do ato questionado), "considerada a prpria presuno de legitimidade que qualifica como atributo essencial os atos estatais". O ministro disse que sua proposta foi apresentada "sem prejuzo da convico" de cada integrante da Corte em relao tese. "Estamos discutindo um outro tema, que a superao do impasse", disse.
    O ministro citou que o mesmo critrio foi adotado no julgamento da Arguio de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) n 46, ocasio em que, devido a um empate em relao no recepo de uma lei, o Supremo decidiu mant-la vlida. "Proponho que, neste caso, subsista a deciso impugnada", concluiu.
    Em relao ao critrio de desempate, a maioria foi formada pelos ministros Celso de Mello, Joaquim Barbosa, Crmen Lcia Antunes Rocha, Ricardo Lewandowski, Ayres Britto, Ellen Gracie e Cezar Peluso.
    Voto de qualidade
    Ficaram vencidos nesse ponto os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Marco Aurlio, por entenderem que ao impasse deveria ser aplicado o critrio do voto de qualidade, pelo presidente do STF. Mendes destacou que se a regra do artigo 205 do Regimento Interno do STF poderia ser adotada por analogia tambm, por analogia, poderia ser utilizada a regra do Habeas Corpus, segundo a qual o empate favorece o autor do pedido.
    Presidente
    "Contra as minhas mais profundas convices, contra decises que repugnam a minha conscincia, eu tenho que me submeter deciso da maioria, aos interesses superiores das instituies e, sobretudo, do Supremo Tribunal Federal", disse o ministro Cezar Peluso, presidente da Corte. " em nome desses princpios  lembrando a frase do nosso sempre ministro Seplveda Pertence  no apenas a Repblica que exige sacrifcio, a instituio do Supremo, que supera a todos ns que passaremos, est acima de qualquer vaidade de carter pessoal", salientou o ministro.
    "Vou aderir, a despeito da minha opinio pessoal, a soluo proposta pelo ministro Celso de Mello", concluiu, apesar de sua reservas quanto a essa soluo. Ao final, Peluso destacou preferir que fosse completada a composio do Tribunal para julgar todos os recursos que dizem respeito mesma matria. "A histria nos julgar, se acertamos ou no", finalizou.
    Critrios no adotados
    Inicialmente, o ministro Celso de Mello exps cinco critrios para definio do resultado do julgamento. Ele citou como possveis regras de desempate aguardar a indicao do dcimo primeiro ministro pelo presidente da Repblica e o voto de qualidade do presidente do STF (artigo 13, inciso IX, alnea "b", do Regimento).
    Tambm foram mencionados os critrios de convocao de ministro do Superior Tribunal de Justia (STJ), considerada inconstitucional em razo de aqueles ministros [do STJ] no terem sido investidos no exerccio da funo de ministro do Supremo, e de adotar soluo contrria pretendida (artigo 146, caput do RISTF, com redao dada pela EC 35/09).
    EC/CG

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 28, 2010

    DE olho nas aes da Defensoria Pblica de Minas.








    Defensora Pblica Geral do Estado,
    Andra Tonet 
    ESTEVE NO CURSO DE EXTENSO
    EM TCNICAS
    DE MEDIAO DE CONFLITOS
     
     




    Ontem, quarta-feira, 27/10, a Defensora Pblica Geral, Andra Tonet, compareceu segunda etapa do Curso de Extenso em Tcnicas de Mediao em Conflitos, quando parabenizou a todos os defensores pelo interesse e pela disponibilidade na participao do evento. Ela ressaltou a importncia da Mediao de Conflitos e da possibilidade da repetio do curso, de forma a atender um nmero cada vez maior de defensores pblicos.

    Segundo os organizadores, a previso de que a prxima edio do mesmo curso se realize nos prximos dias 08 e 11 de novembro, no salo nobre da sede da DPMG, no horrio das 08h00 ao meio-dia.

    Soluo extrajudicial


    A defensora Ana Flvia Oliveira Freitas, de quem partiu a iniciativa de realizao do curso, juntamente, com o Defensor Pblico Frederico Saraiva, informou que, alm de importante no mbito da Defensoria Pblica, o curso de Tcnicas de Mediao em Conflitos atende s recomendaes da Lei Complementar N 132, de 07/10/2009, que prev a promoo, prioritariamente, de soluo extrajudicial dos litgios, visando composio entre as pessoas em conflito de interesses, por meio de mediao, conciliao, arbitragem e demais tcnicas de composio e administrao de conflitos.

    Consenso e objetividade

    O curso de Tcnicas de Mediao de Conflitos (Mdulo Bsico) foi ministrado pela representante da Fundao Nacional de Mediao de Conflitos Sociais, Ana Paula Faria, segundo a qual a mediao visa promover acordo entre pessoas envolvidas em conflitos, de forma consensual.  Para a mediadora, "um dos principais ganhos da mediao a possibilidade de se evitar que o conflito, em questo, seja levado para o poder judicial."

    O defensor pblico Bruno Lombardi, inscrito no curso, referendou a iniciativa da DP e disse acreditar que, "a mediao diminui os processos no judicirio, possibilita acordo de forma objetiva e cumpre, com maior efetividade, os termos acordados entre as partes". O defensor preconizou tambm a importncia do prosseguimento do curso, a fim de otimizar os trabalhos da Defensoria Pblica.



    mediacaoconflitos1.jpg













    Andra Tonet e Ana Paula Faria









    mediacaoconflitos3.jpg











    Andra Tonet, Ana Paula Faria, Ana Flavia Oliveira Freitas e Christiane Neves  Procpio







    mediacaoconflitos2.jpg









    Andra Tonet, Frederico Saraiva e Bruno Lombardi. ( Defensores )











    mediacaoconflitos4.jpg









    Ana Paula Faria e Ana Flvia Oliveira


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 27, 2010

    ALLIA HOTELS vai investir 450 milhes de reais at 2014. Novidade no ramo hoteleiro. SEGREDO foi guardado a sete chaves - segundo o jornalista Schubert Arajo, da Multitexto, que atende o setor de comunicao e marketing da nova rede de hotelaria.

                width=

                Da esquerda para direita: Rogrio Tavares, do Grupo Solare;                   
                Andr Moneglagia, do Grupo Plaza Inn; e Jos Adalto Silva, da Bristol Hotels.

    ALLIA HOTELS NASCE
    A PARTIR DA ALIANA ESTRATGICA
    DE TRS REDES HOTELEIRAS DO PAS

    Trs dos maiores grupos hoteleiros regionais do Pas anunciaram, a criao da Allia Hotels, que passa a ocupar a posio de maior rede de hotis de capital 100% nacional do Pas. Resultado da aliana entre a rede mineira Bristol Hotels, a paulista Plaza Inn e a maranhense Grupo Solare, a nova Allia Hotels j nasce com 40 hotis em operao, mais de 3.000 unidades habitacionais (UHs) e cerca de 1.600 colaboradores.
    Em nmero de hotis, ser a terceira maior rede do Pas, com presena em seis Estados e atuao focada no turismo econmico, alm de empreendimentos da categoria superior e resorts. Sua receita total soma R$ 121 milhes, cifra que deve atingir R$ 150 milhes ainda em 2010.
    A Allia Hotels planeja crescer de forma sustentvel, a exemplo da economia brasileira, com o prestgio regional das trs marcas e sob o impulso da demanda crescente por hotis, bem como das perspectivas positivas geradas pela Copa do Mundo de 2014 e as Olimpadas de 2016.
    As empresas mantero suas respectivas bandeiras, operando sob a marca corporativa Allia Hotels.

    No prazo de dois anos, est prevista a ampliao da aliana entre as trs empresas. A rede ser presidida por Andr Monegaglia e contar com um Conselho de Administrao e comits gestores atuando a partir das melhores prticas de governana corporativa.
    De olho no crescimento acentuado da demanda, a marca Allia Hotels que uma abreviao da palavra aliana e significa sorte em latim j definiu seu plano de expanso. Esto confirmados investimentos de R$ 450 milhes at 2014, em contratos j captados junto a investidores e incorporadores. Os recursos sero aplicados na construo de 30 novos hotis, prevendo-se captao complementar de novos recursos junto ao mercado.
    "Essa aliana nos dar mais flego para crescer e investir em expanso, no momento em que as perspectivas so muito favorveis para o setor hoteleiro e do turismo, alm de incrementar a capacidade de gesto de nossos empreendimentos", destaca Andr Monegaglia.
    Em 2014, a Allia Hotels j planeja contar com 70 hotis. No mesmo perodo, o quadro de funcionrios diretos mais que duplicar, para 3.400 pessoas.
    Os presidentes da Bristol Hotels, Jos Adalto Silva; da rede Plaza Inn, Claudio Monegaglia; e do Grupo Solare, Rogrio Tavares, comearam a negociar a aliana h cerca de nove meses, com o objetivo de ampliar a escala de suas operaes, o leque de servios e as regies de atuao.
    Vrios fatores contaram a favor da unio das operaes, entre eles, o perfil dos hotis voltados ao padro executivo mdio, que oferecem conforto, segurana, convenincia e uma excelente relao custo x benefcio para os seus hspedes.  A taxa de ocupao mdia, que em 2009 atingiu 62%, deve evoluir para 65% ainda em 2010.
    As trs redes vo atuar inicialmente por meio de parcerias nas reas de reservas, comercial, de tecnologia e marketing, com padronizao de operaes, ferramentas e polticas corporativas, com ganhos de escala e sinergia.
    A estrutura da Allia Hotels conta com cinco escritrios centrais, em So Paulo, Ribeiro Preto, Vitria, Belo Horizonte e So Lus, aos quais somam-se outros quatro escritrios regionais de vendas, localizados no Rio de Janeiro, Goinia, Belm e So Jos do Rio Preto.
    Para aumentar ainda mais sua fora de vendas, a rede tambm possui seis representantes regionais de vendas, baseados em Salvador, Braslia, Fortaleza, Recife, Porto Alegre e Cuiab, totalizando 58 profissionais, coordenados por um Comit Gestor. Tudo isto permitir uma capilaridade enorme de vendas e um gerenciamento alinhado com as tcnicas mais modernas de gesto.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 27, 2010

    A TAP: h dois anos e meio liga BH Europa, via Portugal. O Gerente Regional CARLOS DIAS revela todos os detalhes no nosso TALK SHOW na Rede Super, canal 23 a cabo nesta quarta-feira, s 20 horas.

    HOJE 8 da noite na REDE SUPER voc tem encontro marcado com o TALK SHOW do Joo Carlos Amaral. Para ASSISTIR o programa s colocar sua TV sintonizada no canal 23 a cabo em BH. E pela internet: www.redesuper.com.br ( clicar no cone ASSISTA ON LINE). 

                       }A secretria rica Drumond e o gerente da TAP, Carlos Dias, durante visita  Setur

    O simptico e competente Gerente Regional da TAP em Minas, CARLOS DIAS,
    e a secretria de Estado de Turismo, rica Drumond.

     Nosso entrevistado
      o Gerente Regional
    da TAP em Minas CARLOS DIAS.

    Ele faz um balano dos 2 anos e  emio da chega da TAP
    ligando em direto BH a Lisboa em conexo com toda a Europa.
    Ele faz grandes revelaes.

    Carlos Dias destaca as riquezas
    e as belezas de Minas e o intercmbio com seu pas, Portugal.
    No falta a tintura business.
    Muitas empresas
    usam os avies da TAP
     para enviar mercadorias para a Europa via Lisboa,
    como as deliciosas mangas,
    que os prprios portugueses se encarregam de consumir,
    com muito gosto!!!
    No deixando que eleas cheguem ao paladar parisiense!!!
    Mais detalhes?
    Ora pois, pois, assista a entrevista que est uma beleza.


    A entrevista vai atingir 16 milhes de parablicas
    pelo mais novo satlite da REDE SUPER,
    o STAR ONE C2
    que manda sinal para todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxixo e Flrida.




    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.
     

    ATENO!!!


    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 27, 2010

    HOJE, quarta-feira, na AMAGIS, aqui em BH.

    AMAGIS homenageia,dia 27,
    Itamar Franco,
    Carlos Mrio Velloso
    e Danilo de Castro.

                                                                  
    Amagis homenageia autoridades 
    O ex-presidente da Repblica e senador eleito Itamar Franco, o ex-presidente do STF Carlos Veloso e o ex-secretrio de Governo Danilo de Castro sero homenageados pela Associao dos Magistrados Mineiros (Amagis), com sua honraria oficial, no prximo dia 27.
    Representantes dos Trs Poderes, eles recebero a medalha Desembargador Guido de Andrade, s 19h30, na sede da Amagis, no Bairro Cruzeiro, em Belo Horizonte. 
    Em sua 4 edio, a honraria oficial da Amagis homenageia, anualmente, personalidades e instituies pblicas e privadas que, por suas qualidades e valores, prestaram relevantes servios Associao e ao fortalecimento da magistratura mineira.
    Em 2009, foram agraciados os ministros aposentados do STF Clio Borja e Francisco Rezek; o deputado estadual, Durval ngelo Andrade, e o vice-governador ( poca) Antnio Augusto Anastasia (hoje governador reeleito).
    O desembargador Jos Guido de Andrade, que d nome honraria da Amagis, foi um dos lderes da magistratura mineira. Sua morte, em 2004 representou uma grande perda para a classe, mas no apagou as boas memrias de suas lutas e conquistas em favor de todo o Poder Judicirio.
    Entrega da Medalha Condecorativa
    Comenda Desembargador Guido de Andrade
    Data: 27 de outubro de 2010
    Horrio: 19h30
    Local: Salo de Festas da Amagis - Rua Ouro Fino, 367 Bairro Cruzeiro /
    Belo Horizonte - MG
    Credenciamento e informaes na Assessoria de Comunicao da Amagis
    (31) 3079-3487 Georgia Bavaroff
    (31) 3079-3453 Bruno Gontijo

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 27, 2010

    RETA FINAL aponta Dilma (56%) na frente de Serra (44%) diz o Instituto paulista DATAFOLHA. Nota pinda do jornal Hoje em Dia de Belo Horionte.

    Dilma mantm
    12 pontos de vantagem
    sobre Serra


    DATAFOLHA: 26/10/2010
    Petista aparece com 56% dos votos vlidos,
    contra 44% do adversrio do PSDB

    VOX POPULI: 25/10/2010
    Dilma 57%
    Serra  43%






    AFP


    dilma_serra


    Com este resultado, Dilma venceria Serra e seria eleita presidente do Brasil



    A candidata do PT Presidncia aparece 12 pontos frente de Jos Serra (PSDB) a cindo dias do segundo turno. Pesquisa Datafolha divulgada nesta tera-feira (26) mostra Dilma com 56% dos votos vlidos, contra 44% de Serra neste cenrio, brancos e nulos so descartados. A margem de erro da pesquisa de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.
    Na contagem geral, a candidata do PT tem 49% e o tucano aparece com 38%. Brancos e nulos somam 5% e indecisos chegam a 8%, de acordo com a pesquisa. Com este resultado, Dilma seria eleita sucessora do presidente Luiz Incio Lula da Silva.
    Na ltima sondagem do Datafolha, divulgada no dia 22 de outubro, Dilma aparecia com 12 pontos de vantagem sobre Serra: 56% contra 44% dos votos vlidos.
    A pesquisa mais recente de inteno de voto para a Presidncia foi divulgada na segunda-feira (25) pelo Vox Populi. O instituto apontou uma vantagem de 14 pontos para a petista, que aparecia com 57% dos votos vlidos, contra 43% de Serra.
    O Datafolha ouviu 4.020 eleitores nesta tera-feira. A sondagem foi feita a pedido do jornal Folha de S.Paulo e da Rede Globo. O registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi feito no dia 21 de outubro com o nmero 27.404/2010.









                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 26, 2010

    Hoje e amanh curso de Mediao de Conflitos para defensores(as) da capital e interior na sede da Defensoria Pblica em Belo Horizonte.








    DEFENSORES PBLICOS
    PARTICIPAM DO CURSO
    DE CAPACITAO
    EM TCNICAS DE MEDIAO
     
     





    mediacao.jpgA Defensoria Pblica de Minas Gerais realiza curso de extenso em Tcnicas de Mediao de Conflitos, a ser ministrado pela Fundao Nacional de Mediao de Conflitos. Sero disponibilizadas cinco vagas para os Defensores Pblicos do Ncleo de Atuao Extrajudicial e outras quinze para os demais Defensores da Capital e do interior.

    A iniciativa do curso partiu dos Defensores Pblicos Ana Flvia Oliveira Freitas e Frederico de Souza Saraiva, que atuam no Ncleo Extrajudicial da Capital, e decorre da necessidade de capacitao dos Defensores para a soluo extrajudicial de conflitos, em consonncia com as novas diretrizes da Lei Complementar 80/94, com a redao dada pela Lei Complementar 132/2009, que prev, dentre as funes institucionais da Defensoria Pblica, a priorizao da "composio entre as pessoas em conflito de interesses, por meio de mediao, conciliao, arbitragem e demais tcnicas de composio e administrao de conflitos".

    O curso se dar em duas etapas: hoje, dia 26 e 27 de outubro, no Salo Nobre da sede da DPMG (3 andar), em Belo Horizonte.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 26, 2010

    DE OLHO nos votos dos presos.

    VINTE MIL PRESOS E INTERNOS
    PODEM VOTAR NO DOMINGO  
     
        
    O segundo turno das eleies, que acontece neste domingo (31/10), vai contar com a presena de cerca de 20 mil presos. Detentos em regime provisrio e adolescentes internados que cumprem medidas socioeducativas podero exercer o direito de voto. Uma resoluo do Tribunal Superior Eleitoral estabeleceu a instalao de sees eleitorais especiais em unidades prisionais.
    Apenas Gois no vai fazer as eleies.
    No primeiro turno, 424 presdios e unidades de internao de 25 estados e do Distrito Federal se preparam para permitir que encarcerados provisrios e menores internos escolham seus candidatos. O mesmo deve acontecer agora.
    A Constituio Federal, em seu artigo 15, inciso III, determina que so impedidos de votar apenas os presos que tiverem contra si "condenao criminal transitada em julgado, enquanto durarem seus efeitos".
    Alm dos presos provisrios e menores internados, tambm podero votar nesses locais os servidores do sistema penitencirio, membros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ministrio Pblico, Defensoria Pblica e mesrios, entre outros servidores que estaro colaborando com a Justia Eleitoral.
    Com o objetivo de regulamentar o voto de presos, foi apresentada a Proposta de Emenda Constituio 65/03 com o objetivo de regulamentar o voto de presos. A proposta d nova redao ao artigo 14 e revoga o inciso III do artigo 15 da Constituio para permitir o voto facultativo dos presos, mantendo a sua inelegibilidade.
    A matria, no entanto, recebeu parecer pela rejeio da Comisso de Constituio e Justia e s continua a tramitar devido a um requerimento assinado por dez senadores para que seja avaliada no Plenrio, onde aguarda ser includa em pauta. Com informaes da Assessoria de Comunicao do TSE.
    Fonte: Conjur


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 24, 2010

    Sindicato do Comrcio de Barbacena tem novo presidente. O jovem Osvaldo Fernandes Pereira Jr. * Registro do colunista Idinando Borges do www.barbacenanews.com

    Idinando Borges






    O Sindicato do Comrcio de Barbacena, que este ano completa 37 anos, realizou nas dependncias do Hotel Grogot a posse da nova diretoria, tendo como Presidente o empresrio Osvaldo Fernandes Pereira Jnior. Natural de Curvelo, Osvaldo comeou sua vida profissional muito cedo no ramo de calados nos negcios da famlia.
    H mais de 20 anos em Barbacena, onde conquistou: clientela fiel, amigos, uma bela famlia e respeitabilidade. O evento, contou com a presena de diversas autoridades, entre as quais: a Prefeita Danuza Bias Fortes, o Vice-presidente da Fecomrcio, Lzaro Luiz Gonzaga e muitos associados, familiares e amigos do empossado.
    Tambm fazem parte da diretoria: Gil Novaes Horta Barbosa: (Vice-Presidente), Mauro Afonso Dani: (Vice-presidente), Sebastio Pereira de Assis (Secretrio): Marcelo Leito Oliveira  (Secretrio); Antnio Chala Sade ( tesoureiro), Jos Mrio Nogueira de Oliveira:  (Tesoureiro).


     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 24, 2010

    Tradicional famlia Barbosa de Castro de Barbacena amplia investimento no setor de frigorficos. Notcia foi pinada da coluna do nosso amigo Jos Antnio Lopes do www.barbacenaonline.com.br

    Perdas irreparveis

    A prefeita Danuza Bias Fortes com a famlia Barbosa de Castro durante a solenidade de inaugurao do FrigoUrias, na semana passada







                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 24, 2010

    Dinheiro novo para a Economia Mineira. Seromais de 60 milhes de reais.

    Bombril
    anuncia expanso de unidade
    em Sete Lagoas

    Presidente da Bombril, Marco Aurlio, e o secretrio Srgio Barroso

    Presidente da Bombril, Marco Aurlio,
    e o secretrio Srgio Barroso

    Investimentos no valor de R$ 60,3 milhes sero feitos para expanso da unidade industrial da Bombril, em Sete Lagoas, na regio Central do Estado. Sero gerados 476 empregos diretos e 1.153 indiretos. O anncio foi feito na manh desta sexta-feira (22), durante assinatura do protocolo de intenes entre o Governo de Minas, por intermdio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econmico (Sede), e o diretor-presidente da Bombril, Marco Aurlio Guerreiro de Souza.
    "A Bombril extremamente importante para a economia do Estado, no somente pelos valores dos investimentos anunciados, mas tambm pela tradio no mercado e, principalmente, pelo nmero de empregos que gera em Minas Gerais", enfatizou o secretrio de Estado de Desenvolvimento Econmico, Srgio Barroso.
    O secretrio reforou que os investimentos de empresas como a Bombril, focados na gerao de empregos em Minas Gerais, esto entre as principais prioridades do Governo. " importante mencionar que o professor Anastasia quer ser conhecido como o governador do emprego. E esse investimento em Sete Lagoas contempla as metas definidas para a sua gesto", frisou.
    O projeto de ampliao da unidade fabril comeou em julho deste ano e a previso que seja concludo at dezembro de 2012, quando dever aumentar sua capacidade de produo, em volume de toneladas, em 840%, e sua receita, em R$ 303 milhes. "Com essa expanso, a unidade passar a produzir as principais linhas de produtos da empresa, assumindo o atendimento de toda a demanda de Minas Gerais e dos estados do Acre, Rondnia, Mato Grosso, Gois, Distrito Federal, Tocantins, Rio de Janeiro e Esprito Santo, o que ir representar cerca de 30% da produo total da empresa", explicou Marco Aurlio de Souza.
    Segundo o diretor-presidente da Bombril, a parceria com o Estado faz com que o projeto de expanso da empresa contribua no somente com o crescimento da Bombril, mas tambm com o desenvolvimento da economia mineira e do pas.
    A empresa
    A Bombril S/A, que tem sede em So Bernardo do Campo, iniciou suas operaes em 1948, com a fabricao de l de ao. Alm da planta de Sete Lagoas, a empresa tem outras duas unidades instaladas em So Paulo e Pernambuco. O faturamento da empresa da ordem de R$ 1,1 bilho por ano. A empresa atua em 16 categorias de produtos (entre eles l e palha de ao, detergentes, desinfetantes, amaciantes de roupas e esponjas sintticas). O portflio da empresa composto de 196 itens inseridos em dezoito marcas diferentes.
    A unidade de Sete Lagoas foi inaugurada em 1987 e era dedicada fabricao das esponjas de l de ao. Em novembro de 2004, a fbrica foi desativada. Um ano depois, a unidade voltou a operar, dessa vez, dedicada exclusivamente produo de saponceos. Na poca da reativao da unidade, a empresa investiu cerca de R$ 4 milhes. Atualmente, a fbrica de Sete Lagoas a nica a produzir o Saplio Radium, marca de saponceo da empresa.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 24, 2010

    CONSELHO NACIONAL DE DEFENSORES PBLICOS GERAIS foi em BH. Proposta: ampliar trabalho conjunto. Confira detalhes!!!

    Coube Defensoria Pblica-Geral da Unio (DPGU), na ltima quarta-feira (20/10), sediar reunio do Conselho Nacional de Defensores Pblicos Gerais (Condege). Participaram do encontro a Subedefensora Pblica Geral de Minas Gerais, Ana Cludia Alexandre e o Assessor do Gabinete, Defensor Eduardo Cyrino Generoso, o Defensor Pblico-Geral Federal, Jos Rmulo Plcido Sales, um dos membros do rgo colegiado, o Secretrio de Reforma do Judicirio, do Ministrio da Justia, Marivaldo de Castro Pereira, e representantes de Defensorias dos estados.
    O Secretrio Marivaldo estimulou a ampliao do trabalho conjunto entre as Instituies. "O fortalecimento da Defensoria Pblica muito importante para a modernizao de nossa gesto. Necessitamos desse apoio na discusso e construo de propostas normativas, implementao de projetos e reformulao da Secretaria", sublinhou.
    Entre as principais deliberaes dos conselheiros, figura proposta de parceria com a Secretaria de Reforma do Judicirio e o Ministrio do Desenvolvimento Social e Combate Fome (MDS) para o acesso Justia de populao em situao de rua. O projeto visa canalizar membros e servidores das Defensorias Pblicas e servios de assistncia social, capacitando-os para o encaminhamento daqueles cidados. O Condege definiu grupo de trabalho para discutir o assunto, com foco na implementao de ncleos de atendimento interdisciplinar.
    A pauta da reunio tambm abarcou outros assuntos relevantes para a categoria. Um deles se refere ao curso "Teoria Autocompositiva: Teoria, Habilidades e Tcnicas de Mediao e Negociao Aplicadas Defensoria Pblica". A iniciativa se direciona ao aperfeioamento de Defensores, que atuaro como agentes multiplicadores e mediadores de conhecimentos sobre resoluo de conflitos.
    Permearam ainda as discusses a anlise e aprovao da minuta dos regimentos e planos polticos das Comisses para Promoo e Defesa dos Direitos da Mulher, Criminal e de Direito Moradia a serem desenvolvidos no prximo ano; IX Congresso Nacional dos Defensores Pblicos, que ocorrer nos dias 16 e 17 de novembro, em Campo Grande/MS; relatrio e agenda de atividades do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), alm de outros temas.
    Estar na DPU, que uma Defensoria-irm, significa alinhar as misses, desenvolver estratgias para o atendimento aos assistidos nos mbitos federal e estadual, bem como identificar esse frum como espao de divulgao das experincias", disse a Presidente do Condege e Defensora Pblica-Geral do Estado da Bahia (DPE/BA), Tereza Cristina Almeida Ferreira.
    No encontro, marcaram presena tambm os Defensores Pblicos Gerais Oleno Incio de Matos (DPE/RR), Jussara Maria Barbosa Acosta (DPE/RS), Francilene Gomes de Brito Bessa (DPE/CE), Antnio Roberto Figueiredo Cardoso (DPE/PA), Elson Pessoa de Carvalho (DPE/PB), Marta Maria de Brito Alves Freire (DPE/PE), Daniela Sollberger Cembranelli (DPE/SP) e os Subdefensores Pblicos Gerais Rafael Augusto Alves (DPE/DF) e Jesus Jairo Lacerda (DPE/SE).

    anaclaudia10.jpganaclaudia100.jpg







     

    Ana Cludia Alexandre (blusa preta) e Eduardo Cyrino (terno escuro)
    participaram da reunio do Condege


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 24, 2010

    SANGUE NOVO na Assemblia de Minas. Gustavo Perrela, foi sabatinado pela TV Assemblia. O filho do deputado Zez Perrela, primeiro suplente de Itamar no senado, foi eleito pelo PDT deputado estadual. Desejo sucesso. AFINAL, SINAL DA RENOVAO IMPRESCINDVEL NA POLTICA.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 24, 2010

    TRE prepara segundo turno em Minas. Tudo nos conformes.

    Justia Eleitoral
    inicia carga de dados
    nas urnas para o segundo turno


    Comeou nesta sexta-feira (22), no Centro de Apoio do TRE-MG (Rua Flor de Trigo, 20/24, Bairro Jardim Filadlfia, Contagem), os procedimentos de carga de dados e lacrao nas urnas eletrnicas que sero utilizadas na Capital, no segundo turno das eleies de 2010 (dia 31 de outubro). Neste primeiro dia de atividade, que se estende at o dia 27 de outubro, sero inseridos dados em 1.562 urnas eletrnicas (incluindo as reservas) de seis zonas eleitorais da Capital (28, 32, 38, 332, 333 e 334).
    A operao, que feita pelos 18 cartrios eleitorais de Belo Horizonte, consiste na inseminao das mdias referentes ao segundo turno (com os dados dos candidatos) e na lacrao das urnas (com etiquetas de identificao utilizadas para especificao da zona, seo e local de votao). Tambm os outros 333 cartrios eleitorais do Estado realizam o mesmo procedimento com as urnas eletrnicas.
    A atividade realizada em audincia pblica, na presena de juzes eleitorais, de representantes do Ministrio Pblico, de partidos polticos e da Ordem dos Advogados do Brasil, alm de outros interessados. 
    Em Belo Horizonte, sero utilizadas 4.670 urnas (incluindo as reservas) no segundo turno, nos 435 locais de votao e nas 4.198 sees eleitorais. Em Minas Gerais, ao todo so 351 zonas eleitorais, 10.144 locais de votao e 43.851 sees eleitorais. Sero utilizadas, incluindo as reservas, 51.272 urnas (sendo 45.693 sem identificao biomtrica).


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 24, 2010

    De OLHO no cimento na capital.

    Variao do preo do cimento
    entre depsitos de BH chega a 31%

    Dependendo de onde o consumidor resolver comprar o cimento, pode ser que a conta a pagar fique at 31% mais cara. De acordo com o Procon da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, a variao de preos entre lojas especializadas, de seis regies de Belo Horizonte, chama a ateno pela disparidade, j que possvel comprar um mesmo saco de 50 kg de cimento, nesse caso o da marca Campeo CP III 32, por R$ 16 na regio Leste ou por R$ 25 na regio Centro-Sul. A pesquisa mensal do Procon Assembleia foi realizada em 53 estabelecimentos, no ltimo dia 21 de outubro.
    O levantamento atestou tambm, no comparativo entre outubro e setembro, que sete dos dez tipos de cimentos pesquisados apresentaram reduo de preo e trs sofreram aumento. Destaque para a marca Liz CP IIII 32, que teve aumento de preos na casa dos 2,88% e a Campeo CP II 32, 2,84% mais barato do que no ms anterior.
    O Procon Assembleia informa que os preos apurados nesta pesquisa so vlidos para vendas a vista e que alguns estabelecimentos praticam preos diferentes para vendas a prazo. Alm disso, os valores individuais de cada produto podem ser alterados pelas lojas sem aviso prvio.
    Para ter acesso aos dados completos da pesquisa, basta acessar o site www.almg.gov.br/procon. Outras informaes podem ser obtidas pelo novo telefone (31) 2108-5500.
    Matria publicada em 22 de outubro de 2010. 
    Responsvel pela informao: Assessoria de Comunicao
    - www.almg.gov.br
     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 23, 2010

    Aeroporto Tancredo Neves em Confins na mira dos deputados estaduais.

                                                    









                                                  A situao do Aeroporto de Confins
                                                              ser tema de audincia
                                               na Assemblia de Minas na prxima semana.

    Aeroporto - A Comisso de Turismo, Indstria, Comrcio e Cooperativismo tem encontro marcado na quinta-feira (28), s 10 horas, no Auditrio. Na pauta, o funcionamento do Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins (Regio Central). O requerimento para realizao da reunio foi apresentado pelo presidente da comisso, deputado Alencar da Silveira Jr. (PDT), que tambm pretende discutir com os convidados o atendimento prestado ao pblico no aeroporto.

    "Com a realizao da Copa de 2014 aqui no Brasil, torna-se ainda mais urgente a discusso do atendimento aos passageiros nos nossos aeroportos. Hoje, para se fazer um simples check-in no aeroporto de Confins, o passageiro chega a ficar at mais de uma hora em p na fila. uma total falta de respeito para com as pessoas que pagam altas taxas pela administrao dos aeroportos", argumenta o parlamentar.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sbado, Outubro 23, 2010

    AMAGIS homenageia,dia 27, Itamar Franco, Carlos Mrio Velloso e Danilo de Castro.

                                                                  
    Amagis homenageia autoridades 
    O ex-presidente da Repblica e senador eleito Itamar Franco, o ex-presidente do STF Carlos Veloso e o ex-secretrio de Governo Danilo de Castro sero homenageados pela Associao dos Magistrados Mineiros (Amagis), com sua honraria oficial, no prximo dia 27.
    Representantes dos Trs Poderes, eles recebero a medalha Desembargador Guido de Andrade, s 19h30, na sede da Amagis, no Bairro Cruzeiro, em Belo Horizonte. 
    Em sua 4 edio, a honraria oficial da Amagis homenageia, anualmente, personalidades e instituies pblicas e privadas que, por suas qualidades e valores, prestaram relevantes servios Associao e ao fortalecimento da magistratura mineira.
    Em 2009, foram agraciados os ministros aposentados do STF Clio Borja e Francisco Rezek; o deputado estadual, Durval ngelo Andrade, e o vice-governador ( poca) Antnio Augusto Anastasia (hoje governador reeleito).
    O desembargador Jos Guido de Andrade, que d nome honraria da Amagis, foi um dos lderes da magistratura mineira. Sua morte, em 2004 representou uma grande perda para a classe, mas no apagou as boas memrias de suas lutas e conquistas em favor de todo o Poder Judicirio.
    Entrega da Medalha Condecorativa
    Comenda Desembargador Guido de Andrade
    Data: 27 de outubro de 2010
    Horrio: 19h30
    Local: Salo de Festas da Amagis - Rua Ouro Fino, 367 Bairro Cruzeiro /
    Belo Horizonte - MG
    Credenciamento e informaes na Assessoria de Comunicao da Amagis
    (31) 3079-3487 Georgia Bavaroff
    (31) 3079-3453 Bruno Gontijo


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 22, 2010

    Fique por dentro do Concurso da Defensoria Pblico do Estado.








    CONCURSO PARA DEFENSOR PBLICO
    MOVIMENTA PUC-BARREIRO
    COM PROVAS ORAIS AT ESTA SEXTA-FEIRA
     
     




    As provas orais do VI Concurso Pblico para ingresso na carreira da Defensoria Pblica, realizadas no campus da PUC-Barreiro, terminam nesta sexta-feira, 22/10. Foram 335 candidatos habilitados para esta fase. Inscreveram-se no incio do concurso 10.804 candidatos, sendo 5.392 do sexo feminino e 5.412 do sexo masculino.  Destes, 1660 foram aprovados nas provas de mltipla escolha, dos quais 323 se classificaram nas provas discursivas, para requerer inscrio definitiva e se habilitar para as provas orais. A diferena se refere a candidatos que fazem as provas amparados em medida judicial. A previso de absteno em torno de 20%.

    A Comisso de Concurso, que presidida pela Defensora Pblica-Geral, Andra Tonet, e secretariada pelo defensor pblico Wellerson Corra, coordena e supervisiona no local o trabalho das oito bancas examinadoras, que contam cada uma com trs defensores pblicos e um tcnico da Fumarc, encarregado de gravar as provas orais. Estas, realizadas pela manh e tarde, foram iniciadas em 11/10 e se encerram nesta sexta-feira.

    A Comisso






    banca9comissao.jpg









    Os defensores pblicos Glauco David de Oliveira Sousa, Ndia de Souza Campos, Flvio Nelson Dabs Leo e Egberto Campos Batista fazem parte da comisso organizadora do VI Concurso Pblico para a Defensoria de Minas



    Bancas examinadoras




    banca1.jpg

    Coordenador Defensor Larcio Fusco Nogueira, Defensor Marco Paulo Denucci Di Spirito e Defensora Hellen Caires Teixeira
    banca2.jpg

    Defensora Daniela Duarte Quinto, Coordenador Jos Ribamar Rubin e Defensor Marcelo Paes Ferreira da Silva
    banca3.jpg

    Defensor Wener Trindade, Coordenador Ricardo Vilela Martins Ferreira e Defensora Samantha Vilarinho Mello Alves
    banca4.jpg

    Defensor Arthur Ferreira de Castro, Coordenador Lus Antnio Barroso Rodrigues e  Horcio Vanderlei Tostes
    banca5.jpg

    Defensora Ana Cludia Almeida Costa Leroy, Coordenadora Beatriz Monroe e Defensor Georges Alessandro Amorelli Gomes
    banca6.jpg

    Defensora Cleide Aparecida Nepomuceno, Coordenadora Jussara de Oliveira Lauria Resende Torres e Defensor Frederico Newman Figueiredo de Arajo
    banca7.jpg

    Coordenador Renato Faloni de Andrade, Defensor Miguel Arcanjo Soares Csar Guerrieri e Defensor Gustavo Trindade Pimenta
    banca8.jpg

    Defensora Gisely Oliveira Milagres, Coordenadora Defensora Evelyn Maria Pereira Santa Brbara e Frederico de Sousa Saraiva



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 22, 2010

    ARTIGO ESPECIAL

                                                                DLAR NA BERLINDA
                                                         Keynes havia proposto a criao 
                                                                 de uma reserva mundial
                                                                  chamada "BANCOR".
                                                         Os americanos noconcordaram.
                                                                 Deu no que est dando...

                                                                        Srgio Birchal 
                                                                    Economista mineiro

    O assunto em voga em economia a questo do cmbio. O Ministro da Fazenda do Brasil, Guido Mantega, denunciou a existncia de uma guerra cambial, mas a tenso principal entre os Estados Unidos e a China. Os Estados Unidos acusam a China de manter a sua moeda desvalorizada artificialmente e ameaam retaliar os produtos chineses no mercado norte-americano. O governo chins, por sua vez, replica dizendo que seria social e politicamente insustentvel promover uma valorizao da moeda na velocidade que exigem os Estados Unidos.
    Por detrs da polmica acerca da moeda chinesa est a questo do reequilbrio das transaes internacionais. Com uma moeda desvalorizada, uma mo-de-obra educada, abundante e barata, a China se transformou na fbrica do mundo, superando os prprios Estados Unidos.
    Assim, nas ltimas duas dcadas sua economia cresceu exponencialmente vendendo em larga escala uma coleo cada vez mais variada e sofisticada de produtos para os norte-americanos. Inclusive, empresas americanas se apressavam em transferir suas linhas de produo para a China. Mas a maior ironia desta polmica que ela, talvez, no existiria se l no final da Segunda Guerra Mundial os norte-americanos houvessem concordado com a proposta do Secretrio do Tesouro Britnico, John Maynard Keynes.
    Talvez poucos tenham conscincia disto, mas em julho de 1944 setecentos e trinta delegados de todas as quarenta Naes Aliadas se reuniram no Mount Washington Hotel, em Bretton Woods, no estado de New Hampshire, nos Estados Unidos. A reunio tinha por objetivo criar as condies para a reconstruo do sistema econmico internacional e do sistema monetrio internacional (o sistema que estabelece a relao de valor de troca entre as diferentes moedas). Os delegados participavam da Conferncia Financeira e Monetria das Naes Unidas e ao longo das trs primeiras semanas de julho concordaram e assinaram o Tratado de Bretton Woods.
    O Tratado estabelecia as regras, as instituies e os procedimentos para regular o sistema monetrio internacional e criou o Fundo Monetrio Internacional (FMI) e o Banco Internacional para Reconstruo e Desenvolvimento, mais tarde conhecido como o Banco Mundial. Este conjunto de regras, instituies e procedimentos se constituram no sistema Bretton Woods.
    A grande discusso na conferncia de Bretton Woods dizia respeito extenso dos poderes do FMI na emergente economia mundial ps-Segunda Grande Guerra.
    Apesar da presena de delegaes de todas as 44 naes, os debates eram dominados pelas propostas divergentes entre os Estados Unidos e o Reino Unido. A proposta de Harry Dexter White, que era o economista chefe para a rea internacional do Tesouro dos Estados Unidos, favorecia a criao de incentivos para a estabilidade monetria entre as economias no mundo.
    J a proposta de Keynes previa a criao de uma moeda de reserva mundial (que ele sugeriu que se chamasse "bancor") administrada por um banco central com poderes para criar moeda e com a autoridade para tomar medidas mais amplas. Por exemplo, no caso de desequilbrios nas contas externas Keynes propunha que tanto os credores quanto os devedores deveriam mudar as suas polticas econmicas. Assim, os pases superavitrios (ou credores) em suas contas externas (como o caso da China hoje) deveriam aumentar as suas importaes dos pases deficitrios (ou devedores, como o caso dos Estados Unidos hoje) e, assim, criar um equilbrio no comrcio internacional.
    Mas os Estados Unidos, como a possvel maior economia superavitria no Ps-Guerra e como a nova potncia econmica e militar mundial, rejeitaram a proposta de Keynes. As preocupaes dos norte-americanos eram outras e viam os desequilbrios externos como um problema apenas dos pases deficitrios (devedores). No final das contas prevaleceu a proposta dos Estados Unidos.
    Hoje os Estados Unidos e os pases mais desenvolvidos reivindicam as velhas idias de Keynes. Eles querem que os pases emergentes arquem com o problema da apreciao cambial em funo de suas posies superavitrias (credoras) no comrcio internacional. Talvez, os norte-americanos amarguem a idia de no haver concordado com a proposta do Secretrio do Tesouro Britnico, John Maynard Keynes. Talvez, hoje a polmica no fizesse sentido. Ironias do destino.
    --
    Posted By Srgio Birchal to ECONOMIA E NEGCIOS at 10/22/2010 12:24:00 PM


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 22, 2010

    Em BH, SEMINRIO INTERNACIONAL de Direitos Humanos.









    DEFENSORES DE TODO O PAS
    PARTICIPAM EM BELO HORIZONTE
    DO SEMINRIO INTERNACIONAL
     "SISTEMA INTERAMERICANO
    DE DIREITOS HUMANOS
    E DEFENSORIA PBLICA


     






    Foi aberto na quarta-feira (20/10) o III Seminrio Internacional "Sistema Interamericano de Direitos Humanos e Defensoria Pblica - A Jurisprudncia da Corte Interamericana de Direitos Humanos", que acontece na sede da Associao dos Defensores Pblicos de Minas Gerais em Belo Horizonte, at o prximo sbado (23/10). O evento realizado pela Associao Nacional dos Defensores Pblicos (ANADEP), Associao dos Defensores Pblicos de Minas Gerais (Adep-MG) e a Corte Interamericana de Direitos Humanos, que faz a coordenao cientfica.  


    Abrindo a cerimnia o presidente da Adep-MG, Felipe Soledade disse que o evento trar benefcios principalmente aos assistidos da Defensoria Pblica. "Falando aqui para os colegas Defensores Pblicos, tenho a certeza de estarmos falando para uma populao de pessoas carentes de tudo. Este Seminrio ter uma repercusso que no caber dentro desta sala", preconizou o presidente da Adep. 

    Relembrando os avanos na carreira e atribuies dos Defensores Pblicos desde o ltimo Seminrio Interamericano, ocorrido no Rio de Janeiro em 2006, o Presidente da Anadep, Andr Castro, relatou que, na poca, a discusso era sobre a possibilidade de servidores pblicos poderem atuar no Sistema Interamericano defendendo vtimas contra o prprio Estado. "Hoje temos uma realidade diferente. No s aprofundamos entre ns essas reflexes - que so complexas - com a Corte Interamericana, mas dentro da prpria Defensoria Pblica e das instituies pblicas em geral", avaliou. 

    Andr Castro lembrou ainda os importantes avanos na rea de Direitos Humanos, como a modificao do Artigo 1 da Lei Orgnica na Nacional da Defensoria Pblica, que diz "a Defensoria Pblica expresso e instrumento do estado democrtico de direito e uma forma de garantir os Direitos Humanos".  Segundo o presidente da Anadep, outro fator importante o convnio entre a Corte Interamericana e a Associao Interamericana de Defensorias Pblicas, que possibilita a atuao de Defensores Pblicos na Corte Interamericana para vtimas sem assistncia jurdica.

    A Defensora Pblica Geral, Andrea Abritta Garzon Tonet, afirmou que o evento traz ganhos para Minas Gerais e habilita os Defensores Pblicos a utilizarem mais um instrumento na defesa do cidado carente. "A Defensoria Pblica avana; est em ascenso; os direitos humanos esto em pauta, por isso o Seminrio vem de encontro com a meta da Defensoria Pblica que tem por atribuio defender o cidado carente em todas as instncias e difundir os direitos humanos", ressaltou Andrea Tonet.

    Ao uso da palavra, a representante da Corte Interamericana de Direitos Humanos Romina Sijniensky destacou a importncia do Seminrio como forma de garantir o conhecimento e o acesso justia em nvel internacional. " importante conhecer a jurisprudncia para que no dia a dia do trabalho como Defensor se possa garantir o acesso justia, no s em nvel nacional, mas tambm a nvel internacional. Alm disso, poder exigir dos juzes de seus pases que cumpram todas as obrigaes internacionais", pontuou a advogada.

    Representando o Governador de Minas Gerais, Antonio Augusto Anastasia, a Secretria de Estado de Desenvolvimento Social do Estado de Minas Gerais, Ana Lcia Almeida Gazzola ressaltou a importncia do evento.  A secretria, que se disse "uma advogada frustrada, por sonhar ser advogada e acabar cursando letras", falou sobre a necessria disponibilidade das pessoas que atuam no campo dos Direitos Humanos e a necessidade da integrao para o desenvolvimento humano e social. "Em plataforma de valores, em acordos internacionais, num pacto de coeso tico solidrio dos nossos pases, reside e se fundamenta a possibilidade de um futuro melhor para todos os nossos pases, nos quais a desigualdade social e a descrena, a desesperana e a violao dos direitos humanos insistem em permanecer marcando o nosso cotidiano", disse a secretria.

    Ana Lcia falou ainda sobre o trabalho que vem sendo realizado em defesa dos direitos humanos, a aproximao com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e a necessidade de no deixar privar os direitos humanos. "Ns no podemos aceitar nenhuma concepo redutora de direitos, nenhuma poltica pblica que no tome conta e no se baseie na gesto de direitos. Governar fazer uma boa gesto que possibilite a defesa, promoo e a restaurao dos direitos, todos, inclusive aqueles que ainda no sabemos quais sero", afirmou.

    A estruturao e necessidade da Defensora Pblica como provedora e divulgadora dos direitos humanos tambm foi destacada pela secretria. "Uma das maiores lacunas que temos no campo do Direito, no s em Minas Gerais, se situa ainda na nossa incapacidade como sociedade de prover ateno jurdica universal e de qualidade a todos que dela necessitam. A agenda de Direitos Humanos de nosso estado requer a restaurao da capacidade da nossa Defensoria Pblica, que est quantitativamente limitada e que precisa realmente crescer", disse a Ana Lucia Gazzola.

    Veja galeria de fotos: link

    Fonte: Adep-MG


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 21, 2010

    Sabatina dos novos deputados estaduais mineiros. Um deles o empresrio de Governador Valadares, Hlio Gomes. Para nossa honra, ele fez conosco o curso, "Socorro,Estou na TV".



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 21, 2010

    VIA JUSTIA ancorado pelo jornalista Carlo Menezes na TV Assemblia de Minas. Recomendo.

    TV Assembleia debate
    papel das corregedorias de Justia

    O Via Justia, programa da TV Assembleia elaborado em pareceria com a Associao dos Magistrados Mineiros (Amagis), debate nesta sexta-feira (22/10/10), o papel exercido pelas corregedorias de Justia. Participam do programa, que ser exibido s 23 horas, o presidente da Amagis, juiz Bruno Terra Dias; e corregedor-geral de Justia de Minas Gerais, desembargador Antnio Marcos Alvim Soares.
    As corregedorias so rgo com funes administrativas, de orientao e de fiscalizao, que tem como objetivo a garantia do bom desempenho da atividade judiciria. No programa, os convidados vo debater se as corregedorias esto conseguindo cumprir o seu papel, alm de discutir como foram criadas, a sua evoluo ao longo da histria do Poder Judicirio no Brasil e qual seria o seu papel no futuro.
    Tambm ser tema de debate entrevista concedida imprensa pela nova corregedora do Conselho Nacional de Justia, ministra Eliana Calmon. Na entrevista, ela afirmou que haveria pouca fiscalizao sobre a atuao dos juzes no Brasil, o que estaria trazendo dificuldades para o Poder Judicirio.
    O Via Justia ser reapresentado no sbado (23), s 16h20; no domingo (24), s 19 horas e na segunda (25), s 8h30.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 20, 2010

    Recomendo assistir hoje, 21 horas, no canal a cabo 11, o Assemblia Debate. Assita antes, s 20 horas, s que no canal 23,tambm no cabo, na REDE SUPER o nosso Joo Carlos Amaral Entrevista. Eu converso com a nova Defensora Pblica Geral do Estado Andrea Tonet. No perca!!!

    Nova composio da Assembleia tema de debate em programa de TV  
     
    Deputado Antnio Jlio
    discorda do lder do PMDB
    quanto ao posicionamento da bancada   

     

    Foi gravado na manh dessa quarta-feira, 20, mais uma edio do programa "Assembleia Debate", transmitido pela TV Assembleia. O tema em questo foi "Foras Polticas na Nova Legislatura", com a participao do deputado Antnio Jlio (PMDB) e tambm dos deputados Andr Quinto (PT), Wander Borges (PSB) e Luiz Humberto Carneiro (PSDB).   

    Com o resultado das eleies de outubro, o quadro poltico no Poder Legislativo Mineiro teve mudanas significativas em sua composio, quando passou de 16 para 21 partidos representados. Mesmo assim, pelo Regimento Interno da Casa, somente cinco partidos formaro bancadas, pois elegeram o nmero mnimo permitido para composio, que de cinco deputados. O PSDB elegeu o maior nmero de parlamentares (13), seguido do PT (11), PMDB (8), PV (6) e PDT (5). Os demais partidos podem aderir em blocos ou seguirem independentes.   

    O deputado Antnio Jlio, que chega ao sexto mandato, acredita que o quadro poltico na Assembleia Legislativa ter pequenas alteraes. Segundo ele, houve uma pequena renovao em sua composio e as grandes bancadas continuam, praticamente, as mesmas. "No acredito em mudanas significativas. Tivemos uma das menores renovaes da Casa e mantivemos as maiores bancadas com os mesmos partidos. Isso reflete o bom trabalho da atual legislatura, que foi, em sua maioria, aprovado. Claro que teremos a participao de quadros novos. S no PMDB, teremos dois novatos, o Bruno Siqueira e o Tadeuzinho", explicou.   

    O secretrio-geral do PMDB de Minas lembra tambm que qualquer afirmao agora sobre formao de blocos ou composies polticas prematura. "O que ocorre no momento so conversas mais isoladas. Enquanto no acontecer a diplomao dos eleitos, no h nada oficial. Temos que conhecer o perfil de cada um que chega. Como ser seu posicionamento aqui na Assembleia. Depois vem a composio do governo. Se algum deputado assumir o novo secretariado, acontecem mais modificaes no quadro. Aps esse processo, em meados de janeiro de 2011, a sim, teremos uma maior legitimidade nas negociaes polticas", disse.  

    PMDB  

    Durante o debate, o deputado Antnio Jlio foi questionado sobre a posio do atual lder da bancada do PMDB, deputado Vanderlei Miranda, afirmando, em entrevistas recentes, que o partido no faz mais parte da oposio ao governo do Estado, desde que foi desconstitudo, em junho, o bloco oposicionista formado entre PMDB, PT e PC do B. Ainda, segundo o atual lder, a bancada j faz parte da base de apoio ao governo tucano. Antnio Jlio discordou completamente do companheiro de partido.
    "Esse um posicionamento isolado do deputado Vanderlei Miranda. No houve sequer uma reunio para se tomar essa posio. Nem para a desconstituio do bloco, em junho, no participei de nada.
    A nossa atual bancada tambm no se reuniu aps as eleies e ainda teremos dois novos deputados que iro participar de decises como essa. Tudo deve ainda ser bem conversado. No iremos aderir ao governo de qualquer forma. Tambm no faremos oposio por oposio", rebate. 
      

    Antnio Jlio deixou claro tambm que sempre fez uma oposio crtica e analtica ao governo com o objetivo de apontar erros e equvocos. "Todo governo precisa de oposio. No se governa bem sem oposio. Desde que seja uma oposio sria, com contedo programtico e analtico. Meus posicionamentos na Assembleia foram sempre para ajudar. Muitas vezes fui ouvido e as coisas mudaram para melhor. Como deputado, toro para que o governo seja sempre bom, pois assim, bom para todos", finalizou.  

    No ar  

    O programa "Assembleia Debate" com o tema "Foras Polticas na Nova Legislatura" ir ao ar na noite de hoje, quarta-feira, 20, s 21 horas, pela TV Assembleia ou pelo site www.almg.gov.br
    Lu Pereira
    Assessoria de Comunicao
    DEPUTADO ANTNIO JLIO (PMDB-MG)


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 20, 2010

    Quebra cabea espera do governador reeleito Antonio Anastasia. Aliados de OLHO nas centenas de cargos do primeiro, segundo e terceiro escales, alm das fundaes e autarquias. Cemig, Copasa e Codemig entre as mais cobiadas. Confira os cargos!!!

                                          Da srie: 
                                          UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS.

                                              O poltico de carreira, Alberto Pinto Coelho
                                                 e o tcnico-poltico, governador reeleito,
                                               Antonio Anastasia montam o quebra cabea
                                                                do novo rosto do governo
                                                    a partir de primeiro de janeiro de 2011. 
                                                 So tidos como mantidos no novo governo 
                                                  o secretrio de governo Danilo de Castro
                                                            e a secretria Renata Vilhena.
                                                              As especulaes prossguem.

    Primeiro escalo
     19 secretarias
     Advocacia-Geral do Estado
     Presidncias da Cemig, da Copasa e da Codemig.
    Segundo e terceiro escales
     16 fundaes
     20 autarquias
     41 conselhos estaduais
     13 empresas
    Cargos comissionados
    3.504 cargos comissionados de recrutamento amplo, que podem ser contratados sem concurso pblico, de um total de 553 mil no estado
    Corao do governo
     Secretaria de Governo
     Secretaria da Fazenda
     Secretaria de Planejamento
     Secretaria de Transporte e Obras Pblicas
     Secretaria da Sade
     Advocacia Geral do Estado
    Secretarias
     Educao
     Agricultura
     Cincia e Tecnologia
     Cultura
     Defesa Social
     Desenvolvimento Econmico
     Desenvolvimento Regional e Poltica Urbana
     Desenvolvimento Social, Esportes e da Juventude
     Turismo
     Reforma Agrria
     Meio Ambiente
     Relaes Institucionais
     Desenvolvimento dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri e Norte de Minas.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 20, 2010

    Hoje, 20 horas na REDE SUPER,em BH.








    DEFENSORA PBLICA GERAL
    CONCEDE ENTREVISTA
    NESTA QUARTA-FEIRA (20/10)
    NA REDE SUPER S 20 HORAS

     

     






    andreatonet1.jpgA Defensora Pblica Geral, Andra Tonet (foto), participa, nesta quarta-feira, dia 20/10, de um talk-show na Rede Super. Ela fala do planejamento estratgico de sua gesto voltado para a valorizao das Defensorias do interior do Estado, da classe dos defensores e fortalecimento da instituio. Para conhecer os detalhes, assista a entrevista, s 20 horas no Programa Joo Carlos Amaral Entrevista.



    Para quem est fora de BH



    Para assistir entrevista da DPG Andra Tonet, no interior, o telespectador deve acessar o canal UHF da cidade.



    Internet



    Tambm estar disponvel pela internet: www.redesuper.com.br (clicar no cone assista online). A Rede Super atinge mais de 16 milhes de antenas parablicas espalhadas por mais de 250 municpios brasileiros, atingindo ainda pblico do Mxico, Amrica Latina e Flrida (USA).



    Balano



    Entre as visitas realizadas, nos ltimos dois meses, com o intuito de fortalecer a relao com as outras instituies e firmar novas parcerias, a DPG encontrou-se com as secretrias de Estado do Planejamento e Gesto, Renata Vilhena; Extraordinria de Relaes Institucionais, Maria Coeli Simes Pires; com o secretrio geral do Governador, Gustavo de Castro Magalhes;  com o presidente do Tribunal de Justia, desembargador Cludio Renato dos Santos Costa; com o chefe da Defensoria Pblica da Unio em Minas, defensor Vincius Diniz Monteiro de Barros; com o advogado geral do Estado, Marco Antnio Rebelo Romanelli; e com a auditora geral do Estado, Maria Celeste Morais Guimares. Tambm recebeu as visitas, no gabinete da DPMG em Belo Horizonte, do presidente e do vice-presidente da ADEP-MG, respectivamente, defensores pblicos Felipe Soledade e Flvio Llles; da secretria de Estado de Desenvolvimento Social, Ana Lcia de Almeida Gazzola; do ouvidor geral de Polcia, Paulo Alkmin; e do chefe de Polcia Civil, Marco Antnio Monteiro.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 19, 2010

    Teatro em Barbacena. Mdico e dramaturgo de primeira linha, Jair Raso leva pea Cidade das Rosas na sexta-feira, dia 22. Informao enviada ao nosso BLOG pelo jornalista Edson Brando.

    A Corda e o livro:
    um drama que vira comdia
    na Associao Mdica de Barbacena.


     

    Espetculo teatral de Jair Raso cita Spinoza e os dramas humanos.

    Apresentao ser na Associao Mdica com entrada franca

     






    A Corda e o Livro  E-mail





     Image

     

    Na prxima sexta-feira, dia 22 de outubro, s 21 horas, a Associao Mdica de Barbacena em parceria com o Centro de Memria Belisrio Pena e  a Unimed, apresentam a pea A Corda e o livro, com os atores Jos Maria Amorim e Gustavo Marchezzini. O texto e direo so do mdico e dramaturgo Jair Raso.
     

    Segundo o autor, a trama da pea acontece numa rua de Belo Horizonte, onde ocorre um encontro de bom humor e sabedoria entre um catador de papel  com os desvarios de um jovem de classe mdia. O jovem tenta se matar enquanto o mendigo salva-lhe a vida citando trechos do filsofo Spinoza, cujos textos ele havia recolhido entre montes de lixo. Nesse contexto inusitado o drama se transforma em comdia, num espetculo divertido e comovente.
    O espetculo tem entrada franca e os ingressos devem ser retirados com antecedncia na sede da Associao Mdica (rua Heider Pereira Teixeira, 125, Bairro do Campo) ou na sede da Unimed-Barbacena.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 19, 2010

    Programa Joo Carlos Amaral Entrevista. *Amanh, quarta-feira, 20 horas, na REDE SUPER entrevisto a nova Defensora Pblica Geral de Minas. dra. Andra Tonet.

                                              Novo tempo: administrao horizontalizada
                                                  na Defensoria Pblica Geral de Minas

                                 Dra. Andra Tonet, nova Defensora Pblica Geral do Estado:
                                   um novo tempo comea em Minas no atendimento jurdico
                                 s pessoas que no tm recursos para contratar um advogado. 

    Na entrevista no nosso Talk Show na REDE SUPER, a nova Defensora Pblica Geral fala sobre a estratgia  de sua equipe para valorizar os(as) defensoras pblicos espalhados pelo Estado, a situao da categoria, as pesrspectivas de melhorias e os desafios para valorizar a Instituio e o trabalho dos defensores em todo o Estado. Fala ainda sobre o concurso pblico em andamento para preencher 150 vagas e que ser concludo at dezembro. 

                                                                    Mais detalhes?
    Ligue na REDE SUPER, canal 23 NET em BH. UHF no interior.
    E pela internet: www.redesuper.com.br.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 19, 2010

    Fala governador Anastasia!!!










    Centro Esportivo Sete de Outubro Ipatinga
    Entrevista do governador Antonio Anastasia em Ipatinga Velrio Atletas Apae
    Assuntos: Acidente com atletas da Apae

                                    Antonio Augusto Anastasia


    Sobre a tragdia
    Como essa nem tem palavras para expressar o que aconteceu. Eu dizia que todo o acidente com mortes j uma tragdia, quando envolve jovens a gente fica ainda mais sensibilizado e ainda quando se trata de jovens portadores de deficincia, necessidades especiais, envolvendo tambm professores uma coisa que, uma fatalidade, de uma tristeza imensa. Ento, ns viemos trazer a nossa palavra de solidariedade e, ao mesmo tempo, perceber que toda a estrutura de socorro foi feita, possvel, eles reconhecem e agradecem por isso. Conversava com o prefeito Robson (Gomes) do que for necessrio para ns ajudarmos as famlias ser feito pelo Estado e pela Prefeitura (de Ipatinga). O deputado federal Eduardo Barbosa que est aqui conosco e que o grande patrono das Apaes em Minas tambm, para ajudar na questo da prpria Apae que sofreu um golpe durssimo com esses falecimentos, que foi uma tragdia em si, e ao mesmo tempo sempre lamentar o ocorrido e trazer a nossa palavra em nome dos mineiros pela tristeza desse acontecimento.
    Governador, em relao curva no trecho da ponte (do Rio Sapuca) ser feito algum reparo, o Sindicato me reclamou desse trecho na MG (MGc 451).
    Na realidade, eu conversei com o diretor geral do DER (Jos lcio Montese), ns temos em Minas ainda 168 pontes que merecem alteraes. J foram corrigidas cerca de 400 e um processo permanente. A ponte uma ponte, que eu no a conheo, mas vi as fotografias e recebi o relato, volto a dizer, hoje cedo, do diretor do DER, uma ponte normal, passam dois veculos como toda ponte, como est num rio um vale, h uma descida, isso faz parte da geografia, est sinalizada, a sinalizao clara, a estrada est em boas condies e, lamentavelmente, uma fatalidade, agora claro que toda a ponte, sem exceo, a gente deve ter sempre mais ateno porque a ponte, pela sua caracterstica sempre um local em estrada que inspira mais cuidado.
    Ento, ns vamos continuar com esse trabalho, sempre de restaurao, substituio progressiva dessas pontes, mas pelo que me disse o diretor geral do DER, a fatalidade no decorreu das condies da estrada, parece de um defeito mecnico de um dos veculos, ento uma pena. A percia j foi incumbida de fazer o levantamento, a Polcia Civil est envolvida, com a nossa determinao, de agilidade, como j aconteceu ontem, com a questo dos mdicos legistas e tudo que foi preciso para dar celeridade ao processo to dolorido e, agora com a Polcia Civil apurar as causas exatas do acidente.
    Tem como estabelecer um prazo, governador, para a ampliao dessa ponte ?
    o que eu acabei de falar. O caso especifico no o caso dessa ponte, a ponte no responsvel pelo acidente.  Ns no podemos culpar a essa ponte por esse acidente. Houve uma fatalidade, pelo que se diz, de uma falha mecnica. Agora, o que acontece que ns vamos aguardar a percia porque o ns temos, o Estado, nos ltimos anos, realizou obras em cinco mil quilmetros de estradas, ento, em matria de estrutura viria, o Estado tem uma situao que tem apresentado melhoras expressivas e esse acidente no decorreu das condies da estrada. Vamos aguardar a percia para verificar exatamente o que aconteceu no veculo para apurarmos as eventuais responsabilidades.
    Governador, as famlias das vitimas esto sentidas, logicamente, mas entre as vitimas estava um atleta paraolmpico foi campeo muitas vezes, representando o Brasil (Sandro Alex Cruz). Var ser, alm de uma perda emocional, vai ser tambm uma perda para o esporte do pais e para Minas Gerais?
    No h dvida uma perda muito triste. Me dizia o deputado Eduardo Barbosa que o conhecia desde muito jovem, que ele se dedicou ao esporte paraolmpico com muito mais dificuldade, foi um vitorioso, conseguiu levar o nome de Minas e do Brasil at internacionalmente uma pessoa que devemos ter muito respeito sua memria e no h dvida que uma grande perda, ainda mais Minas que tem uma expresso muito grande na questo dos jogos paraolmpicos e dessa atividade. Est aqui conosco o secretrio (adjunto) Rogrio Romero, que o secretrio de Esportes (e Juventude), que tambm um atleta olmpico medalhado, me relatava na vinda para c de como ns temos, de fato, um bom desempenho, ento uma tristeza, fica a um belo exemplo para outros na mesma condio. E vamos sempre ter a sua memria e do que ele fez to bem pelo esporte paraolmpico em Minas.
    Todas as autoridades esto considerando realmente como uma grande fatalidade?
    Sim, porque um acidente muito grave, como eu acabei de mencionar, ns temos muitas rodovias no Estado e no Brasil, acontecem acidentes, e eu lamentava que todo acidente com vitima j uma tristeza, quando envolve jovem a gente fica ainda mais penalizado e, no caso especifico que envolve a Apae, claro que a sensibilidade sempre maior e ainda mais voltando de jogos, estavam animados com grande evento que realizamos. uma tristeza muito grande, uma fatalidade, ns s podemos confortar as famlias daqueles que j faleceram e tentar, na medida do possvel, dentro do que est na alada da Prefeitura e do Estado, fazer tudo para confortar-los e tambm junto a Apae. Falava h pouco com os diretores da Apae naquilo que for possvel fazer para recompor, porque a Apae de Ipatinga sofre um golpe durssimo em sua histria, lamentavelmente, uma grande tristeza, uma Apae muito organizada, muito reconhecida, e me dizia h pouco os diretores da solidariedade das outras Apaes da regio, onde houve o acidente, at com menos estrutura, mas mostrando, de fato, o grande esforo, e a questo importantssima do carinho que todos ns devemos ter com esses jovens, que so portadores de necessidades especiais e que se dedicaram durante esse ltimo tempo ao esporte, o que demonstra a sua capacidade de superao. muito triste.
    Governador, o senhor disse que vai fazer reformas em pontes em Minas Gerais, mas especificamente nessa que foi danificada, o senhor tem previso de quando vai fazer o reparo?
    Em primeiro lugar eu disse que ns temos um processo em andamento j de anos e recuperao de pontes no Estado como um todo. Claro que o que foi danificado nessa ponte vai ser imediatamente restaurado porque houve uma destruio parece que do guarda corpo da ponte, ou guard rail como se diz, da ponte, isso vai ser imediatamente restaurada. Agora todas as pontes tem que ter muito ateno at mais um motivo, aproveitando o acidente, essa fatalidade, para relembrar a todos que dirigem nas estradas mineiras e brasileiras da ateno e do cuidado que devemos ter duplamente. Com as condies dos veculos e tambm sempre com a velocidade para que no haja excessos de velocidade. Ainda mais dirigindo a noite muitas vezes, ento sempre essa a ateno que se faz. A questo, hoje, de acidentes de trnsito no Brasil algo que preocupa todas as autoridades. Ns temos em todos os grandes feriados que ocorrem, em Minas e no Brasil, grande nmero de vitimas, e interessante observar que, muitas vezes, quando as estradas at esto em melhores condies, ns temos ainda mais acidentes. Tem que tomar sempre muita cautela com essa questo, dar sempre educao para o trnsito, orientao para o trnsito, a sinalizao e, no caso de Minas Gerais, o nosso esforo, atravs dos nossos programas, do Pro-MG, Proacesso, do Proseg, que trata da segurana nas estradas, de continuar permanentemente melhorando as condies das vias, evitando os buracos, melhorando os acostamentos, fazendo as terceiras vias, onde for possvel, e, ao mesmo tempo, claro, que sempre tambm restaurando pontes.
    Como o senhor avalia as condies das estradas, hoje, em Minas Gerais?
    Esto muito melhores do que estava h alguns anos atrs. As condies das rodovias mineiras hoje, felizmente, inclusive o Vale do Ao (regio) testemunha disso, por exemplo, ns temos uma condio muito melhor das estradas estaduais. Lamentavelmente, as estradas federais, e ns temos aqui mesmo na regio um exemplo mais cristalino de todos que a BR 381(Ferno Dias) no trecho que liga Belo Horizonte a Governador Valadares, conhecida at como rodovia da morte pelos seus acidentes freqentes. Acredito, tenho dito isso publicamente j h muito tempo, a prioridade absoluta do governo federal em Minas Gerais, mais do que qualquer outra obra, do que metr, do que Rodoanel, do que qualquer outra obra federal no Estado a duplicao da duplicao da BR 381.
    H previso para isso?
    Aguardamos. uma responsabilidade exclusiva do governo federal por se tratar de uma BR.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 19, 2010

    Golpe de mestre. O veterano e competente vereador Amarlio de Andrade do PSC de Barbacena declarou apoio s candidaturas do governador Anastasia reeleio e do ex-governador Acio Neves ao senado. Era janeiro de 2010. Atitude ousada - j que Amarlio faz poltica em Barbacena - terra do ento candidato ao governo de Minas, o senador Hlio Costa do PMDB. Amarlio viu atrs do morro, arriscou sua carreira poltica. Deu certo: ajudou a eleger Anastasia para o governo, Newton Cardoso para deputado federal. Para o senado Amarlio ajudou e muito na votao do candidato ao senado Acio Neves, que saiu de Barbacena com 37 mil votos, junto com Itamar. COM ISSO foi um dos poucos lderes polticos de Barbacena com capital poltico que o posicione confortavelmente junto ao Palcio da Liberdade. Os nmeros ficaram do lado dele. Outra exceo regra na rea estadual foi o deputado Lafayette Andrada, que se reelegeu Assemblia de Minas. CONSEQUNCIA: Amarlio se posiciona e bem, no gride de largada para a sucesso da prefeita Danuza Bias Fortes.Fica o registro histrico.

    Memria acesa:
    Quinta-feira, Janeiro 21, 2010
    Amarlio Andrade do PSC
    por 11 vezes presidente da Cmara de Barbacena
    apia Acio e Anastasia.

                                                                            TNEL DO TEMPO
                                                                 O vereador Amarlio de Andrade 
                                                              apoiou o av de Acio para o senado 
                                                      e na disputa pelo Palcio da Liberdade em 1982

                                                  Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS.
          





                                    


                                                  
                                                            Amarlio repetiu a tradio
                                                              com o neto de Tancredo, 
                                                                   Acio nas eleies 
                                                                   deste ano de 2010.

                                                            Em 21 de janeiro de 2010 
                                                            publiquei no nosso BLOG,
                                                                   com exclusividade:
                                                                   Vereador Amarlio
                                                                  diz qua vai caminhar
                                                                   incondicionalmente
                                                                    com Acio Neves
                                                                         e Anastasia.

                                                              E as eleies de outubro?
    Sintonizado com a receptividade e o trabalho desenvolvido pelo Governador Acio Neves, eu e meu grupo poltico, daremos apoio incondicional ao professor Antonio Anastasia na sua postulao em ser reeleito em outubro, j que a partir de abril, ele ser o governador do Estado.
    Em relao ao governador  Acio Neves,  em qualquer opo de cargo, humildemente pretendemos trabalhar por seu nome. Quanto aos deputados, somente queles que estejam dispostos a um compromisso com minha bandeira, que a viabilizao da Construo da unidade para tratamento do cncer na cidade.  
    Pesa em minha deciso, a orientao do meu partido, o PSC, que apoiar incondicionalmente Acio Neves e Antnio Anastasia. A orientao do presidente da legenda, doutor Vitor Nsseis levantar a bandeira da probidade administrativa.  

                              
                                                  
                                                  Amarlio recebido pelo governador,
                                                           Anastasia, em seu gabinete.
                                                      Foi companheiro de primeira hora
                                                                do candidato reeleito
                                                          para o Palcio da Liberdade.

    O vereador Amarlio Andrade (PSC) fez um balano do ano de 2009. Falou de sua preocupao com a cidade, sua dedicao ao Ncleo do Cncer e das eleies de outubro.  
    Como foi o ano de 2009?
    Foi um ano de muito trabalho e pela funo de membro da Comisso de Legislao e Justia e de Redao, apresentei pareceres em 123 projetos de lei de diversas origens e ainda apresentei: 13 Memoriais, 30 Indicaes, 26 Requerimentos e elaboramos 265 Ofcios.
    Por minha iniciativa, trouxemos o Vice-governador, professor  Antonio Augusto  Anastasia cidade para receber o ttulo de Cidado Honorrio, motivado pela sua deferncia com a cidade no governo passado e no atual. Foram vrios convnios e parcerias com a PMB, alm de sua distino para com o Ncleo do Cncer, ao doar uma segunda ambulncia para as atividades da entidade.  
    Quais iniciativas de 2009 ainda esto em sua pauta?
    Neste momento, j estamos trabalhando para a realizao de trs iniciativas, tomadas ainda em 2009 que so: as comemoraes do centenrio de nascimento do Tancredo Neves e do Chico Xavier e ainda os 50 anos de fundao do Lions Clube. 
    E o Ncleo do Cncer?
    O dia-a-dia da entidade, cuja presidncia exercida pelo major-mdico Jlio Csar Andrade, conta com  o trabalho voluntrios de vrios profissionais, entre os quais, os mdicos: Aldo Peixoto e Renato Vaz de Melo,  j uma rotina. Para seu funcionamento, contamos com duas parcerias importantes, a da Saint-Gobain e da Unimed. 
    A minha atuao, com idealizador e fundador e atuar para viabilizar a construo do Centro de Atendimento Multiprofissional aos Portadores de Neoplasia Malgna. Atuamos em parceria com a Fundao Mrio Penna e diversos profissionais liberais para elaborao do projeto e os entendimentos com o Governo do Estado para a viabilizao de provveis recursos.   
    verdade que existem pendncias em relao ao terreno?
    Infelizmente sim. O terreno doado pelos senhores Clodoaldo Dantas Motta e Cludio Valena Motta, numa iniciativa de apreo com a vida do prximo, est com uma pendncia na justia por ocupao indevida e a dificuldade de acesso ao terreno. Quanto ocupao indevida, estamos confiantes na justia e para o acesso, contamos, mais uma vez, com a ajuda dos benfeitores.   
    Como voc v a cidade no tocante s atividades econmicas e produtivas?
    At o ano passado, a cidade no tinha uma lei de incentivo fiscal, que permitisse a doao do terreno e a iseno de tributos fiscais a possveis interessados nas atividades industriais. A lei agora existe e j permite iniciativas junto aos empresrios. Infelizmente ainda limita a cidade, a falta de saneamento.
    No temos esgoto tratado na cidade. Ano passado, elaboramos memorial ao Ministrio das Cidades para a incluso de Barbacena no PAC de Saneamento e infelizmente mais uma vez a cidade ficou de fora, mesmo Minas Gerais tendo sido contemplada com R$ 4,5 bilhes. Recebemos ofcio do Ministro das Cidades, Mrcio Fortes informando que no houve projetos e nem interesse poltico para a cidade ser includa no PAC do Saneamento.
    Independente das atividades industriais, penso que a sociedade precisa tambm mobilizar e redirecionar as vocaes naturais da cidade. Estou disposio todos os dias em meu gabinete.   


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 19, 2010

    Em defesa efetiva da mulher.

    DEFENSORIA PBLICA ANFITRI
    NA REUNIO DOS REPRESENTANTES
     DA REDE DE ENFRENTAMENTO VIOLNCIA
    CONTRA A MULHER

    A reunio mensal dos representantes de instituies que integram a Rede de Enfrentamento Violncia contra a Mulher da Regio Metropolitana de Belo Horizonte, desta vez, ocorreu no salo nobre da sede da Defensoria Pblica, na Capital, no ltimo dia 06 de outubro.  Entre os participantes, os defensores pblicos que atuam nos NUDEMs de BH, Contagem e Betim, respectivamente, Alexander Fonseca Melo Arajo, Ana Cludia Braga Areas Pinheiro e Vincius Lopes Martins, alm da assistente social Sarah Ferreira, que integra a equipe multidisciplinar do NUDEM-BH.
    O tratamento dado ao fenmeno da violncia domstica requer uma abordagem interinstitucional, alm do papel de cada servio envolvido. A assistente social Sarah esclarece que nesta direo que as reunies acontecem, buscando o aprimoramento da prestao desses servios e o fortalecimento das mulheres em situao de violncia domstica. A pauta principal dessa ltima reunio foi a discusso sobre o fluxo entre os servios que compem a Rede. Prev-se para o prximo encontro, na primeira quinzena de novembro, a participao do Judicirio, com convite aos juzes da 13 e 14 Varas Criminais do CIM-Centro Integrado da Mulher.

    Atender, construir e consolidar

    O objetivo da Rede, segundo Sarah Ferreira, proporcionar a garantia de um resultado positivo para a mulher que solicita ajuda, quando em situao de violncia domstica. Neste caso, a Rede promove um atendimento integral, solidrio e, ao mesmo tempo, constroi e consolida a poltica nacional de enfrentamento violncia contra a mulher.

    Participao especial

    A defensora pblica Jnia Roman Carvalho teve uma participao especial na reunio da Rede, pela sua constante atuao na busca de aprimoramento dos NUDEMs institudos pela DPMG, contribuindo efetivamente para a manuteno desses Ncleos Especializados de Defesa da Mulher.  Na qualidade de defensora pblica, Jnia ainda atuou no CIM-Centro Integrado da Mulher /TJMG e tambm coordenou o NUDEM-BH, por um perodo.

    Composio da Rede

    A Rede de Enfrentamento Violncia Contra a Mulher da Regio Metropolitana de Belo Horizonte composta por vrias instituies, dentre outras: a Delegacia Especializada de Mulheres de Belo Horizonte, Polcia Civil- Departamento de Proteo Famlia, Ncleo de Defesa dos Direitos das Mulheres em Situao de Violncia de Gnero / NUDEM-BH/DPMG, CEPAM - Coordenadoria Estadual de Polticas para as Mulheres, CERNA
    Centro Risoleta Neves de Atendimento, COMDIMCoordenadoria Municipal dos Direitos da Mulher da Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e de Lagoa Santa, BEMVINDA Centro de Apoio Mulher, Casa Abrigo Sempre Viva, Promotoria de Justia e Defesa dos Direitos da Mulher/Ministrio Pblico, Conselho Estadual da Mulher, Servios de Defesa Social e SEDESE, Polcia Militar do Estado de Minas Gerais, Consrcio Regional de Promoo da Cidadania Mulheres das Gerais,
    Centro de Referncia Especializado de Assistncia Social de Betim, Conselho Municipal de Sade e Secretaria Municipal de Sade de Belo Horizonte, Superintendncia de Polticas Pblicas para Mulheres de Sabar, Instituto ALBAM, Espao Bem-Me-Quero - Atendimento Mulher em Situao de Violncia da Prefeitura Municipal de Desenvolvimento Social de Contagem, Programa Mulher em Ateno Especial MAE/Secretaria Municipal de Ao Social da Prefeitura Municipal de Nova Lima.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 18, 2010

    EXCLUSIVO!!! E internacional. Nosso amigo Willer Pos - PhD em Qumica Ambiental e ex-diretor da AngloAmerican - esteve na Bolvia a convite da PetroAndina e da Royal Silver Company e nos enviou rico material sobre OPORTUNIDADES DE NEGCIOS naquele pas. Recomendo conferir!!!

     
     Willer Ps e o vice-ministro de Minerao da Bolvia, Hctor Crdoba Eguivar.

     
    Willer Ps e o presidente da Royal Silver Company, Brian McConnell


    Bolvia: No o que falam.
    um pas de oportunidades.


    Nosso amigo Willer Pos, PhD em Qumica Ambiental e ex-diretor da AngloAmerican esteve na Bolvia a convite da PetroAndina e da Royal Silver Company.
    Visitou todos os Departamentos Bolivianos com vocao mineraria, dentre eles, Cochabamba, Potosi Santa Cruz de la Sierra e Oruro.
    Percorreu de carro quase 3000 km.
    Voltou muito entusiasmado com o que viu.
    Disse que se algum deseja oportunidade
    em negcios minerarios,
    no pode deixar de olhar para a Bolvia.
    Zinco, chumbo e prata so as comodites minerarias
    mais negociadas na Bolvia.

    Segundo ele, investir em empresas como a Royal Silver a certeza de retorno em curto prazo. A empresa detentora da patente sobre o processo ARGOX, que extrai prata e zinco dos concentrados bolivianos, sem poluio. Ao final do processo, obtm-se prata em alta pureza e um solubilizado de sal de zinco, de grande importncia  para o agronegcio.
    um mtodo limpo e extremamente eficiente, garante Willer Pos. Sobre a questo poltica do pas, Willer Pos reafirmou que teve garantias do Vice Ministro de Minerao de que os negcios privados tm apoio governamental, desde que feitos dentro da legalidade. 
    Vale a pena acessar o site da Royal Silver Company www.royalsilver.com 
    E checar as oportunidades de negcios.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 18, 2010

    ARTIGO ESPECIAL enviado ao nosso BLOG pelo economisrta Srgio Birchal, professor do IBMEC. Foi economista-chefe da FIEMG. um craque na nossa avaliao. Da vale conferir o que ele escreveu.

                                                           "A ECONOMIA DE MERCADO
                                                                 TROCADA EM MIDOS"

                                                                 
                                                                        Srgio Birchal
                                                                    Economista mineiro.

    Vivemos numa sociedade em que as relaes so perpassadas pelas trocas, como vimos no Caderno 4. Diz-se que uma sociedade assim uma sociedade baseada numa economia de mercado.
    At o final da dcada de 1980 havia uma intensa e apaixonada discusso sobre as qualidades de uma economia de mercado e de uma economia centralmente planejada.
    Isto refletia o clima de confrontao entre a extinta Unio Sovitica e os Estados Unidos nos anos da Guerra Fria, no ps Segunda Grande Guerra. Hoje em dia so poucos os pases que no adotam, de uma forma ou de outra, uma economia em que os mercados tm um papel central no cotidiano das pessoas. Seja a China ou os Estados Unidos.
    Obviamente que o termo "economia de mercado" tambm no exclui a participao do Estado na economia, seja no Chile ou na Rssia. Portanto, vivemos numa sociedade cuja economia considerada de "mercado", apesar de historicamente o Estado ter um peso importante. Mas o que significa o termo "mercado"?
    Um mercado um espao (fsico ou no) onde as pessoas se encontram livremente para realizar as trocas como vendedores (oferta) e compradores (demanda). O Mercado Central de Belo Horizonte um exemplo de um mercado fsico. Por outro lado, ningum duvida de que exista um mercado de jogadores de futebol, em escala internacional e que envolve cifras astronmicas, mas ningum sabe onde ele fica. No tem endereo como o Mercado Central de Belo Horizonte. Mais recentemente vimos emergir com uma fora avassaladora os mercados virtuais.
    Os mercados existem por conta da crescente diviso e especializao do trabalho. Somos ao mesmo tempo produtores e consumidores. A maioria das pessoas gasta a maior parte do dia no trabalho. Ali ele est produzindo algo. Mas muito comum passearmos pelo shopping nas horas vagas. A somos consumidores.
    A diviso e especializao do trabalho surge por que as necessidades da sociedade so cada vez mais sofisticadas e complexas, assim como a produo e a distribuio dos bens e servios para atender essas necessidades. Porm, a crescente diviso e especializao do trabalho necessita de um mecanismo cada vez mais complexo e sofisticado de coordenao do trabalho dividido e especializado. Em vrias situaes o mercado pode ser um bom mecanismo de coordenao.
    Em meados da dcada de 1970, ainda nos tempos do Milagre Brasileiro, havia quase o mesmo nmero de escolas de engenharia civil e de administrao em Belo Horizonte. Havia cursos de engenharia civil em quatro escolas: UFMG, PUC, FUMEC e Kennedy. O curso de administrao tambm era oferecido por quatro escolas: UFMG, PUC, UNA e Newton Paiva. O Brasil vivia uma era de prosperidade.
    O Pas se industrializava rapidamente e havia muitas construes em infra-estrutura, como rodovias, usinas hidreltricas e nuclear, entre outros. Assim, os engenheiros civis eram muito mais requisitados e valorizados pelas empresas do que os egressos dos cursos de administrao.
    Os salrios dos engenheiros civis em incio de carreira eram maiores do que a mdia.
    Trinta anos depois o nmero de faculdades e universidades que ofertam cursos de administrao em Belo Horizonte passa da meia centena, enquanto o de engenharia civil praticamente o mesmo.

    O que aconteceu?

    O Pas quebrou duas vezes na dcada de 1980 e as obras escassearam. No entanto, as empresas continuaram a precisar de mais administradores. Desta forma, os salrios de administradores e engenheiros civis em incio de carreira passaram a se equivaler. Como o curso de administrao tido como "mais fcil" por ter um menor contedo de matemtica, como ele mais barato e mais curto do que o curso de engenharia civil, a demanda dos alunos por cursos de administrao explodiu, enquanto que a demanda por cursos de engenharia civil continuou praticamente a mesma.
    Quem coordenou toda esta mudana nas escolhas dos estudantes ao longo destas dcadas?
    A famosa mo invisvel do mercado. Todos os anos milhares de alunos fazem "livremente" as suas escolhas de curso balizados pela mo invisvel do mercado (neste caso as perspectivas do mercado de trabalho).
    Assim como acontece no plano pessoal, as trocas (comrcio) entre os pases pode benefici-los. O clima da Inglaterra muito mais apropriado para a produo de morangos do que o clima do Brasil. Com isto os morangos ingleses tendem a ser maiores e mais adocicados e disponveis em maior quantidade. Por outro lado, as bananas do com fartura no Brasil, mas no crescem no clima modorrento da Inglaterra.
    As bananas so muito indicadas para caimbras e fadiga muscular. Assim, os ingleses s podem ter acesso a elas importando do Brasil, por exemplo. Portanto, o comrcio entre os pases pode beneficiar os seus habitantes. Por isso os economistas se interessam tanto pelas trocas internacionais.
    Mas os governos no s participam das trocas internacionais como podem melhorar os resultados dos mercados. Isto ocorre quando h falhas de mercado. Em economs, isto quer dizer que o mercado, por si s, no consegue alocar de forma eficiente os recursos produtivos (recursos humanos, recursos fsicos e recursos naturais).
    O Brasil, por exemplo, no teria criado uma indstria aeronutica competitiva em nvel internacional se no fosse pelos investimentos do Estado por mais de duas dcadas. Muito menos teria revolucionado a sua agroindstria se fosse pela EMBRAPA, empresa governamental de pesquisa agro-pecuria. a ao reguladora do Estado que estabelece os parmetros para muitos negcios, de previdncia privada explorao das riquezas do solo e do mar.
    As falhas de mercado podem ter vrias explicaes, alm das ilustradas acima, como a total inexistncia de compradores e/ou vendedores e a existncia de um nico produtor e/ou comprador, entre outros. Assim, quando h uma falha de mercado o governo pode melhorar o resultado para todos.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 17, 2010

    Vem a, esta semana, de 20 a 23 de outubro o Seminrio Internacional Sistema Interamericano de Proteo aos DIREITOS HUMANOS E DEFENSORIA PBLICA. Local auditrio a ADEP no bairro Barro Preto em BH. Confira detalhes.



    Palestrantes de renome internacional
    discutem Direitos Humanos
    em Belo Horizonte






    O evento, que acontece pela segunda vez no Brasil  em 2006 o Rio de Janeiro foi a sede -, uma iniciativa das associaes subscritoras, em parceria com a Corte Interamericana de Direitos Humanos , que est responsvel pela coordenao cientfica do seminrio , pela disponibilizao de parte do corpo docente , composto por trs professores estrangeiros e dois professores brasileiros.  Defensores Pblicos de todo o pas esto confirmados para o Seminrio.  
    A Defensoria Pblica a mais nova das instituies jurdicas e tem por objetivo constitucional assegurar o acesso Justia, fomentando a paz  social , tendo como funes institucionais promover a difuso e conscientizao dos direitos humanos , devendo postular perante todos os rgos e instncias. 
    Neste sentido, para que o Brasil possa usufruir da essencialidade dos servios da instituio, na realizao de polticas pblicas voltadas para a efetivao da cidadania e defesa dos direitos humanos , faz-se necessrio um Seminrio de capacitao dos Defensores Pblicos sobre normas e mecanismos do Sistema Interamericano de Direitos Humanos, em benefcio direto de seu pblico alvo.

    Ascom / ADEP-MG


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 17, 2010

    A semana na Assemblia de Minas.

    Debate sobre transporte ferrovirio
    de passageiros destaque na AL

    A necessidade de recuperao do transporte ferrovirio de passageiros na Regio Metropolitana de Belo Horizonte ser discutida, nesta quarta-feira (20/10/10), pela Comisso de Turismo, Indstria, Comrcio e Cooperativismo. Tambm na quarta o ltimo dia para as inscries da 7 Corrida Rstica da Assembleia, que integra a programao da 9 Semana do Servidor. As inscries foram prorrogadas para dar nova oportunidade aos servidores e cidados participem do evento, que acontece no domingo (24), e tem largada prevista para as 8h30.
    Alm da audincia, a semana de 18 a 22 de outubro da Assembleia Legislativa de Minas Gerais traz ainda uma reunio da Comisso Extraordinria de Integrao ao Parlamento do Mercosul, na quinta-feira (21) e as reunies ordinrias da demais comisses e do Plenrio.
    A audincia da Comisso de Turismo acontece s 14h30, no Auditrio, a requerimento do deputado Carlos Gomes (PT) e d continuidade a uma discusso iniciada em 2009 pela comisso. Carlos Gomes acredita que a reativao dos trens tursticos e de passageiros pode contribuir para a melhoria do transporte pblico e ainda para a ampliao de aes tursticas e culturais na Capital e municpios vizinhos, como Ibirit, Sarzedo, Mrio Campos, Brumadinho, Moeda, Jeceaba, Belo Vale, Congonhas e Conselheiro Lafaiete.
    A discusso tambm envolver outras questes relativas ampliao das aes tursticas e culturais da regio. Foram convidados para o debate o secretrio executivo do Ministrio dos Transportes, Mauro Barbosa; o superintendente regional do Dnit/MG, Sebastio Donizete de Souza; o superintendente regional do Iphan, Leonardo Barreto de Oliveira; o prefeito de Congonhas e presidente da Associao das Cidades Histricas, Anderson Costa Cabido; o chefe do Departamento de Engenharia de Transportes e Geotecnia da UFMG, professor Nilson Tadeu Ramos Nunes; e a vereadora Lilian Paraguai, de Brumadinho, que representa a comisso "Volta aos Trens das Regies Metropolitana e Paraopeba".
    Produtores artesanais discutem adequao para Mercosul
    J a reunio da Comisso Extraordinria de Integrao ao Parlamento do Mercosul discutir as estratgias de adequao dos produtores mineiros de cachaa aos padres fitossanitrios da Comunidade Europia, bem como a proibio do uso de utenslios de cobre na produo alimentcia, determinada pela Vigilncia Sanitria Estadual. A audincia foi solicitada pelo coordenador da comisso, deputado Antnio Jlio (PMDB), e acontece s 10 horas, no Plenarinho IV.
    A discusso sobre o tema teve incio em dezembro do ano passado, quando a assessora de Comrcio Exterior do Consulado do Paraguai, Vanessa Teles Castro, abordou a dificuldade enfrentada pelos produtores em exportar a cachaa artesanal, devido ao alto teor de cobre registrado no produto, acima do tolerado pelos pases europeus. A questo levantou a necessidade de um maior conhecimento da legislao internacional por parte das cooperativas de produtores, a fim de torn-las aptas a inserir seus produtos no mercado externo.
    Foram convidados para o debate os deputados federais George Hilton (PRB) e Geraldo Thadeu (PPS), membros da Representao Brasileira do Parlamento do Mercosul no Congresso Nacional; o superintendente do Ministrio da Agricultura, Pecuria e Abastecimento em MG, Antnio do Valle Ramos; a superintendente da Vigilncia Sanitria em MG, Snia Maria Vieira Serufo; os secretrios de Estado da Sade, Antnio Jorge de Souza Marques; de Desenvolvimento Econmico, Srgio Barroso; de Agricultura, Pecuria e Abastecimento, Gilman Viana Rodrigues; a coordenadora do Ncleo de Tecnologia da Cachaa da Universidade Federal de Lavras, Maria das Graas Cardoso; o diretor da Central Exportaminas, Jorge Leonardo Duarte de Oliveira; a assessora de Comrcio Exterior do Consulado da Repblica do Paraguai, Vanessa Teles Castro; o presidente da Associao Mineira dos Produtores de Cachaa de Qualidade, Alexandre Wagner da Silva; e os reprteres do Jornal Estado de Minas, Luciane Evans e Luiz Ribeiro Santos


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 14, 2010

    P na Estrada!!!

    celeste.jpg


    Eduardo Generoso, Maria Celeste e Andra Tonet conversaram sobre o dia-a-dia das duas instituies






    A Auditora Geral do Estado, dra. Maria Celeste,
    recebeu em seu gabinete a nova Defensora Pblica Geral de Minas,
    dra. Andra Tonet. Desde que assumiu a Defensoria,
    h quase 60 dias, a dra. Andra, colocou o p na estrada
    ampliando os contatos com os outros rgos do Estado.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 14, 2010

    Governo vai ajudar financeiramente!!! Ateno proprietrios e posseiros.


    Evandro Rodney
    Fazenda Engenho d'gua destina 80% de sua rea  conservao da vegetao
    Fazenda Engenho d'gua destina 80% de sua rea conservao da vegetao


    Produtores rurais interessados em participar do Bolsa Verde, programa do Governo de Minas que concede incentivo financeiro para proprietrios e posseiros, tm at o dia 31 de outubro para enviar propostas, de acordo com a Portaria do Instituto Estadual de Florestas (IEF) 106/2010. Os ncleos e escritrios regionais do IEF j receberam centenas de propostas para o programa, que promove a conservao da cobertura vegetal nativa em Minas Gerais.
    Somente no Ncleo Operacional de Janaba, no Norte de Minas, na primeira semana de outubro, j haviam sido protocolados 129 formulrios. Para 2010, o programa Bolsa Verde prev a implantao da modalidade de apoio manuteno da vegetao nativa existente, e, em 2011, ter incio a segunda fase, incluindo tambm o apoio a aes de recuperao, restaurao e recomposio florestal.
    A meta do IEF para 2010 alcanar a conservao e manuteno de 25 mil hectares com vegetao nativa nas propriedades privadas. O Bolsa Verde vai conceder o pagamento de R$ 200 por hectare conservado, por ano.
    O primeiro pagamento deve ser efetuado no ltimo ms de 2010.
    Podem se candidatar produtores de qualquer regio do Estado. As propostas podem ser individuais ou coletivas e passam por uma validao dos Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentvel (CMDRS), nos municpios em que estes conselhos estiverem j institudos. 
    As propostas recebem pontos de acordo com critrios que contemplam a existncia da reserva legal, as boas prticas ambientais, como o uso de controle agroecolgicos no combate a pragas e, no caso de propostas coletivas, a pontuao cresce na proporo do nmero de propriedades envolvidas, dentre outros itens.
    Incentivo
    Postulantes ao incentivo financeiro, os associados do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Pai Pedro, no Norte de Minas, pretendem entrar com uma proposta que inclui 30 propriedades, que variam de 12 a 60 hectares.
    O presidente do sindicato, Almerindo Joo Carvalho, explica que eles aguardam a presena de um tcnico da Cooperativa de Rio Pardo de Minas, parceira na implementao do programa, para fazer o georreferenciamento das reas conservadas pelos agricultores. S ento, os trabalhadores daro entrada com a proposta no IEF.
    "So incentivos como esse que nos fazem dar continuidade ao trabalho que desenvolvemos", analisa um dos proprietrios da Fazenda Engenho d'gua, em Ouro Preto, Helton Aguiar Neves. A fazenda tambm uma das centenas de propriedades que se inscreveu no Bolsa Verde. A propriedade de 75 hectares dedica cerca de 80% da sua rea conservao da vegetao nativa.
    A agricultura familiar tem prioridade reconhecida na Lei 17.727/2008, que criou o programa. Tambm so prioritrios, na concesso do benefcio, os proprietrios ou posseiros com rea de at quatro mdulos fiscais.
    A anlise tcnica responsabilidade da Secretaria Executiva do Bolsa Verde e a aprovao final cabe ao Comit Executivo do programa. As duas instituies foram estabelecidas pelo Decreto 45.113, que regulamentou a Lei 17.727/2008. Mais informaes sobre o Bolsa Verde no link do programa.
    Reserva legal
    De acordo com o Censo Agropecurio de 2006, Minas Gerais possui 551.617 propriedades rurais, o que corresponde a uma rea de 32,6 milhes de hectares. Se a exigncia da reserva legal, que destina 20% das propriedades preservao, fosse cumprida, Minas Gerais teria 6,45 milhes hectares de reas protegidas nas propriedades rurais.
    De 2004 a 2009, o IEF emitiu 22.162 processos autorizativos para averbao da reserva legal, procedimento efetuado por cartrios e que comprova a existncia legal e o estado de conservao da vegetao nativa preservada pelo produtor rural. A estimativa que existam no Estado cerca de 50 mil reservas legais averbadas, o que representa 9% do total.
    A expectativa que com o Bolsa Verde e outras medidas j tomadas no incio do ano, o cenrio da preservao da vegetao nativa nas propriedades privadas se altere.
    Entre as medidas j tomadas, encontra-se um Termo de Cooperao Tcnica, assinado entre o IEF, Associao dos Notrios e Registradores do Estado de Minas Gerais (Anoreg) e Ministrio Pblico Estadual, que passa a exigir o georrefrenciamento da reserva legal, porm podendo ser feito por profissionais habilitados e credenciados pelo IEF, o que aumenta a capacidade operacional do Instituto e agiliza o processo.
    O IEF j promoveu quatro cursos de capacitao. A Anoreg tambm passou a orientar os cartrios de imveis tambm a averbar gratuitamente as reservas legais relativas a pequenas propriedades ou posses rurais familiares.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 14, 2010

    FALA DEPUTADO!!!A vez dos 28 novos deputados eleitos. Na TV Assemblia de Minas, a jornalista Andreia Zagury entrevista o novo deputado FABIANO TOLENTINO, do PRTB estadual.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 14, 2010

    PINGA FOGO na Assemblia de Minas.

     

    Parlamentares pr e anti governo Lula
    se revezam no Plenrio

    Na Reunio Ordinria de Plenrio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, esta quinta-feira (14/10/10), dois parlamentares se revezaram no microfone, o primeiro para criticar o governo federal; o segundo para elogi-lo. Utilizando a palavra pelo artigo 70 do Regimento Interno, os deputados Domingos Svio (PSDB) e Paulo Guedes (PT) aproveitaram para defender as polticas adotadas pelos candidatos Presidncia da Repblica de seus partidos.

    Antes das falas dos dois, ainda na fase de Oradores, dois dos quatro deputados que foram tribuna fizeram crticas a Fernando Henrique Cardoso. Em resposta, Domingos Svio disse que achava saudvel o debate, mas que estava preocupado porque a discusso sara do campo das ideias e derivara para um "grande teatro". Segundo Svio, os deputados estariam demonizando os adversrios da candidata Dilma Roussef e colocando o governo FHC como se fosse tambm de Serra.

    Ele classificou como inverdades as declaraes do deputado Paulo Guedes de que Minas teria sido tratada "a po e gua" na poca de Fernando Henrique. "Eu era prefeito de Divinpolis e recebi recursos do Projeto Somma, que vieram de um financiamento internacional avalizado pelo Governo Federal", afirmou.

    Domingos Svio apontou ainda o que considerou como falhas do governo Lula. "Quando estava na oposio, o PT lutou contra o fator previdencirio; quando chegou ao poder, no acabou, e hoje os aposentados esto a, massacrados por essa poltica", condenou.

    Tambm na avaliao de Domingos Svio, o trfico e o consumo de drogas, que vm matando milhares de jovens no Pas, no so combatidos pelo atual governo. Criticou ainda a atual poltica de juros altos e cmbio sobrevalorizado, que estaria levando falncia empresas e contribuindo para a desindustrializao do Brasil. "A alternncia no poder benfica para o Brasil, pois vamos enfrentar os problemas que o atual governo no est enfrentando", concluiu.

    Comparao - Rebatendo a fala de Domingos Svio, Paulo Guedes declarou que estava disposto a fazer todo tipo de comparao entre o governo de Lula e o que o antecedeu. em qualquer rea. "No tem nenhum item em que o governo de Lula e Dilma perca para o de FHC e Serra", avaliou. "Quando propomos comparaes, os tucanos fogem igual ao diabo foge da cruz", ironizou Guedes, para quem o candidato Jos Serra tem se apegado na campanha apenas a factides e boatos. Rebatendo a fala de Domingos Svio, Paulo Guedes declarou que estava disposto a fazer todo tipo de comparao entre o governo de Lula e o que o antecedeu. em qualquer rea. "No tem nenhum item em que o governo de Lula e Dilma perca para o de FHC e Serra", avaliou. "Quando propomos comparaes, os tucanos fogem igual ao diabo foge da cruz", ironizou Guedes, para quem o candidato Jos Serra tem se apegado na campanha apenas a factides e boatos.

    O deputado voltou a citar os principais avanos obtidos nos oito anos do governo petista: 15 milhes de empregos criados, 29 milhes de pessoas saindo da situao de pobreza, supervit na relao com o Fundo Monetrio Internacional (FMI), prestgio internacional (permitindo ao Pas sediar a Copa do Mundo e as Olimpadas). "Precisamos dar continuidade a esses projetos", conclamou.

    Paulo Guedes aproveitou ainda para afirmar que Serra, que foi ministro do Planejamento de Fernando Henrique Cardoso, foi o homem de confiana do presidente na negociao das privatizaes.

    Essa poltica de desestatizao, de acordo com o deputado, prioridade em qualquer governo tucano. Por fim, o deputado destacou que Lula, mesmo fazendo a opo preferencial pelos desfavorecidos, governou para todos: ricos e pobres. Uma das mostras da sensibilidade do atual governo com essa camada social seria o aumento real do salrio mnimo, que poca de FHC ficava em cerca de US$ 60 e hoje chega a US$ 300.
    Fonte: assessoria de comunicao da ALMG.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 14, 2010

    CHEFE DE POLCIA homenageia a Defensoria Pblica de Minas.

     
    O Chefe de Polcia de Minas, delegado especial,
    Marco Antonio Monteiro foi recebido
    no gabine da Defensoria na rua Paracatu no bairro Barro Preto.
    O defelgado homenageou a entidade pblica
     entregando Defensora Pblica Geral do Estado, Andra Tonet, 
     com um Braso da Polcia Civil, esculpido em madeira.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    UM DIA DE ESPERANA PARA OS IDOSOS EM BUSCA DE JUSTIA.

     

    DEFENSORIA PBLICA PARCEIRA
    NA REALIZAO
    DO VI ENCONTRO MUNICIPAL
     
    DA PESSOA IDOSA

    Centenas de pessoas lotaram o Centro de Referncia da Pessoa Idosa, no Caiara, em Belo Horizonte, para participar das comemoraes do Dia Internacional do Idoso, ocorrido no dia 1 de outubro.
    Apesar da tarde chuvosa, o evento ocorreu em clima de alegria, ao som da Banda da Guarda Municipal, que executou um repertrio do cancioneiro nacional e internacional, devolvendo aos presentes ares de juventude, pela forma de acompanhar as msicas, ou cantando junto ou balanando o corpo ritmadamente, sem sair do lugar, ou at danando de rosto colado, no espao reservado ao baile de encerramento.
    A Defensoria Pblica de Minas, na qualidade de parceira, marcou presena com um grupo de defensores prestando orientao jurdica aos idosos, assim como a Associao dos Defensores Pblicos-ADEP/MG. Convidados pela DPMG, os defensores federais integraram a banca de prestao de assistncia jurdica aos idosos, onde os idosos buscaram orientao para os mais diferentes tipos de problemas: entre outros, direito de vizinhana, cobrana indevida, venda de imveis, usufruto, usucapio, passagem de nibus para idoso, penso alimentcia.
    O evento foi uma promoo da Secretaria Municipal Adjunta de Direitos de Cidadania de Belo Horizonte, por meio da Coordenadoria de Direitos da Pessoa Idosa, e mais trinta parceiros, entre rgos pblicos, entidades da sociedade civil e ONGs. Os homenageados puderam tambm medir presso e dosagem de glicose, e ainda tiveram disposio oficinas de arte e beleza e uma praa de alimentao, esta com lanches a preos mdicos.
    Defensoria sempre disposio

    Reunida com os promotores do evento, a Defensora Geral, Andra Tonet, dirigiu-se aos participantes ressaltando a importncia da contribuio deles, idosos, ao longo de suas vidas, o que os torna merecedores da homenagem, e disponibilizando a Defensoria Pblica para atend-los no que for preciso.
    "No s hoje, mas todos os dias vejam a Defensoria Pblica como uma parceira de vocs. Parabns e muito obrigada pela acolhida que vocs esto dando ao evento, porque este evento sem vocs no teria o menor sentido, no seria o evento. Ns agradecemos, em nome da Defensoria Pblica, a presena de cada um."
    Parceiro crescente

    O secretrio municipal de Polticas Sociais, Jorge Nahas, depois de dar as boas vindas a todos, congratulou-se com os parceiros do evento e ressaltou a presena da Defensoria Pblica, que ele chamou de "parceiro crescente em muitas atividades da Prefeitura" e disse esperar que  essa parceria continue desenvolvendo, "na  certeza de que vai ajudar muito a todos ns, Prefeitura e populao de Belo Horizonte."

    A Defensoria precisa crescer

    O presidente da Adep-MG, Felipe Soledade, integrou a bancada de defensores que prestaram orientao jurdica aos idosos, no evento desta quinta-feira, sobre o qual ele comenta que, junto com a Defensoria, as participaes da Adep, em eventos dessa natureza, so fundamentais para a divulgao da atividade principal da Defensoria, que a promoo e orientao e assistncia jurdica da populao carente. E o grupo dos idosos, ele afirma, um dos principais pblicos com que a Defensoria se relaciona.
    A Adep, em parceria com a Defensoria e a Associao Nacional de Defensores Pblicos-Anadep, distribuiu cartilhas, divulgando os direitos dos idosos, principalmente aqueles consagrados no Estatuto do Idoso.
    Descentralizar preciso

    Para a presidente do Conselho Municipal do Idoso, Karla Giacomin, a entidade necessita do apoio e da interveno da Defensoria, no apenas neste VI Encontro Municipal da Pessoa Idosa, mas ao longo do ano inteiro, porque o Conselho recebe muitos casos de violao dos direitos de idosos e, muitos desses casos, so de idosos que no tm recursos para providenciar, eles mesmos, um advogado.
    Mas, a presidente do CMI alerta para a visibilidade da Defensoria que ainda pequena, da mesma forma que a visibilidade do Conselho, e fala da necessidade de ampliar os recursos da Defensoria, e de, talvez, descentralizar um pouco os servios, criando ncleos de Defensoria, nas Regionais do municpio, e no apenas mant-los centralizados na Paracatu, referindo-se sede da DPMG, no Barro Preto.
    "A cada dia nasce um idoso"

    A frase acima da coordenadora do Movimento de Luta Pr-Idoso, Marizete Ribeiro Viana Teles. Ela considera que o crescimento da populao de idosos est a exigir tambm o crescimento da Defensoria Pblica que, segundo ela, na medida do possvel, trabalha bem. "No s a Defensoria, mas todos os rgos que trabalham com e para os idosos precisam ampliar os seus quadros de material humano", enfatiza a coordenadora.
    A Defensoria espetacular!
    Essa expresso de entusiasmo do bem-humorado diretor do Movimento de Luta Pr-Idoso, Salim Antnio Simo. "Nosso ponto de apoio a Defensoria Pblica", ele reafirma, salientando que, no entanto, precisaria haver maior comunicao entre o Movimento e a Defensoria. 
    A arte d o recado
    Dona Beatriz e dona Lenisse, respectivamente, integrantes dos grupos de dana "Agitando com a Melhor Idade" e "Caravana da Cultura", este que faz resgate das cantigas de roda, contaram que o objetivo de ambos os grupos divulgar o estatuto do idoso, nas visitas que fazem a escolas e hospitais. Vestidas a carter, elas explicaram que a temtica dessas atuaes chama a ateno para as questes de educao, moradia, respeito e dignidade. Para ambas, "a Defensoria Pblica importante para defender os idosos nas suas dificuldades de todos os tipos."
    Cheia de esperana
    Dona Aolinda Francisca de Oliveira buscou orientao jurdica para uma questo familiar. Ela quer ajuda do pai do seu neto para lhe garantir os estudos e os direitos de filho menor de idade. Ela diz estar esperanosa de resolver o problema e vai voltar Defensoria para receber mais assistncia jurdica.  
    No ter de gastar
    Dagilma Bitencourt Costa est satisfeita com a recomendao do defensor para procurar o Juizado de Conciliao e tentar resolver a questo pacificamente. um caso de desentendimento com a vizinha. "Nossa! O atendimento foi timo! A Defensoria me deixou mais animada, pois no preciso procurar advogado e nem vou ter de pagar."
    O QUE DISSERAM OS DEFENSORES
    Paixo declarada
    Este evento necessrio para as pessoas tomarem conhecimento do que a Defensoria e outras entidades podem fazer para ajudar ao prximo, principalmente ao prximo, no caso aqui, o idoso. A declarao defensora pblica aposentada, Diva Salomo. Atuando como colaboradora, ela afirma que, em eventos dessa natureza se pode perceber que realmente essas so pessoas que teriam necessidade de algo mais.
    Sempre disponvel para atuaes junto aos assistidos, Diva lamenta que a Defensoria Pblica esteja muito defasada em termos de pessoal e declara: "Eu sou apaixonada pela Defensoria. O que eu puder fazer para ajudar podem sempre contar comigo. Tambm para pedir a Deus que a Defensoria cresa cada vez mais, porque realmente ela necessria para ajudar aos carentes."
    Rafael Boechat, defensor pblico
    "O grande desafio da nossa instituio , justamente, torn-la democrtica, mais popular. No esperar que as demandas da sociedade venham at o gabinete do defensor, mas que o defensor corra atrs dessas demandas, que isso que a sociedade precisa: de instituies srias e comprometidas com o bem-estar da sociedade.
    Hoje, aqui, est sendo um exemplo disso. Vrios colegas da Defensoria Pblica do Estado de Minas Gerais e da Defensoria Federal, fazendo frente a uma demanda que est embrionria e as pessoas no sabem a quem recorrer. E mostrando a cara que a nossa instituio vai ter o reconhecimento que ela merece e, consequentemente, a consequncia natural de todo esse processo a valorizao de nossa carreira."
    Pedro Matias, defensor pblico da Unio
    "Ns, da Defensoria Pblica da Unio, estamos muito felizes de estar participando junto com a Defensoria Pblica de Minas Gerais, neste evento to importante, em razo do Dia Nacional do Idoso. Sabemos que a Defensoria uma instituio una, de acordo com a Constituio, no entanto, temos essas divises de competncia.
    Esta aproximao extremamente importante, estamos muito felizes de estar participando deste evento, inclusive aqui, agora, j combinamos a participao em outros e temos somente agradecer o convite e nos congratular por este realizao to importante junto aos idosos."
    Marina Gomes de Carvalho Pinto, defensora pblica
    Achei de extrema importncia a participao da Defensoria Pblica neste evento. Eu fiquei muito impressionada com a demanda das pessoas idosas que, realmente, se interessaram em buscar orientao para seus direitos e buscar tambm o conhecimento deles. Foi muito gratificante saber que todos saram daqui muito satisfeitos com as orientaes que a Defensoria deu neste evento."


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    HOJE 8 da noite na REDE SUPER voc tem encontro marcado com o TALK SHOW do Joo Carlos Amaral. Para ASSISTIR o programa s colocar sua TV sintonizada no canal 23 a cabo em BH. E pela internet: www.redesuper.com.br ( clicar no cone ASSISTA ON LINE).






    Nosso entrevistado
    o empresrio
    Lincoln Gonalves Fernandes,
    presidente do Conselho de Poltica Econmica da FIEMG.
    Ele fala sobre as perspectivas da economia
     mineira, brasileira e internacional.

    Audincia globalizada:
    A entrevista vai atingir 16 milhes de parablicas
    pelo mais novo satlite da REDE SUPER,
    o STAR ONE C2
    que manda sinal para todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxixo e Flrida.




    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.
     

    ATENO!!!

    No dia 30 de agosto de 2010, a REDE SUPER
    passou a operar em novo satlite  o Star One C2 -,  
    que tem maior abrangncia e mellhor qualidade de sinal.
    Desde ento, so mais de 16 milhes de antenas parablicas
    recebendo nossa programao em todo o Brasil,
    Amrica do Sul, Mxico e Flrida (EUA).

    Para receber a REDE SUPER
    em sua antena parablica
    voc deve ajustar o seu receptor em:
    Frequncia: 3648
    SR: 2170
    Fec: 3/4
    Polaridade vertical
    Para quem j assite a REDE SUPER pelo satlite B4,
    ser necessrio realinhar a antena para o satlite C2
    e ajustar o receptor de acordo com os dados acima.


                          


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    Lamento a morte do nosso amigo, ex-prefeito de Barbacena, Jos Eugnio Dutra Cmara. Ele tinha 91 anos e morreu de infarto. Foto da coluna do JAL do barbacenaonline. "Faleceu na madrugada do ltimo sbado, dia 2, aos 91 anos, o meu amigo Jos Eugnio Dutra Cmara. Ele estava internado no Hospital Ibiapaba desde agosto, quando sofreu um enfarto. HISTRIA POLTICA: Jos Eugnio foi prefeito de Barbacena por duas vezes, sendo eleito pela primeira vez em 1962 e depois em 1972. Em 1982, venceu mais uma vez a eleio para prefeito, mas o eleito foi o segundo colocado, devido chamada sublegenda. O corpo de Jos Eugnio Dutra Cmara foi velado na sede do Rotary Club e o sepultamento aconteceu no Cemitrio da Boa Morte, na tarde de sbado" - escreveu o jornalista barbacenense Jos Antnio Lopes, o popular JAL.

    As piores eleies para Barbacena

    Este cronista ao lado de Jos Eugnio Dutra Cmara em recente evento na cidade; em p, o mdico Jos Eugnio Dutra Cmara Filho, o Dudu


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    Agenda de governador reeleito.


    Carlos Alberto/Imprensa MG
    Presidente da Fiat do Brasil, Cledorvino Belini, e o governador Anastasia
    Presidente da Fiat do Brasil,
    Cledorvino Belini,
    e o governador Anastasia


    O governador Antonio Anastasia recebeu, na manh desta sexta-feira (8), o presidente da Fiat do Brasil, Cledorvino Belini, que tambm preside a Associao Nacional dos Fabricantes de Veculos Automotores (Anfavea). O encontro, que foi realizado no Palcio Tiradentes, na Cidade Administrativa Presidente Tancredo Neves, tambm contou com a presena do vice-presidente da Fiat, Valentino Rizzioli e do diretor de Assuntos Institucionais da empresa, Jos Eduardo Lima Pereira.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    Casamento elegante movimentou a sociedade de Barbacena. Infelizmente no pude comparecer, mas desejo felicidades infinitas aos noivos Ana Luiza e Carlos Henrique. Fotos pinadas da coluna do meu amigo JAL - Jos Antonio Lopes - do site www.barbacenaonline.com.br *O CASAMENTO religioso foi na histrica Igreja da Boa Morte (Igreja de Nossa Senhora da Assuno). A elegante recepo foi na mais nova casa de eventos de Barbacena, a Flanatus no bairro Cermica.

    As piores eleies para Barbacena 
    Carlos Henrique e Ana Luza

    As piores eleies para Barbacena 
    A noiva Ana Luza e seu pai
    o empresrio Csar Silveira.

    As piores eleies para Barbacena 
    O noivo Carlos Henrique e sua me
    Vanda Rocha de Assis


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    Fique de olho!!!


                                                     

    Eleitor fora do domiclio
    que no optou pelo voto em trnsito
    ter que justificar a ausncia no 2 turno
    S podero votar em trnsito no segundo turno os eleitores que fizeram esta opo e se cadastraram at o ltimo dia 15 de agosto nos cartrios eleitorais. Quem no fez o cadastro dentro do prazo no poder votar em trnsito no segundo turno. Para o dia 31 de outubro, 4268 eleitores estaro aptos a votar em trnsito nas oito sees instaladas no Minascentro, em Belo Horizonte. Um total de 7.705 eleitores com domiclio eleitoral em Minas Gerais se cadastrou para votar em outras capitais. A questo do voto em trnsito uma das principais dvidas do Disque-Eleitor (3291-0004) do TRE nesta semana. 
    O eleitor que se encontrar impossibilitado de votar no dia da eleio, mesmo que j tenha justificado no primeiro turno, ter que se justificar, pois, para a Justia Eleitoral, cada turno considerado uma eleio. Os eleitores que optaram por votar para presidente em outra capital mas que no estaro na cidade escolhida, tambm devero se justificar.
    No dia 31 de outubro, as justificativas podero ser entregues em qualquer seo de votao ou posto de justificativa mais prximo de onde o eleitor estiver. Ele dever levar o formulrio de justificativa preenchido e apresentar um documento de identificao com foto. Para justificar necessrio ter o nmero do ttulo de eleitor.
    Esse formulrio, que s vale no dia da eleio, pode ser obtido nos cartrios eleitorais ou no site do TRE-MG (
    www.tre-mg.gov.br).
    Nas Agncias dos Correios em Belo Horizonte, a distribuio dos formulrios ser dos dias 25 a 30 de outubro; no Terminal Rodovirio de Belo Horizonte, comea em 28 de outubro e vai at o dia da eleio.
    Quem no puder se justificar no dia da eleio, deve faz-lo em at 60 (sessenta) dias aps o dia da votao em qualquer cartrio eleitoral, preferencialmente no cartrio da Zona Eleitoral onde estiver inscrito como eleitor, apresentando o comprovante do motivo de sua ausncia. Nesse caso, o formulrio de justificativa diferente do que utilizado para a justificativa no dia da eleio e ser fornecido pelo cartrio eleitoral no momento da justificativa.
    Confira os prazos para a justificativa do eleitor que no votou no 1 e/ou 2 turnos das Eleies 2010:
    - Justificativa do 1 turno: at 2 de dezembro de 2010
    - Justificativa do 2 turno: at 30 de dezembro de 2010
    O eleitor que no justificou sua ausncia s urnas no dia da votao ou dentro do prazo de at 60 dias aps o primeiro e/ou segundo turnos de eleies anteriores, ainda poder procurar qualquer cartrio eleitoral para regularizar a sua situao perante a Justia Eleitoral e, se for o caso, fazer o pagamento da multa pela ausncia de justificativa no prazo previsto em lei.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    Decifra-me ou te devoro. Esse pode ser o mais adequado ttulo para o texto enviado ao nosso BLOG pelo economista mineiro, Srgio Birchal, ex-economista chefe da FIEMG e atual professor do IBEMEC Minas.

                                                                        
                                                                       "Os economistas
                                                                        
    no se entendem".

                                                                          Srgio Birchal

    Que os economistas no se entendem (o que no nenhum privilgio da classe) um fato h longo tempo conhecido. Dizem que Wiston Churchill, com seu sarcasmo britnico, fez a seguinte observao a este respeito:
    "Se voc colocar dois economistas em uma sala e pedir sugestes sobre um dado assunto, voc ter pelo menos duas opinies diferentes."
    Piadas a parte, existem tantas vises sobre a economia quantas as formas de ver e perceber o mundo. Alm disso, as vises sobre a economia so dinmicas. Elas vo se transformando na medida em que a economia vai se transformando tambm. Por isso essa uma discusso longa e cheia de meandros. Mas vamos tentar fazer uma breve visita ao pensamento dos principais pensadores da economia. Vamos comear pela figura do filsofo escocs, considerado o pai da economia, Adam Smith (1723-1790).
    Em 1776 Smith publicou o seu livro "A Riqueza das Naes". Na obra ele analisava como um brilhante observador que era as transformaes que ocorriam na sua poca (a Revoluo Industrial). A Inglaterra do final do sculo XVIII transformava-se na fbrica do mundo, mas as fbricas (to comuns em nossos dias) ainda eram chamadas de manufaturas. Neste perodo surgiam um enorme nmero de fbricas de tecido, que exportavam para o mundo inteiro seus tecidos baratssimos e de boa qualidade.
    A competio entre elas foravam os empresrios a buscar constantes vantagens para garantir a sobrevivncia de seus negcios. Assim, eles paulatinamente incorporavam novas tecnologias, como o vapor como fonte de energia. Essas e outras atividades industriais no s incorporavam novas tecnologias e conquistavam novos mercados. Elas, tambm, implantavam novas formas de organizao do trabalho baseadas na crescente diviso e especializao das tarefas.
    Segundo Smith, a diviso e especializao do trabalho trazem importantes ganhos de produtividade. Os ganhos de produtividade o que permite com que o crescimento da economia no seja anulado pelo aumento da taxa de natalidade e, consequentemente, para o aumento do estoque de riqueza da sociedade. A diviso e especializao do trabalho geram ganhos de produtividade por que possibilitam que os trabalhadores
    (1) no percam tempo trocando de atividades de natureza distinta (como fazer o cadaro e o solado de um sapato),
    (2) possam ser empregados para as tarefas para as quais tm maior vocao e
    (3) introduzem inovaes nas tarefas especializadas que realizam inmeras vezes e repetidamente para torn-las mais fceis e rpidas (varivel importante quando o pagamento est relacionado com a produo de cada trabalhador).
    Da mesma forma com que o trabalhador melhora a produtividade pensando exclusivamente no interesse prprio, os negcios e a economia tambm proliferariam com a livre concorrncia e com o livre comrcio, pois os empresrios estariam sempre procurando formas de melhorar a produtividade de seus negcios a fim de diminuir os seus custos e aumentar as suas margens de lucros. Assim, cada um perseguindo livremente o prprio interesse acabaria trazendo ganhos para todos: pessoas, organizaes e naes.
    Adam Smith observava que uma economia baseada na livre concorrncia e no livre comrcio cresceria tanto mais quanto maior fosse a especializao e a diviso do trabalho. A maior diviso e especializao do trabalho trazem maior riqueza e ampliam as oportunidades de maior especializao e diviso do trabalho e de ganhos de produtividade, criando um crculo virtuoso em moto perptuo. E o que se aplica para uma sociedade se aplica para os pases no comrcio internacional.
    Alm disso, todo este dinamismo econmico produzido pela diviso e especializao do trabalho e pela livre concorrncia seria mais bem coordenado pelo livre jogo do mercado (a oferta/produo e a demanda/consumo). Em outras palavras, pela mo invisvel do mercado.
    preciso observar que a livre concorrncia era a realidade da nascente indstria britnica em funo da pequena dimenso dos mercados, das precrias condies de transporte e comunicaes e da relativa simplicidade da tecnologia da poca.
    Como possvel imaginar, Adam Smith era um crtico dos monoplios reais como era o caso da Companhia Britnica das ndias Orientais uma companhia formada por comerciantes de Londres em 1600 e para quem a rainha Elizabeth I concedeu o monoplio do comrcio com as "ndias Orientais", basicamente, ndia e China. Adam Smith fez escola e uma srie de brilhantes economistas (seno todos) foi ampliando, criticando e atualizando o seu legado.



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 13, 2010

    Quase 28 milhes de reais para o Tribunal de Constasde Minas.

    Plenrio recebe projeto
    de crdito suplementar
    para Tribunal de Contas

    O Projeto de Lei (PL) 4.919/10, do Governador, que autoriza a abertura de crdito suplementar de R$ 29,29 milhes ao Oramento do Estado, em favor do Tribunal de Contas de Minas Gerais (TCMG), foi recebido pelo Plenrio da Assembleia Legislativa de Minas Gerais nesta quinta-feira (7/10/10), durante Reunio Ordinria.
    A proposio foi encaminhada por meio de mensagem do Executivo e especifica que R$ 27,79 milhes destinam-se a cobrir despesas de pessoal e encargos sociais. O restante (R$ 1,5 milho) ser destinado a outras despesas correntes.
    De acordo com o Executivo, os recursos para o crdito suplementar viro do excesso de arrecadaes de receitas do Fundo Financeiro da Previdncia (Funfip), do saldo de recursos diretamente arrecadados, e da anulao de dotao oramentria prpria de custeio e de pessoal.
    A proposio lembra ainda que a utilizao dos crditos indicados no projeto de lei estar condicionada verificao dos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 8, 2010

    NOVO TEMPO, nova filosofia de ao na Defensoria Pblica Geral do Estado.

    A nova Defensoria Pblica Geral do Estado, dra. Andra Tonet, assumiu em agosto. Durante operdo da campanha eleitoral, cumprindo determinao do TSE, o site da Defensoria ficou congelado, mas o trabalho da nova diretoria no parou.Continuou em ritmo intenso.
    Todo planejamento estratgico da nova direo da Defensoria foi montado e aes na capital e no interior comearam a partir de primeiro de outubro. A Defensora Andra Tonet e o diretor Eduardo Generoso fizeram visita de cortesia ao presidente do Tribunal de Justia de Minas,desembargador Claudio Costa, para colocar a Defensoria como parceira com TJMG em aes em benefcio dos mais carentes.
    NOVIDADE: a filosofia da nova diretoria fazer um trabalho horizontalizado, valorizando cada defensor e/ou defensora, que passa a ter espao para colocar suas ideias e mostrar seu trabalho, aqui em BH e no interior.
    Segundo a dra. Andra Tonet, sero feitas visitas ao interior, para ouvir os defensores em cada regio de Minas e transformar em ao as idias e proposta recolhidas no contato direto com os profissionais, que do assistncias aos carentes em todo o Estado.
    DETALHE: fomos conviados e aceitamos o desafio de assumir o cargo de Chefe da Assessoria de Comunicao e Marketing da Defensoria Pblica.
    Estamos implementando aes estratgicas na rea, de acordo com a filosofia da nova direo dos defensores - fazer uma administrao horizontalizada, transparente e prativa em Minas.
    Uma das primeiras aes foi entrevistar a nova Defensora Pblica Geral, Andra Tonet, em nosso programa de TV na REDE SUPER.
    A entrevista de meia hora vai ao ar dentro de quinze dias no canal que visto em 250 cidades do Brasil, na Europa, Amrica Latina e costa oeste dos Estados Unidos.
    Na entrevista, a defensora pblica geral, nos disse que um concurso para preencher 150 vagas, est em andamento e ser finalizado at dezembro.
    Investir na implementao da internet para integrar toda a defensoria na filosofia da nova direo do rgo, aonde no s a defensora tenha espao na mdia.
    A meta criar um programa de TV aonde os defensores(as) tero espao para se comunicar com a populao.
    Aguardem!!!

                                 Dra. Andra Tonet, nova Defensora Pblica Geral do Estado:
                                   um novo tempo comea em Minas no atendimento jurdico
                                 s pessoas que no tm recursos para contratar um advogado. 


                             FRENTE PARLAMENTAR DE APOIO A DEFENSORIA PBLICA:
                                                          base fundamental da interlocuo 
                                                da defensoria com o a Assemblia de Minas.
                                       Contatos esto sendo intensificados pela nova diretoria.

    Deputada Estadual Rosngela com o novo diretor Eduardo Cyrino Generoso, numa das muitas reunies realizadas na busca de apoio s reivindicaes dos defensores no parlamento mineiro.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 8, 2010

    Defensoria Pblica tem tudopara comemorar!!!

    Defensores Pblicos
    comemoram primeiro ano
     da Lei Complementar n 132  

       
    Ontem, dia 7 de outubro de 2010, completou exatamente um ano que o Presidente da Repblica, Luiz Incio Lula da Silva, sancionou a Lei Complementar n 132, que reformou a Lei Orgnica Nacional da Defensoria Pblica (confira a ntegra da Lei).
    Um ano aps a reformulao da Lei da Defensoria Pblica, pode-se dizer que ela j uma realidade em quase todo o pas. Um estudo desenvolvido pela Associao Nacional dos Defensores Pblicos para analisar a aplicabilidade e executoriedade da nova lei, apontou que na maioria dos estados foi efetivada a democratizao do Conselho Superior, com nova composio e atribuies; a participao do presidente da associao nas sesses do conselho, com d ireito a voz e igualdade de condies com os conselheiros; e as eleies para Defensor Pblico Geral, por meio da lista trplice.

                                             Presidente da ANADEP Andr Castro

    Para o Presidente da Associao Nacional dos Defensores Pblicos, Andr Castro, "a LC 132 foi uma das maiores conquistas legislativas para a Defensoria Pblica brasileira. A democratizao da instituio, a ampliao e valorizao das funes institucionais e das atribuies dos Defensores Pblicos esto sendo os alicerces para tantas outras conquistas".
    Castro tambm classificou como decisiva a atuao da ANADEP para a aprovao da lei, "Desde 2003, quando foi apresentado o anteprojeto ao Ministrio da Justia, at as grandes mobilizaes da categoria no Congresso Nacional, especialmente no ano passado, quando o projeto foi aprovado na Cmara e no Senado em apenas seis meses, a presena da ANADEP foi fundamental. Passado um ano desde a histrica solenidade de sano, podemos fazer um balano e comemorar o fato de que a LC 132 j uma realidade em que quase todo o pas e, por isso, a Defensoria Pblica de hoje muito mais forte e respeitada que a de um ano atrs."
    De acordo com a vice-presidente da ANADEP, Mariana Lobo, "a LC 132 trouxe grandes conquistas para a Defensoria Pblica, como a regulamentao da autonomia, ampliao das atribuies do Conselho Superior, atribuio dos defensores para convocar audincias publicas, estmulo promoo da educao em direitos, entre outras. Hoje, tambm estamos em melhores condies para continuarmos lutando por uma estrutura melhor de trabalho e pelo tratamento isonmico entre as funes essenciais Justia".
    O Secretrio de Reforma do Judicirio/MJ, Marivaldo Pereira, tambm comemorou a data. "Tive grande satisfao em participar de praticamente todas as etapas da criao da LC 132, desde a sua elaborao, no Ministrio da Justia, seu acompanhamento no Congresso Nacional e a sano presidencial. Depois do Governo Federal ter cumprido a promessa do Presidente Lula e aprovado a autonomia da Defensoria Pblica na EC 45, a LC 132 era o necessrio passo seguinte para adequar a Lei Orgnica da Defensoria Pblica autonomia constitucional e garantir os avanos necessrios para assegurar a todos os brasileiros que necessitam o acesso Justia por meio dos servios da Defensoria Pblica."
    Parlamento
    Com uma atuao fundamental durante todo o processo de tramitao e aprovao da lei, o Senador Antnio Carlos Valadares (PSB-SE), relator da matria no Senado Federal, e o Deputado Mauro Benevides (PMDB-CE), relator na Cmara Federal, tambm comemoraram, ao lado da ANADEP, o primeiro ano de efetiva aplicao da LC 132.
    Para Valadares, "foi uma enorme felicidade poder ter contribudo como relator da LC 132 no Senado Federal. Desde o momento que examinei a matria pela primeira vez, percebi que ela traria grandes conquistas para a sociedade brasileira e, em especial, para os mais carentes, que necessitam de uma Defensoria Pblica forte e em condies de exercer sua misso constitucional com independncia e eficincia. Tenho certeza que minha reconduo ao Senado Federal pela vontade soberana do povo sergipano deve-se tambm minha luta em defesa da Defensoria Pblica, instituio de grande prestgio em meu Estado".
    Na Cmara Federal, Benevides proferiu discurso, no plenrio, para celebrar a data. "Ao lado do Ministrio Pblico e da Advocacia Geral da Unio, a Defensoria Pblica situa-se num patamar elevado, contemplando postulaes junto a Juzos e Tribunais do pas. Por isso, entendi de realar, desta tribuna, o magno evento, consciente de que ns, constituintes, estivemos inspirados nesse tocante, levando a diploma complementar as tarefas disciplinadoras de sua proficiente e benfica atuao em favor da coletividade", concluiu. 
    Mais Informaes: 
    Luzia Cristina Giffoni
    Assessoria de Comunicao Social
    Associao Nacional dos Defensores Pblicos
    Celular: (61) 9333-1036
    Site: www.anadep.org.br
    E-mail: imprensa@anadep.org.br
     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Outubro 7, 2010

    ARTIGO ESPECIAL

                                                            COMO A ECONOMIA FUNCIONA

                                                                            
                                                                             Srgio Birchal
                                                                               Economista

    O entendimento de como a economia funciona pode vir da experincia cotidiana. Ns nos deparamos com o mercado quando estamos busca de emprego ou quando estamos fazendo as compras de Natal. Porm, a economia moderna muito mais complexa, dinmica e sutil do que o simples bom senso nos permite perceber.
    No pretendo discutir em to curto espao toda a complexidade do funcionamento da economia (creio que mesmo que houvesse espao eu no teria a capacidade para tanto), mas gostaria de analisar com mais detalhe um aspecto fundamental da sua engrenagem: os preos.
    Os preos so um mecanismo muito eficiente de transmitir uma srie de informaes acerca dos bens e servios, tanto para os produtores quanto para os compradores. Os preos informam sobre a escassez, o tempo necessrio de produo ou ainda a qualidade ou o valor que cada sociedade d aos diferentes bens e servios.
    No Brasil, por exemplo, um jogador de futebol ganha muito mais do que um jogador de basquete de prestgio comparvel. O mesmo no ocorre nos Estados Unidos, onde esta relao inversa. Isto por que, ns brasileiros, gostamos muito mais de futebol do que de basquete, enquanto a preferncia do norte-americano justamente a inversa.
    Mas o comportamento dos preos de especial interesse para os economistas, pois lhes permite avaliar a velocidade de crescimento da economia, por exemplo. Um dos preos mais analisados pelos economistas neste sentido o do trabalho. Um bom indicador deste preo taxa de desemprego. Quanto maior a taxa de desemprego, menores so os salrios (e a massa salarial e o consumo); quanto menor a taxa de desemprego, maiores so os salrios (e a massa salarial e o consumo).
    Alm disso, na dcada de 1960 o economista Willian Phillips mostrou que havia uma correlao negativa (trade-off ou escolhas excludentes) entre inflao (ou alta generalizada dos preos) e taxa de desemprego. Isto , quanto menor a taxa de desemprego maior a taxa de inflao e vice e versa.
    Ou seja, quanto menor o desemprego, menor a disponibilidade de pessoas de preferncia, com experincia e qualificao a procura de trabalho, pois quanto menor a taxa de desemprego, maior o nmero de pessoas trabalhando. Quanto mais pessoas trabalham, maior a massa de salarial. Quanto mais dinheiro as pessoas tiverem no bolso, maior o consumo.
    Porm, para as empresas crescerem a produo quando a taxa de desemprego pequena elas so obrigadas a oferecer uma remunerao maior para que o trabalhador aceite a trocar de empregador. Isto aumentar os custos de produo das empresas, que tendero a repassar para os preos finais, gerando a elevao geral dos preos e do custo de vida.
    Algo semelhante ocorre, mas de forma mais setorizada, na construo civil no Brasil nos dias de hoje, por exemplo. Com a expanso do crdito para a aquisio da casa prpria, com os incentivos do governo, com o aumento do emprego e da renda houve o aumento da demanda (consumo) por imveis. Os preos dos imveis subiram rapidamente, por que a disponibilidade de residncias para pronta entrega era insuficiente.
    Os preos mais elevados atraram as construtoras, que se apressaram em aumentar o lanamento de novos empreendimentos imobilirios. A expanso do setor aumentou a procura (demanda) pelos insumos da construo (materiais, servios e mo-de-obra), que por sua vez eram insuficientes. No havia, por exemplo, gente habilitada e com experincia para trabalhar na construo civil.
    Assim, os custos de construo foram os que mais cresceram (inflao) na economia brasileira at setembro de 2010, refletindo o ritmo de crescimento do setor. Mais ilustrativo ainda que entre os insumos da construo (materiais, servios e mo-de-obra), o item que ficou mais caro neste ano foi o custo do trabalho, segundo o ndice Nacional da Construo Civil (INCC) da Fundao Getlio Vargas.
    Assim, no limite, a sociedade est sempre tendo que optar entre um menor desemprego (e salrios mais elevados) e maior inflao (ou preos mais elevados) ou vice e versa. Isto mais verdadeiro quando a taxa de desemprego efetiva menor do que a taxa de desemprego natural (ou mdia histrica) h sempre uma parcela da populao que no trabalha por vrias razes. Por isso que o crescimento acelerado de curto prazo da economia sempre causa apreenso entre os economistas, que passam a ser considerados pessimistas.
    Outra questo relacionada com os preos a do dinheiro. Nossas relaes econmicas so intermediadas pelo dinheiro. Nosso salrio (o preo do trabalho) pago em dinheiro, mesmo que seja um depsito em uma conta bancria. Com o dinheiro do nosso salrio vamos comprar os bens (comida, produtos de higiene pessoal, entre outros) e os servios (plano de sade, comunicao etc.) de que necessitamos. Desta forma, o dinheiro tem o papel de meio de circulao.
    Para que se possa trocar uma consulta mdica por um pozinho, por exemplo, fundamental que ambos sejam reduzidos a um denominador comum. No caso da sociedade moderna este denominador comum o dinheiro, que neste caso tem a funo de unidade de valor. Ou seja, o dinheiro transforma banana e abacaxi (no nosso exemplo, consulta mdica e pozinho) em coisas iguais, passveis de serem comparveis e trocadas (comercializadas).
    Finalmente, o dinheiro tem o papel de reserva de valor. Quando a inflao no Brasil era de mais de 1.000% ao ano, ningum queria ficar com o dinheiro no bolso ou parado na conta bancria. Com o Plano Real e a estabilidade da inflao em patamares relativamente baixos o brasileiro perdeu a necessidade de transformar o mais rpido possvel o seu salrio em compra de supermercado para o ms inteiro, pois agora, com a inflao controlada, o dinheiro continua comprando mais ou menos a mesma coisa da a trinta dias.
    Na maioria dos pases s os governos que podem imprimir dinheiro. Idealmente, deveria haver tanto dinheiro quanto a demanda (procura) por ele. A quantidade necessria de dinheiro em circulao na economia pode variar como normalmente ocorre em dezembro. Porm, quando o governo imprime menos dinheiro do que necessrio para que as transaes econmicas se concretizem a economia emperra e cresce menos do que poderia.
    Quando, ao contrrio, ele imprime mais dinheiro do que o necessrio (por exemplo, quando ele tem que pagar contas para as quais no h arrecadao de impostos suficiente) os preos sobem. Com mais dinheiro em circulao a demanda por bens e servios ser maior do que a oferta (disponibilidade) destes. Assim, os preos tendero a subir.
    Para concluir, um bom entendimento do funcionamento da economia moderna requer a percepo da importncia do comportamento dos preos e as suas conseqncias para o ritmo de crescimento da economia.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 6, 2010

    NEW FIESTA - um novo conceito de carro no mercado.

          
           
           Sede da Concessionria FORLAN na capital mineira.
           Fica na av. Baro Homem de Melo.
           L comprei um Ford Fiesta para minha mulher,
           a decoradora Cida Amaral.
           Estamos gostando muito.

           Destacamos o eficiente atendendimento
           do consultor de vendas da Forlan,
           Luciano Costa.
           Bem informado sobre o produto,
           com viso global, educado e eficiente.
           Nota 10.

           E j estou de olho no NEW FIESTA. 
           Belisimo, moderno e com custo benefcio adequado.
          Confira abaixo:

           ford novo fiesta sedan 2 Novo Ford Fiesta sedan  apresentado na China

    Uma ao indita que une encontros para convidados em mais de 180 distribuidores Ford e a divulgao desses eventos no Facebook marcar o "New Fiesta Day", que ser realizado nesta quinta-feira, 23, simultaneamente em diversas cidades do Pas. O objetivo apresentar o New Fiesta e mostrar as vantagens do carro global da Ford para o pblico brasileiro.
    "Programa de lanamento inovador, o "New Fiesta Day" poder ser acompanhado atravs de fotos e vdeos postados na pgina facebook.com/newfiestastories. Essa a primeira vez que os distribuidores de uma marca promovem um evento de apresentao de um veculo simultaneamente para potenciais clientes do produto nacionalmente", destaca Antonio Baltar, Gerente Geral de Marketing da Ford.
    Para os eventos, foram projetados ambientes modernos e atraentes, padronizando o nvel e o contedo das apresentaes. Haver demonstrao do New Fiesta e suas vantagens competitivas em seu segmento, conduzida por especialistas do produto. O evento tambm ter a presena de executivos da Ford, que estaro disposio dos convidados da rede de distribuidores.
    "Essa ser uma oportunidade direta para apresentar o carro em primeira mo para clientes e personalidades regionais no Pas. Para um carro diferenciado no design e no contedo de tecnologia, que est atraindo muita ateno, criamos o "New Fiesta Day" para falar pessoalmente com milhares de pessoas em diferentes cidades brasileiras", diz Antonio Baltar.
    No Facebook
    A caracterstica de modernidade do New Fiesta tambm levou a Ford utilizar formas de divulgao inditas no Pas. Para lanamento de um novo veculo, as mdias sociais tem um papel importante na apresentao e na construo do conceito desse novo produto.
    "Queremos mostrar ao pblico todos os momentos do lanamento e o Facebook um instrumento ideal para essa finalidade. Na pgina www.facebook.com/newfiestastories possvel estar conectado com um novo perfil de consumidor, que gosta de interagir e receber em tempo real as novidades do mercado. No Facebook reportaremos o "New Fiesta Day" e vrias outras histrias ligadas ao produto", esclarece o gerente de marketing da Ford.
    Referncia no mercado
    Criado para ser referncia em design, segurana, dirigibilidade e qualidade, o New Fiesta a sexta gerao do modelo. Sucesso na Europa e na sia, ele chega agora ao Brasil, ao mesmo tempo que nos Estados Unidos, Mxico e Canad. As linhas fluidas e envolventes da carroceria esto presentes tambm dentro da cabine, projetada no estilo "cockpit".
    O carro equipado com o avanado motor Sigma 1.6 Flex, oferece 7 air bags e traz um display multifuncional de LCD no centro do painel que concentra as informaes funcionais e de entretenimento do veculo, entre outras novidades.














    Leia Mais




















    TRANSIT CRESCE NO SEGMENT ...
    FIESTA RS WORLD RALLY CAR ...
    FORD VENDE 155 FIESTA ROC ...


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 6, 2010

    Vem a a PEC DA FELICIDADE. PIB no. E sim, FNB ( FELICIDADE NACIONAL BRUTA) . Comojornalista e Blogueiro, engajo-me no "MOVIMENTO MAIS FELIZ". Vale conferir E-mail que receb de So Paulo sobre o assunto. Recomendo!!!

                        Mauro Motoryn 
                        idealizador do Movimento MAIS FELIZ

    Prezado Jornalista,
    Felicidade realmente um assunto que est presente nas pautas nacional e internacional. Encaminhamos abaixo artigo produzido pelo jornalista Clvis Rossi, que trata sobre Felicidade Interna Bruta (FIB) como uma nova forma de mensurao a ser considerada para efeito de polticas pblicas.
    E o Movimento Mais Feliz busca hoje, junto ao Congresso Nacional (Senado Federal e Cmara dos Deputados), a aprovao da chamada PEC da Felicidade, uma proposta que conta com o apoio da
    Associao Nacional dos Procuradores da Repblica (ANPR), da Associao Nacional dos Defensores Pblicos Federais (ANADEF), da Associao Nacional do Ministrio Pblico Criminal (MPCRIM) e da Associao Paulista de Magistrados (APAMAGIS) e que tem como objetivo central incluir o "direito busca da felicidade" na Constituio Federal.
    A alterao constitucional ocorreria no artigo 6 da Constituio, nos seguintes termos: "So direitos sociais, essenciais busca da felicidade, a educao, a sade, a alimentao, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurana, a previdncia social, a proteo maternidade e infncia, a assistncia aos desamparados, na forma desta Constituio". 
    A PEC da Felicidade visa reforar direitos e garantias j previstos na Constituio. A proposta fazer com que o Estado assuma que o cumprimento qualitativo e igualitrio de tais benefcios a toda populao algo que garante o bsico para que todos possam buscar a felicidade.
    Mais do que ter previsto na Constituio que tais direitos so deveres de nosso Estado, queremos fazer com que ele assuma a responsabilidade por oferecer condies bsicas para que seus cidados busquem a felicidade com dignidade, a partir de um ponto onde todos so iguais e tm as mesmas oportunidades para partir rumo a essa busca; a felicidade como norteadora de polticas pblicas.

    Seria a hora de perguntar tambm - por que o Estado valoriza o desenvolvimento da economia como escopo mximo, esquecendo de direcionar um olhar cuidadoso para o seu maior capital, que o capital humano?
    Uma discusso que, inclusive, em alguns dos pases mais avanados que procuram a efetivao de direitos humanos, j virou artigo da Constituio.

    Mauro Motoryn, idealizador do Movimento Mais Feliz. 
     

                                                                 Artigo Clvis Rossi

    "Felicidade nacional bruta"
     

    Joseph Stiglitz, esse prmio Nobel de Economia que uma espcie de dom Quixote da economia moderna, sugeriu, faz um ano, pouco mais ou menos, que o tal de PIB (Produto Interno Bruto, medida da produo econmica do pas) incorporasse outros elementos ligados ao bem estar e ao desenvolvimento sustentvel.
    Seria o que chamei, em colunas anteriores para a Folha, de FIB (Felicidade Interna Bruta), muito mais importante do que saber quanto aumentaram (ou diminuram) a produo de carros, de soja, as importaes e as exportaes --e por a vai.
    Pois bem, o presidente Nicolas Sarkozy, esse mesmo que hoje est sob fogo por estimular todos os demnios xenfobos e por procurar uma sada para a crise pela arqui-percorrida via do corte de benefcios sociais, teve coragem para incorporar o chamado Relatrio Stiglitz s contas nacionais.
    Criou at uma comisso, presidida pelo prprio Stiglitz, para saber como tornar operacional essa nova maneira de medir a economia. Pois bem: no ms que vem, segundo anuncia o "Figaro", o Insee (Institut national de la statistique et des tudes conomiques), que vem a ser o IBGE francs, comear a publicar um dossi sobre as condies de vida, levando em conta as diferentes dimenses preconizadas pelo relatrio do Nobel.
    O jornal antecipa dados bem interessantes. Na rea social, por exemplo, calculou-se "o efeito redistributivo do financiamento pblico da sade e da educao". Concluso: tais servios (assegurados pelo Estado e de qualidade incomparavelmente superior na comparao com o Brasil, por mais que os franceses deles reclamem) representaram 23% da renda disponvel dos lares.
    Ou seja, cada famlia francesa teria que gastar 23% mais, se fosse obrigada a recorrer a servios privados de educao e sade.
    Segunda concluso: a brecha entre a renda disponvel dos 20% mais ricos e a dos 20% mais pobres passaria dos atuais trs vezes mais para cinco vezes mais, sem servios pblicos de sade e educao.
    Acho que no preciso dizer o quanto a classe mdia brasileira, que recorre escolas privadas para os filhos e a seguro-sade tambm privado para a famlia toda, se beneficiaria se pudesse confiar no setor pblico.
    Fico muito curioso de saber o quanto aumentaria o bem-estar dos mais pobres, condenados a pr os filhos numa escola pblica em geral fraca e a enfrentar as filas dos hospitais pblicos, se o Brasil tivesse a coragem de introduzir nas sua contabilidade a FIB inventada por Stiglitz. 
    Clvis Rossi reprter especial e membro do Conselho Editorial da Folha, ganhador dos prmios Maria Moors Cabot (EUA) e da Fundacin por un Nuevo Periodismo Iberoamericano. Assina coluna s quintas e domingos na pgina 2 da Folha e, aos sbados, no caderno Mundo. autor, entre outras obras, de "Enviado Especial: 25 Anos ao Redor do Mundo e "O Que Jornalismo".

    "Oficina da Palavra"
    Liliane Pinheiro
    Coordenadora de Atendimento
    61 3322-6753 ramal: 215
    61 9974-5228




                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Quarta-feira, Outubro 6, 2010

    Feriado de 12 de outubro.

    Funcionamento dos Correios no feriad
    AGNCIAS
    11 de outubro (segunda-feira) – Funcionamento normal.
    12 de outubro (tera-feira) – Agncias fecham.
    O horrio normal de atendimento das agncias
    est disponvel no site dos Correios, no link http://www.correios.com.br/servicos/agencias/default.cfm.

    CENTRAL

    CENTRAL
    DE ATENDIMENTO DOS CORREIOS (CAC)
    A CAC funcionar normalmente das 8h s 22h.
    Para informaes sobre o funcionamento das agncias,
     ligar 3003 0100 (capitais e regies metropolitanas)
    e 0800 725 7282 (demais localidades).
    Para registrar sugestes, elogios ou reclamaes,
    o nmero 0800 725 0100.




     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 5, 2010

    Da srie: UMA FOTO VALE POR MIL PALAVRAS.

    Toninho Carvalho/Divulgao

    Colunista Cesar Romero e o diretor da Embratel em Minas, Altivo Oliveira, que est em Salvador participando de evento business, representando a Embratel.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 5, 2010

    Amanh na REDE SUPER, - canal 23 a cabo em BH e pela internet www.redesuper.com.br - o entrevistado o consultor Dangelo Cicarini, que criou uma mtodo indito de aprender Ingls.





    Dngelo Cicarini
    o nosso entrevistado
    desta quarta-feira-feira, s 20 horas.



    Assista nesta quarta-feira, s 20 horas.
    Talk Show do Joo Carlos Amaral.

     Coloque na sua agenda e assista!!!


    Nesta quarta-feira, s 20:00
    REDE SUPER

    TALK SHOW
    Joo Carlos Amaral, assista!!!





    Histrico

    O nosso entrevistado Dangelo Cicarini, mineiro de BH. MOra em Braslia. Criativo, genial criou um mtodo indito de aprender INGLS em apenas 30 minutos.




























    "dangeloo" um estudo indito resultante de uma longa e dedicada pesquisa cientfica sobre a linguagem, que culminou com a descoberta de uma frmula exata que possibilita introduzir, aperfeioar e explicar aspectos importantes da linguagem. A primeira lngua a ser decodificada foi a lngua inglesa atravs deste sistema de medio dos sons, explicando assim o incio da formao dos sons e das palavras, esta uma ferramenta que pode ser usada para comear a viabilizar a comunicao entre os povos, uma vez que nos tempos atuais, para estar em sintonia com a globalizao necessrio o domnio de outros idiomas.

    Foram consumidos alguns anos em pesquisas e se pode afirmar que estamos somente no comeo, trata-se de uma ferramenta que base para o desenvolvimento de novas tecnologias, o aparecimento de novas teorias, novas aplicaes e o surgimento de novos cientistas que venham a dominar esta antiga cincia que possui um novo ngulo, e que trata de um padro de medida do som, decodificado por Dngelo Ciccarini.

    Com estudos na rea de engenharia e com muita facilidade para cincias exatas, principalmente em matemtica, nos ltimos anos, ele vinha atuando profissionalmente com estratgias junto ao mercado financeiro. Porm, filho de vendedores de livros, sempre entendeu que o acesso a educao e a informao eram fatores fundamentais para o desenvolvimento mental, social, cultural e profissional do ser humano e uma forma natural de equilbrio entre as pessoas que possuem uma maior e uma menor equiparao de rendas. Alm disso, ajudando a batalha dos pais de origem humilde, desenvolveu o mesmo esprito persistente e criativo de encontrar solues para uma condio de vida limitada, que so caractersticas tpicas dos brasileiros.

    Sua primeira tentativa foi com a fabricao e venda de bolsas aos 15 (quinze) anos de idade, e com muito esforo, fez da sobrevivncia o seu primeiro negcio.

    Mas, assim como milhes de pessoas de todo o mundo que passaram a conviver num mundo mais globalizado e conectado, ele necessitava do aperfeioamento da lngua inglesa para melhorar a prtica de suas atividades profissionais.

    Alm disso, de forma freqente, buscava explicaes para as diversas palavras estrangeiras que faziam parte em seu cotidiano, em vitrines, prateleiras, cardpios, placas, anncios publicitrios, veculos de comunicao, celebridades, msicas, filmes estrangeiros e, at mesmo, no prprio dicionrio da lngua portuguesa, que incorporou palavras estrangeiras que, aparentemente, no seguiam um padro lgico de pronncia.

    Aps avaliar diversos cursos e metodologias de ensino de idioma Ingls, dos mais tradicionais at aqueles que prometiam resultados rpidos, acabou tendo interesse por realizar estudos relacionados a lingustica e comunicao, atravs de um aprofundamento aos diferentes posicionamentos de pensadores, filsofos e professores dessas reas, somando seus conhecimentos e experincias na rea das cincias exatas.

    Um dos mais conceituados lingistas, Noam Chomsky, dizia que "a linguagem possui propriedades matemticas". J o famoso filsofo Pitgoras dizia que "tudo era matemtica". E, entre outros, um dos professores dos cursos realizados para o aprendizado de lngua inglesa baseada na engenharia e fisiologia da fala, Jos Borba argumentou sobre a "linguagem ser orgnica".

    A soma dessas informaes aumentou o interesse em buscar uma sntese de todos esses posicionamentos, acreditando que a escrita exata e originada da fala e mantm padres exatos, a fim de explicar a pronncia das palavras e facilitar o aprendizado da lngua inglesa para qualquer outro idioma estrangeiro, inclusive para a lngua portuguesa de seu pas.

    Dessa forma, aps muitos anos de aprofundamento e aperfeioamento, pode concluir com seu estudo que, como toda cincia exata (matemtica - tabuada, qumica - tabela peridica, etc), a comunicao tambm possui uma frmula, uma tabela ou uma tabuada.

    Seu estudo foi avaliado, gerando o registro dos direitos autorais e a patente, permitindo, entre muitas oportunidades e aplicaes futuras para a comunicao entre povos e culturas diferentes, a disponibilidade inicial do site dangeloo.com para o amplo acesso de um enorme pblico que tambm necessita da lngua inglesa para ascenso profissional e social.

    Dessa forma, permitir gerar diversas aplicaes para aprimorar a comunicao entre populaes de idiomas diferentes, acelerando tambm o processo de aprendizado praticado atravs das tradicionais ou novas metodologias; alm de possibilitar o desenvolvimento de oportunidades que favorecero uma aproximao com o idioma e a incluso das classes menos favorecidas que buscam uma ascenso profissional e social.

    Portanto, essa uma iniciativa que visa basicamente a educao, a qualificao profissional e o acesso a informao para milhes de brasileiros e muitos outros cidados pelo mundo.

                                                                    

     

    O "Programa Joo Carlos Amaral Entrevista"
     vai ao ar na TV  REDE SUPER,
    canal 23 da NET,
    toda quarta-feira,s 20 horas,
    com reprise:
    s sextas-feiras
    s 9:00 hs da manh.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 5, 2010

    Poltica mineira de luto.







    Anastasia, Alberto Pinto Coelho e Serra
     lamentam morte de Acio Cunha

    O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), vice-governador eleito, lamentou, nesta segunda-feira (4/10/10), a morte do ex-deputado Acio Ferreira da Cunha, pai do ex-governador de Minas e senador eleito Acio Neves, ocorrida no domingo (3). O corpo foi velado no Salo Nobre da ALMG desde o incio da manh desta segunda. Acio Cunha morreu no domingo (3), dia em que os brasileiros foram s urnas votar para presidente, governador, senadores, deputados federais e estaduais.
    "Trata-se de uma grande perda. Acio Cunha foi um homem pblico que marcou sua trajetria pela dignidade, pela honradez e pelos mais nobres compromissos com Minas e com o Pas. Ele deixa o seu exemplo de vida na trajetria de seu filho, Acio Neves, um grande lder e um estadista construdo por Tristo da Cunha, na linhagem paterna, e Tancredo Neves, na linhagem materna", declarou Alberto Pinto Coelho.
    O governador Antonio Anastasia tambm esteve na Assembleia para prestar condolncias famlia. Na sada, ele destacou o respeito e a admirao que sempre teve por Acio Cunha. "Ele sempre foi um modelo, um exemplo de homem pblico e de pai de famlia. Inclusive todos conhecem seu gesto, nico na histria brasileira, de recusar uma indicao para o Tribunal de Contas da Unio", lembrou o governador. "Fica a imagem de sua vida, to bela, a favor de Minas", concluiu. Ele permaneceu cerca de duas horas no velrio, at a sada do caixo para o Cemitrio Parque Renascer, por volta de 13 horas.
    Solidariedade - O candidato do PSDB Presidncia da Repblica, Jos Serra, veio a Belo Horizonte especialmente para prestar solidariedade ao ex-governador Acio Neves e famlia. Serra esteve no velrio, na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, acompanhado do governador eleito de So Paulo, Geraldo Alkmin, do senador eleito Aloysio Nunes Ferreira (SP), do senador e presidente do PSDB, Srgio Guerra (PSDB-PE), entre outras pessoas. Serra afirmou que Acio Cunha foi um "homem correto, moderado, discreto e de muita dignidade". "Eu sei como perder o pai, perder a me, e uma hora em que os amigos devem estar juntos", afirmou. Tambm esteve no velrio o governador de So Paulo, Alberto Goldman, que era vice de Serra e assumiu o governo paulista para Serra concorrer presidncia.
    O ex-governador Acio Neves agradeceu a presena das centenas de pessoas que compareceram ao velrio e disse que o pai "marcou sua trajetria poltica pela honradez e pela dignidade que inspira no apenas a mim, mas a todos aqueles que tiveram o privilgio de conviver com ele". Acio afirmou que seu pai foi um homem simples, "de hbitos simples, e que deixa pra mim (a lio de) que as coisas importantes da vida no so os mandatos, as glrias ou as grandes vitrias, mas sim o reconhecimento ao trabalho srio e sua postura de homem pblico, de homem digno".
    O vice-presidente da Repblica, Jos Alencar; o ex-presidente, ex-governador e senador eleito, Itamar Franco; o prefeito de Belo Horizonte, Mrcio Lacerda; o ex-governador, senador e deputado federal eleito, Eduardo Azeredo; o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel; o ex-governador Francelino Pereira; dezenas de deputados, secretrios de Estado, prefeitos e empresrios, alm de amigos da famlia, tambm compareceram ao velrio do ex-deputado Acio Cunha, ao longo da manh desta segunda-feira (4). Ele morreu aos 83 anos, no domingo (3/10), vtima de insuficincia heptica, deixando a viva Snia Maria Bastos e os filhos Acio, Andra e ngela (filhos de sua primeira mulher, Ins Maria Neves da Cunha).



                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Tera-feira, Outubro 5, 2010

    Homenagem do consultor financeiro mineiro Wagner Gomes, ao amigo e conterrneo dele, o colunista Theodomiro Paulino que aniversariou dia 1 de outubro. Publicando o Artigo Especial de Wanger, me associo aos cumprimentos ao Theo, que muito admiro.

                                                                 Em sociedade, tudo!
                                                                     Wagner Gomes




                                                              TPaulinoG


                                                                       Theodomiro Paulino
    Colunista social de grande popularidade desde o incio de sua carreira, tornou-se um homem invejado, influente e, tambm, injuriado. Bem frente de seu tempo, comeou a conhecer e selecionar pessoas ao frequentar e promover festas, ganhando prestgio e destaque.
    Concentrava suas notas em comentrios sobre gente da alta sociedade norte-mineira que, paradoxalmente,  foi por ele edificada. Alguns bordes que utilizou ao longo da vida, tais como, " preciso ser para acontecer", "a caravana passa e os ces ladram", "em sociedade tudo se sabe" e "sorry, periferia", ajudaram-no a construir um estilo, ao mesmo tempo afetivo e irnico, fazendo com que sua coluna fosse lida por todas as camadas sociais.
    Conviveu com personalidades famosas no Brasil e no exterior, e adotou um estilo de vida que a uns se mostrava sofisticado, a outros ostentatrio, quando na realidade ele to-somente vivia, em seu sentido pleno, aquilo que sempre denominou de glamour.
    Fissurado nas grandes estrelas de cinema do passado, quis trazer para a vida real aquele imaginrio que povoava seus sonhos, nunca se cansando de promover a beleza feminina. Com essa postura, tornava suas festas um verdadeiro desfile de classe e elegncia.
    Para coroar esse cenrio, lanou o Baile da Glamour Girl, promoo que se tornou um marco no calendrio social de Montes Claros, cujo ponto alto era o jri, composto pelas mulheres mais belas do pas e por homens de destaque na vida empresarial e poltica, nacionalmente conhecidos.
    Esse clima criado ao seu redor perpetuou-se em sua trajetria que, agora, completa 45 anos de muito sucesso. Imaginem algum, todos os dias ao longo dessas quatro dcadas e meia, levantando-se cedo e preparando-se para escrever uma coluna diria, tentando a um s tempo manter e aumentar o pblico conquistado em seu mister.
    Pois  Miro, como carinhosamente Dona Dina o chama, logo percebeu que, para manter sua audincia, deveria diversificar sua coluna, sem perder o charme - sua marca registrada. Assim criou um estilo prprio de noticiar o mundo, sem se descuidar dos acontecimentos de sua aldeia. Manteve sua personalidade, inventou termos, lanou pessoas, criou modismos, e no tinha medo de elogiar ou criticar, segundo os seus prprios critrios.
    s vezes com um estilo franco e agressivo, em outras adotando um tom conciliador, mesclava, com rara propriedade, informaes da vida mundana com notas econmicas, polticas e, pasmem, eventos internacionais. Acompanhou festas de entrega do Oscar e foi premiado como destaque em New York, com o trofu Awards.
    Frequentou grandes sales, inclusive o mais famoso deles, o do Copacabana Palace.  Elegeu Ibrahim Sued, de quem se tornou fraterno amigo, como seu dolo na profisso e, com ele, aprendeu, alm dos bordes famosos, que agenda telefnica era um poderoso instrumento de trabalho.
    Cresceu tanto em todos os sentidos, que ganhou espaos em nossa TV e nos jornais de Belo Horizonte, tornando-se um dos jornalistas mais lidos de nosso Estado. Seu blog, na internet, referncia para dezenas de milhares de montesclarenses ausentes desejosos de saber o que se passa por aqui.
    Ao adquirir toda essa dimenso, Theodomiro manda s favas a modstia, pois tem certeza de que deu nobreza ao estilo jornalstico que exerce. Em sua coluna, duas caractersticas importantes se destacam: a agilidade e a abrangncia das notcias que, embora constitudas por notas curtas, permitiram-lhe publicar grandes furos jornalsticos em sua carreira, fruto dos bastidores obtidos em seu crculo de relacionamento.
    O grande charme que envolve Theo s pode ter sido construdo a partir da expresso de sua prpria individualidade. mole, ou querem mais?


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 4, 2010

    REELEITO!!!

    Anastasia se reelege com votao histrica.
    Anastasia 62,72%.
    Hlio Costa 34,17%.

    Sees: 43.851
    Sees Apuradas: 43.839 (99,97%) 
     
    Eleitorado: 14.513.934
    Apurado: 14.511.098 (99,98%)

    Absteno: 2.674.852 (18,43%)
    Comparecimento: 11.836.246 (81,57%) 
    Votos: 11.836.246
    Brancos: 711.990 (6,02%)
    Nulos: 1.119.964 (9,46%)

    Vlidos: 10.004.292 (84,52%)   

                                                                   Alberto e Anastasia

                                            ANTONIO ANASTASIA: 6.274.504 (62,72%) 

    HELIO COSTA: 3.418.931 (34,17%)

    Z FERNANDO APARECIDO PV 234.101 (2,34%) 
    PROF LUIZ CARLOS PSOL 32.734 (0,33%)
    VANESSA PORTUGAL PSTU 29.833 (0,30%) 
    FABINHO PCB 6.762 (0,07%)
    EDILSON NASCIMENTO PT do B - PTN / PRTB / PHS / PTC / PRP / PT do B 4.639 (0,05%)


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 4, 2010

    Perfil do vice eleito.

    Alberto Pinto Coelho o terceiro presidente
    da Assembleia a assumir a Vice-Governadoria

    O presidente da ALMG, deputado Alberto Pinto Coelho (PP), foi eleito vice-governador do Estado pela chapa Somos Minas Gerais, encabeada pelo governador Antonio Anastasia (PSDB). Com 90,25% dos votos apurados, a chapa vencedora no pode mais ser ultrapassada na votao. Na histria do Legislativo Mineiro, Alberto Pinto Coelho o terceiro deputado a ocupar o cargo de vice-governador. Os outros dois foram Jos Ribeiro Pena (PSD), na primeira legislatura (1947-1951), e Pio Canedo (PSD), na quinta legislatura (1965-1967). Com a vaga aberta a partir da posse como vice-governador, em 1 de janeiro de 2011, a presidncia da Casa ser exercida pelo atual 1-vice-presidente, deputado Doutor Viana (DEM), at posse dos novos deputados a 1 de fevereiro. Leia mais

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 4, 2010

    Assemblia de Minas teve renovao de 36,36%. Ter 28 novos deputados.

    Com 99,47% dos votos apurados, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais ter 28 novos deputados em 2011. um ndice de renovao de 36,36%, em relao composio do Legislativo estadual em outubro de 2010.
    O percentual mais baixo que os registrados nas duas ltimas eleies. Em 2006, foram 31 novos deputados, uma renovao de 40,1%. J em 2002, foram 36 novos deputados, um percentual de 46,75%.
    Dos 77 atuais deputados estaduais, 65 foram candidatos reeleio. Entre esses, 49 foram novamente eleitos para a Assembleia, um ndice de reeleio de 75,38%.
    Em relao ao incio da 16 Legislatura (2007-2011), o ndice de renovao da Assembleia Legislativa de Minas Gerais sobe para 42,85%. Ou seja, 44 deputados estaduais que se elegeram em 2006 voltaram a vencer em 2010.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 4, 2010

    O campeo dos votos para a Assemblia de Minas: deputado DINIS PINHEIRO, do PSDB.







     

                                


      

      Dinis obteve 159.407 votos
    Ele o primeiro secretrio da Assemblia de Minas.
    E no ser surpresa se ele for o prximo presidente
    da Assemblia de Minas. Anotem!!!

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 4, 2010

    Sete deputados estauais de Minas se elegeram deputados federais.

    Dos 77 deputados estaduais da 16 Legislatura, 12 no concorreram reeleio em 2010. O atual presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, Alberto Pinto Coelho (PP), elegeu-se vice-governador do Estado, na chapa do governador Antonio Anastasia (PSDB). Outros sete parlamentares da ALMG foram eleitos para a Cmara dos Deputados.
    Os resultados, com 99,6% dos votos apurados mostram que, dos novos deputados federais oriundos da Assembleia, trs integram a coligao PSDB/DEM/PP/PR/PPS.
    So eles Marcus Pestana (PSDB),
    Dimas Fabiano (PP)
    e Domingos Svio (PSDB).
    Outros dois parlamentares so da coligao Todos Juntos por Minas, que rene PT/PMDB/PCdoB/PRB:
    Weliton Prado e Padre Joo, ambos do PT.
    Eros Biondini (PTB) elegeu-se deputado federal pela coligao Justia Social e Trabalho, que inclui ainda o PSB. Completando a lista,
    Walter Tosta (PMN) foi eleito pela coligao Unidos por Minas, que rene tambm o PSL e o PSDC.
    Dois deputados estaduais da atual legislatura compuseram chapas como suplentes de candidatos ao Senado.
    Elmiro Nascimento (DEM) e Zez Perrella (PDT) so, respectivamente, primeiros suplentes dos dois senadores eleitos por Minas Gerais, os ex-governadores Acio Neves (PSDB) e Itamar Franco (PPS).
    Entre os parlamentares da ALMG que no tentaram a reeleio, Ruy Muniz (DEM) ficou como suplente de sua coligao na disputa para deputado federal, e Djalma Diniz (PPS) no disputou cargo eletivo.

     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Segunda-feira, Outubro 4, 2010

    Eleitos para a Assemblia de Minas.

    Apurao chega a 99,8%, confira a composio da ALMG
    A apurao dos votos pelo TRE/MG chegou a 99,8% dos votos apurados pelo TRE/MG s 23h09 deste domingo (3/10/10), a Assembleia Legislativa de Minas Gerais ter a seguinte composio na 17 Legislatura (em negrito, os nomes dos candidatos que no exercem mandato de deputado estadual atualmente):
    Coligao PSDB/DEM/PP, com 18 vagas:
    1 DINIS PINHEIRO PSDB - PP / DEM / PSDB 159.407
    2 MAURI TORRES PSDB - PP / DEM / PSDB 106.193
     GIL PEREIRA PP - PP / DEM / PSDB 95.396
    4 DALMO RIBEIRO PSDB - PP / DEM / PSDB 90.538
    5 LUIZ HUMBERTO CARNEIRO PSDB - PP / DEM / PSDB 88.963
    6 GUSTAVO CORREA DEM - PP / DEM / PSDB 85.297
    7 JOAO LEITE PSDB - PP / DEM / PSDB 84.287
    8 DOUTOR VIANA DEM - PP / DEM / PSDB 80.401
    9 CARLOS MOSCONI PSDB - PP / DEM / PSDB 79.705
    10 LAFAYETTE ANDRADA PSDB - PP / DEM / PSDB 78.301
    11 LUIZ HENRIQUE PSDB - PP / DEM / PSDB 77.502
    12 Z MAIA PSDB - PP / DEM / PSDB 72.336
    13 GUSTAVO VALADARES DEM - PP / DEM / PSDB 71.320
    14 BONIFCIO MOURO* PSDB - PP / DEM / PSDB 68.285
    15 CLIO MOREIRA PSDB - PP / DEM / PSDB 62.563
    16 RMULO VIEGAS PSDB - PP / DEM / PSDB 57.649
    17 LEONARDO MOREIRA PSDB - PP / DEM / PSDB 56.840
    18 JAYRO LESSA DEM - PP / DEM / PSDB 54.529
    Coligao Muda Minas, com 13 vagas:
    1 ELISMAR PRADO PT - PRB / PT 92.026
    2 PAULO GUEDES PT - PRB / PT 90.904
    3 DURVAL NGELO PT - PRB / PT 89.712
    4 POMPILIO CANAVEZ PT - PRB / PT 56.261
    5 BISPO GILBERTO ABRAMO PRB - PRB / PT 52.976
    6 PAULO LAMAC PT - PRB / PT 50.950
    7 ROGERIO CORREIA* PT - PRB / PT 45.825
    8 ANDR QUINTO PT - PRB / PT 44.811
    9 ULYSSES GOMES PT - PRB / PT 41.264
    10 ADELMO LEO PT - PRB / PT 40.561
    11 ALMIR PARACA PT - PRB / PT 40.500
    12 MARIA TEREZA LARA PT - PRB / PT 37.439
    13 PASTOR CARLOS HENRIQUE PRB - PRB / PT 35.979
    PMDB, com 8 vagas:
    1 Z HENRIQUE PMDB 93.548
    2 BRUNO SIQUEIRA PMDB 68.437
    3 PASTOR VANDERLEI MIRANDA PMDB 64.911
    4 ANTONIO JULIO PMDB 59.725
    5 TADEUZINHO PMDB 56.634
    6 ADALCLEVER LOPES PMDB 53.611
    7 IVAIR NOGUEIRA PMDB 50.111
    8 SVIO SOUZA CRUZ PMDB 45.383
    Coligao Justia Social e Trabalho, com 7 vagas:
    1 MARQUES PTB - PTB / PSB 153.163
    2 ARLEN SANTIAGO PTB - PTB / PSB 103.336
    3 BRULIO BRAZ PTB - PTB / PSB 102.5244
    DILZON MELO PTB - PTB / PSB 77.846
    5 WANDER BORGES PSB - PTB / PSB 62.805
    6 LIZA PRADO PSB - PTB / PSB 43.809
    7 LERIN PSB - PTB / PSB 40.425
    Partido Verde, com 6 vagas:
    1 TIAGO ULISSES PV 103.162
    2 AGOSTINHO PATRUS FILHO PV 93.595
    3 DR. HELY PV 85.972
    4 DLIO MALHEIROS PV 68.245
    5 ROSNGELA REIS PV 67.473
    6 INCIO FRANCO PV 63.661
    PDT, com 5 vagas:
    1 SARGENTO RODRIGUES PDT 94.231
    2 GUSTAVO PERRELLA PDT 82.854
    3 ALENCAR DA SILVEIRA JR PDT 68.700
    4 TENENTE LUCIO PDT 49.248
    5 CARLOS PIMENTA PDT 48.652
    Coligao Unidos por Minas, com 5 vagas:
    1 DR. WILSON BATISTA PSL - PSL / PSDC / PMN 70.106
    2 DUARTE BECHIR PMN - PSL / PSDC / PMN 49.612
    3 HLIO GOMES PSL - PSL / PSDC / PMN 44.614
    4 DUILIO DE CASTRO PMN - PSL / PSDC / PMN 41.727
    5 FBIO CHEREM PSL - PSL / PSDC / PMN 37.885
    PPS, com 3 vagas:
    1 LUZIA FERREIRA PPS 50.606
    2 NEIDER MOREIRA PPS 46.814
    3 SEBASTIO COSTA PPS 42.831
    Coligao PTC/PRTB, com 3 vagas:
    1 ANSELMO JOS DOMINGOS PTC - PRTB / PTC 38.088
    2 CSSIO SOARES PRTB - PRTB / PTC 36.064
    3 FABIANO TOLENTINO PRTB - PRTB / PTC 31.182
    PCdoB, com 2 vagas:
    1 CARLIN MOURA PC do B 50.199
    2 CELINHO DO SINTTROCEL PC do B 44.967
    PSC, com 2 vagas:
    1 ANTONIO GENARO PSC 81.1242 ANTONIO CARLOS ARANTES PSC 74.541
    Coligao PHS/PTN, com 2 vagas:
    1 NEILANDO PIMENTA PHS - PTN / PHS 54.809
    2 FRED COSTA PHS - PTN / PHS 38.409
    Projeto Vitria 2010, com 2 vagas:
    1 JOAO VITOR XAVIER DA ITATIAIA PRP - PRP / PT do B 56.946
    2 BOSCO PT do B - PRP / PT do B 31.455
    PR, com 1 vaga:
    1 DEIR MARRA PR 36.524

     


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 3, 2010

    Nota triste. Lamento a morte hoje em BH, do ex-deputado federal Acio Cunha,pai do ex-governador Acio Neves. O corpo ser velado na Assemblia de Minas. Nossos psames ao ex-governador Acio e sua famlia.


    O ex-deputado federal Acio Cunha,
     pai do ex-governador Acio,
    morreu no Hospital Life Center
    aonde estava internado desde ontem.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 3, 2010

    Acaba de sair o BOCA DE URNA do IBOPE(s 17h25m): o governador Anastasia est eleito em primeiro turno,segundo o Ibope com 57% dos votos. Ele varia de 55% a 59%. O senador Hlio Costa ter, segundo o Ibope, 40% dos votos. Varia de 38% a 42%.


    Boca de Urna (Ibope): 
    Anastasia 57%              Hlio Costa 40%

    Segundo o Ibope o governador Anastasia est reeleito
    com uma margem que vai varia de 55% a 59% dos votos.

    O Ibope ouviu 6 mil eleitores mineiros no Boca de Urna.
    Para o senado,
    o ex-governador Acio Neves tem 42% dos votos.
    E est eleito senador.
    A segunda vaga est sendo disputada entre
    o ex-presidente Itamar Franco com 26%
    e o ex-prefeito de BH, Fernando Pimentel 24%.

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 3, 2010

    REDE SUPER nas eleies 2010. Cobertura histrica da apurao dos votos farei hoje pela TV REDE SUPER, aqui de BH, mas que atingem cerca de 22 milhes de telespectadores em todo o pas.

    A equipe de jornalismo da REDE SUPER, estar no TRE no final desta tarde.
    Vamos cobrir a divulgao oficial voto a voto do terceiro andar do TRE, aqui na capital.
    Gostaria que voc nos acompanhasse na cobertura que vamos ancorar pelo canal 23 a cabo em BH, pelo satlite e pela internet. s acessar o www.redesuper.com.br
    e clicar no cone assista on line


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Domingo, Outubro 3, 2010

    Saem as ltimas pesquisas do IBOPE e DATAFOLHA para o governo do Estado.

    O Ibope e o Datafolha divulgaram,  neste sbado, pesquisas sobre a disputa pelo Governo de Minas Gerais. Os dois levantamentos apontam que o governador Antonio Anastasia, candidato ao Palcio Tiradentes pelo PSDB, ser reeleito no primeiro turno.
    Na corrida pelo Senado, tambm de acordo com os dois institutos, o ex-governador Acio Neves (PSDB) e o ex-presidente Itamar Franco (PPS) devero ser eleitos.

    De acordo com o Datafolha, Anastasia atingiu na reta final seu percentual mais alto (55%) desde que virou a eleio contra Hlio Costa (PMDB), no comeo de setembro. Hoje, o peemedebista marca 42% dos votos vlidos. Considerando os ndices de intenes de voto (incluindo brancos e nulos), Anastasia tem 47%, ante 36% de Hlio Costa.
    O percentual de indecisos no eleitorado mineiro de 10% na vspera da eleio.

    Outros 4% votaro em branco ou nulo. Os demais candidatos, juntos, somam 3%. A pesquisa foi feita entre os dias 31 de setembro e primeiro de outubro, com 3.007 eleitores, em 90 municpios. A margem de erro de dois pontos percentuais. A pesquisa est registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com o nmero 33492/2010.

    SENADO:

    Na corrida pelo Senado, ainda de acordo com o Datafolha, o ex-governador Acio Neves e o ex-presidente Itamar Franco devero ser eleitos. O tucano marca 43% dos votos vlidos (excluindo brancos e nulos), e Itamar, 27%. Em terceiro lugar, o ex-prefeito Fernando Pimentel (PT) tem 23%.
    Conforme o instituto, o petista assumiu trajetria ascendente na ltima semana, ganhando trs pontos no ndice de intenes de voto. O levantamento mostra que 20% do eleitorado mineiro no sabe em quem votar para uma das vagas.

    IBOPE:

    J pelo Ibope, Anastasia tem 58% dos votos vlidos contra 40% de Hlio Costa. Vanessa Portugal (PSTU) e Z Fernando Aparecido (PV) somam 1%. Adilson Rosa (PCO), Edilson Nascimento (PC do B), Fabinho (PCB) e Professor Luiz Carlos (PSOL) no pontuaram. Levando-se em conta os votos totais, Anastasia aparece com 48% das intenes de voto contra 33% de Hlio Costa. Votos brancos e nulos soma 4% e indecisos, 13%.

    Na corrida pelo Senado, o Ibope mostra que o ex-governador Acio Neves e o ex-presidente Itamar Franco tambm devero ser eleitos. Acio aparece com 45% das intenes de voto contra 28% de Itamar Franco. O petista Fernado Pimentel aparece com 22%.
    O levantamento foi encomendado pela TV Globo e pelo jornal "O Estado de S. Paulo". Foram realizadas 2.002 entrevistas de quinta (30/09) a sbado (02/10) em 113 municpios do estado. Os nmeros de registro da pesquisa so 76571/2010 (TRE) e 33239/2010 (TSE). A margem de erro de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 1, 2010

    Oramento dogoverno do Estado para 2011.

    Oramento do Estado
    prev receita e despesa
    de R$ 45 bi em 2011

    O Oramento do Estado para 2011 prev receitas e despesas no valor de R$ 44.998.615.907,00. A proposta oramentria foi encaminhada pelo Poder Executivo Assembleia Legislativa de Minas Gerais nesta quinta-feira (30/9/10), juntamente com a reviso do Plano Plurianual de Ao Governamental (PPAG). O dia 30 de setembro o prazo mximo para que essas proposies sejam enviadas Assembleia, e o trmino do ano legislativo est condicionado aprovao dos dois projetos pelo Plenrio.
    Para a elaborao da pea oramentria, foram utilizados como parmetros crescimento do PIB de 5,5% e inflao de 4,5% em 2011. A arrecadao com ICMS, o principal imposto estadual, deve chegar a R$ 28 bilhes em 2011. As despesas com pessoal e encargos sociais esto oradas em R$ 19,3 bilhes. Os investimentos realizados por meio do Oramento Fiscal so estimados em R$ 3 bilhes. Outros R$ 5,99 bilhes sero investidos por meio das empresas estatais, principalmente Copasa e Cemig. J a amortizao da dvida pblica deve consumir R$ 1,17 bilho no prximo ano.
    PPAG - J o PPAG 2008-2011 passa por seu ltimo processo de reviso anual. Esto programados investimentos de R$ 4,8 bilhes nos projetos estruturadores previstos no plano. O projeto Copa do Mundo 2014 prev aportes de R$ 78,3 milhes em aes de infraestrutura voltadas para o mundial em Belo Horizonte. O ProMG, programa de recuperao das estradas estaduais, tem assegurados recursos da ordem de R$ 201 milhes, enquanto o Pro-Acesso, voltado para a pavimentao de rodovias, contar com R$ 251 milhes.
    A carteira de projetos estruturadores foi reduzida, com a excluso da rubrica "Choques Setoriais de Gesto", que j cumpriu o seu papel, segundo a secretria de Estado de Planejamento e Gesto, Renata Vilhena, em sua exposio de motivos.
    Outras novidades desta reviso do PPAG so a reestuturao de aes da rea de resultado "Vida Saudvel" e a realocao de recursos antes consignados na rea de Defesa Social. A reviso do PPAG ser precedida de audincias pblicas para ouvir sugestes e demandas da sociedade, antes da votao do projeto em Plenrio.
    Sobre as proposies - O PPAG um plano de mdio prazo, que estabelece, de forma regionalizada e em harmonia com o Plano Mineiro de Desenvolvimento Integrado (PMDI), as diretrizes, os objetivos e as metas da administrao pblica, com a discriminao dos recursos para sua execuo. ele que d visibilidade s polticas que o governo se compromete a implantar, estabelecendo metas e estratgias gerenciais e de captao de recursos. O PPAG 2008-2011 est detalhado na Lei 17.347, de 2008.
    J o projeto de lei do Oramento, que estima receitas e fixa despesas, subdivide-se em duas peas: o oramento fiscal, que inclui administrao direta e indireta e as empresas dependentes (Rdio Inconfidncia, Epamig e Emater); e o oramento de investimentos das empresas controladas pelo Estado (Cemig, Copasa, BDMG, Codemig, Gasmig, Cohab, Prodemge, Prominas, Indi, MGS, MGI e Trem Metropolitano de Belo Horizonte).
    Comisses faro anlise das matrias
    Duas comisses da Assembleia esto envolvidas mais diretamente com o processo de reviso participativa do PPAG. A Comisso de Fiscalizao Financeira e Oramentria (FFO), atualmente presidida pelo deputado Z Maia (PSDB), examina e emite parecer sobre o projeto, com o auxlio das demais comisses. J a Comisso de Participao Popular, presidida pelo deputado Andr Quinto (PT), tem entre suas atribuies discutir as leis oramentrias. Cabe a ela acatar as propostas populares de modificao e encaminh-las FFO.
    Por se tratar de proposies sujeitas a procedimentos especiais, os projetos do Oramento e do PPAG tm tramitao prevista no artigo 204 do Regimento Interno. Depois de recebidos em Plenrio, eles so distribudos, em avulso (cpia), aos deputados e s comisses permanentes a eles relacionadas.
    Os projetos so ainda encaminhados FFO, que ter 60 dias para emitir parecer, sendo os 20 primeiros dias destinados apresentao de emendas. Da discusso e votao do parecer nessa comisso podero participar, com direito a voz e voto, dois membros de cada uma das comisses permanentes s quais tenham sido distribudos os projetos.
    O Regimento Interno prev ainda que, vencido o prazo para emendas, o presidente da FFO ter dois dias para proferir despacho de recebimento das emendas, que sero numeradas e publicadas. Ele dar publicidade, em separado, s emendas que deixar de receber, por serem consideradas inconstitucionais, ilegais ou antirregimentais. Nesse caso, caber recurso ao presidente da ALMG.
    Em seguida, cada projeto ser encaminhado ao relator, designado pelo presidente da comisso, para receber o parecer, que ser encaminhado Mesa da Assembleia e publicado. Os projetos sero, ento, includos na ordem do dia do Plenrio para discusso e votao em turno nico.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________

    __________________________________________________________
    Sexta-feira, Outubro 1, 2010

    O COLRIO de hoje vem da coluna de Csar Romero da Tribuna de Minas de Juiz de Fora.


    Cristiane Polini

                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________




    ___________________________


    Clique para conhecer

    ___________________________


    Clique para conhecer

    ______________________________

    Clique para conhecer

    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________

         
     
    Clique e envie-nos 

seu e-mail