Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter Página do 

Programa João Carlos Amaral Entrevista Canal no youtube Clique e 

envie-nos seu e-mail Clique e 

envie-nos seu e-mail Volta para a página inicial Clique e conheça Clique e acompanhe-nos 

no twitter
___________________________


___________________________
Clique para conhecer
___________________________


__________________________


__________________________

__________________________


______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer
______________________________

Sinapro MG
______________________________
Clique para conhecer
______________________________
Clique para conhecer



+ Categorias

  • Todos (16109)
  • POLÍTICA (5929)
  • GERAL (2057)
  • ARTIGOS (285)
  • ENTREVISTAS (35)
  • ECONOMIA (3754)
  • GENTE (1210)
  • TURISMO (842)

  • + Links
    + Arquivos

    Fevereiro, 2006
    Março, 2006
    Abril, 2006
    Maio, 2006
    Junho, 2006
    Setembro, 2006
    Julho, 2006
    Agosto, 2006
    Novembro, 2006
    Outubro, 2006
    Janeiro, 2007
    Dezembro, 2006
    Fevereiro, 2007
    Março, 2007
    Abril, 2007
    Maio, 2007
    Outubro, 2007
    Junho, 2007
    Julho, 2007
    Agosto, 2007
    Setembro, 2007
    Dezembro, 2007
    Novembro, 2007
    Janeiro, 2008
    Maio, 2008
    Fevereiro, 2008
    Março, 2008
    Julho, 2008
    Abril, 2008
    Junho, 2008
    Setembro, 2008
    Agosto, 2008
    Outubro, 2008
    Novembro, 2008
    Dezembro, 2008
    Janeiro, 2009
    Fevereiro, 2009
    Março, 2009
    Abril, 2009
    Maio, 2009
    Junho, 2009
    Julho, 2009
    Agosto, 2009
    Setembro, 2009
    Outubro, 2009
    Novembro, 2009
    Dezembro, 2009
    Novembro, 2012
    Janeiro, 2010
    Fevereiro, 2010
    Março, 2010
    Abril, 2010
    Maio, 2010
    Junho, 2010
    Julho, 2010
    Agosto, 2010
    Setembro, 2010
    Outubro, 2010
    Novembro, 2010
    Fevereiro, 2011
    Março, 2011
    Abril, 2011
    Maio, 2011
    Junho, 2011
    Julho, 2011
    Agosto, 2011
    Setembro, 2011
    Outubro, 2011
    Novembro, 2011
    Dezembro, 2011
    Janeiro, 2012
    Fevereiro, 2012
    Março, 2012
    Abril, 2012
    Maio, 2012
    Junho, 2012
    Julho, 2012
    Agosto, 2012
    Setembro, 2012
    Outubro, 2012
    Dezembro, 2012
    Agosto, 2015
    Janeiro, 2013
    Fevereiro, 2013
    Março, 2013
    Abril, 2013
    Maio, 2013
    Setembro, 2015
    Junho, 2013
    Julho, 2013
    Agosto, 2013
    Setembro, 2013
    Julho, 2016
    Outubro, 2013
    Novembro, 2013
    Dezembro, 2013
    Janeiro, 2014
    Fevereiro, 2014
    Março, 2014
    Abril, 2014
    Maio, 2014
    Junho, 2014
    Julho, 2014
    Agosto, 2014
    Setembro, 2014
    Outubro, 2014
    Novembro, 2014
    Dezembro, 2014
    Janeiro, 2015
    Fevereiro, 2015
    Março, 2015
    Abril, 2015
    Maio, 2015
    Junho, 2015
    Julho, 2015
    Outubro, 2015
    Novembro, 2015
    Dezembro, 2015
    Janeiro, 2016
    Fevereiro, 2016
    Março, 2016
    Abril, 2016
    Maio, 2016
    Junho, 2016
    Agosto, 2016
    Setembro, 2016
    Outubro, 2016
    Novembro, 2016
    Dezembro, 2016
    Janeiro, 2017
    Fevereiro, 2017
    Março, 2017
    Abril, 2017
    Maio, 2017
    Junho, 2017
    Julho, 2017
    Agosto, 2017
    Setembro, 2017
    Outubro, 2017
    Novembro, 2017
    Dezembro, 2017
    Janeiro, 2018
    Fevereiro, 2018
    Março, 2018
    Abril, 2018
    Maio, 2018
    Junho, 2018
    Julho, 2018
    Agosto, 2018
    Setembro, 2018
    Outubro, 2018
    Novembro, 2018
    Dezembro, 2018
    Janeiro, 2019



    __________________________________________________________
    Quinta-feira, Janeiro 3, 2019

    ARTIGO ESPECIAL

    Artigo Especial, publicado hoje no Blog do PCO que compartilho com você.

    “Mensagem de fé e esperança no crescimento econômico.”
    Autor
    *Carlos Alberto Teixeira de Oliveira

    *Empresário, Economista,
    Presidente da ASSEMG (Associação dos Economistas de Minas Gerais). Editor geral da publicação de Economia, Finanças & Negócios MERCADO COMUM.

    Artigo:
    Durante as últimas três décadas o Brasil vem sofrendo de uma “síndrome de raquitismo econômico” e simplesmente não conseguiu acompanhar a dinâmica do crescimento da economia mundial.

    A marcha do crescimento econômico nacional parece enferrujada, emperrada e, até então, não pôde engatar qualquer ritmo que a pudesse levar avante, ao contrário, sua performance tem se evidenciado, principalmente nos anos mais recentes, como uma autêntica marcha a ré, um verdadeiro andar para trás, bem típico de rabo de cavalo.

    De 2011 a 2018, por exemplo, e de acordo com o FMI – Fundo Monetário Internacional, enquanto o PIB per capita mundial – medido pela Paridade de Poder de Compra- está crescendo a uma média anual de 2,3%, o PIB per capita brasileiro contabiliza uma queda média de 0,3% ao ano no mesmo período.

    Nestes oito anos e, considerando-se a estimativa daquela instituição para 2018 – a taxa média do PIB per capita mundial deverá registrar um crescimento acumulado de 20,2% e, o do Brasil, sofrerá retração de 2,3%.

    Cabe destacar, por outro lado, que os países considerados Emergentes e em Desenvolvimento – categoria na qual nos incluímos, deverão contabilizar uma expansão acumulada de 31,5%.

    Esse brutal deslocamento e distanciamento da média mundial são atípicas e só ocorrem, geralmente, em países em convulsão social, vítimas de algum desastre natural ou em situação de guerra.

    Enquanto somente durante os últimos 5 anos – de 2014 a 2018, o crescimento acumulado do PIB per capita mundial deverá alcançar 11,9% – o brasileiro registrará uma retração 8,1%.

    O PIB per capita dos Países Emergentes e em Desenvolvimento, no mesmo período, apresentará expansão acumulada de 16,7%.

    País que não cresce é país condenado ao atraso, à miséria e ao subdesenvolvimento, considerados os maiores inimigos da democracia.

    Esta situação crítica de involução econômica que atravessamos, já a partir deste segundo ano do mandato de Michel Temer e agora, sacramentada com a eleição de Jair Bolsonaro para a presidência da República, parece ter sofrido uma profunda mudança que, sinalizada por novos rumos, poderá permitir ao país a retomada do crescimento econômico mais vigoroso.

    Os principais motores ou dínamos do desempenho de qualquer economia são a credibilidade governamental e a confiança no futuro.

    Na economia, entraremos numa quadra com a melhor plataforma para crescimento já vista em décadas. Contas externas em ordem, inflação abaixo da meta, emprego em retomada, concessão de crédito voltando a crescer com taxa de juros em queda e inadimplência recorde de baixa, confiança em alta, enorme capacidade ociosa, safra recorde, preços internacionais favoráveis para milho e soja – todos fatores que permitem uma resposta rápida da economia, pronta para a fase de expansão do seu ciclo econômico.

    Se o quadro político permitir o andamento das reformas ou o vislumbre de que as contas fiscais caminham para maior sustentabilidade, teremos as condições para câmbio estável e taxas de juros baixas por mais tempo.

    Meu parceiro de décadas – o renomado economista Luis Paulo Rosenberg e agora os companheiros parceiros da LCA, estão muito otimistas e confiantes em que o Brasil venha se reconciliar com o crescimento econômico vigoroso já a partir do próximo ano.

    Segundo o Rosenberg, em recente palestra aos associados da Sicoob Central Crediminas em Belo Horizonte, os indicativos atuais permitem vislumbrar uma taxa de expansão do PIB-Produto Interno Bruto brasileiro de até 3,5% em 2019.

    Compartilho da sua opinião e acrescento que, seguindo o ritmo brasileiro, a economia mineira poderá registrar também um excepcional desempenho, superior à média nacional, apesar das enormes dificuldades que passará e enfrentará o novo governo de Romeu Zema – que precisarão ser enfrentadas com muita coragem, ousadia e firme decisão – destacando, ademais, que os nossos grandes entraves e problemas não são conjunturais e, sim, estruturais.

    São estas as excelentes notícias que gostaria de transmitir, as quais abraço e aposto neste momento quando se renovam todas as energias e esperanças.

    BRASIL – INDICADORES MACROECONÔMICOS

    Ítem 2017 2018 2019 2020
    PIB – % 1,0 1,5 3,5 4,0
    IPCA – % 2,9 3,8 3,6 3,5
    Selic – % 7,0 6,5 6,0 5,5
    Câmbio-R$/US$ 3,31 3,80 3,60 3,60
    Estimativas – Fonte: Rosenberg & Associados.


                           Link direto para este post:

    __________________________________________________________________________




    ___________________________


    Clique para conhecer

    ___________________________


    Clique para conhecer

    ______________________________

    Clique para conhecer

    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________
    Clique para conhecer
    ______________________________

         
     
    Clique e envie-nos 

seu e-mail